DEU NO JORNAL

BOCA-DE-BUCETA PIORA MAIS A CADA DIA

Gilmar Mendes, no Roda Viva, aprovou a capa verdevaldiana da Veja, que anunciou o desmoronamento de Sergio Moro:

“Desde 2014, quando a Lava Jato foi inventada, ela tem melhores publicitários do que juristas. Acho que eles têm mais talento como publicitários do que juristas. Tem algum talento. Eles chantageiam com esse tipo de coisa desde o começo. Tentavam constranger o Superior Tribunal Federal. A Veja chegou a publicar uma capa minha dizendo ‘esse é o juiz que discorda do Brasil’. Agora, veja o pedido de desculpas com o editorial, que mostra o Moro desmoronando. A mídia mudou em relação a isso. O The Intercept produziu uma outra análise.”

É preciso dizer que, na última semana, a Veja tentou consertar o estrago causado por sua aventura verdevaldiana e dedicou mais uma capa a Sergio Moro, sem mensagens roubadas e sem desmoronamento.

É preciso dizer também que a popularidade de Sergio Moro continua lá em cima.

Gilmar Mendes discorda do Brasil.

* * *

Quando eu penso que uma merda feito esta ocupa uma cadeira no órgão máximo da nossa justiça, me vem uma desesperança da porra.

Faço força pra continuar resistindo.

Francamente, não dá pra aguentar tamanho cinismo.

Só mesmo numa republiqueta banânica feito esta nossa seria possível a existência de um “ministro” desse porte.

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

HÉLIO FONTES – VIDEIRA-SC

Berto:

Para ajudar na merenda de Chupicleide, Polodoro e Xolinha.

R. O trio fubânico está aqui relinchando de alegria, meu caro.

Polodoro, Chupicleide e Xolinha agradecem do fundo do coração a sua generosa doação.

E estão todos torcendo pra que seu exemplo toque os corações dos miscos, dos pirangueiros e dos unhas-de-fome.

Um grande abraço!

Polodoro, Chupicleide e Xolinha celebrando a generosidade dos leitores

DEU NO TWITTER

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

BERNARDO – MACEIÓ-AL

Berto:

Essa história é a sua cara.

Aqui em Santana do Ipanema, alto Sertão Alagoano, existia um desocupado que se metia em tudo e entendia de tudo.

Certa vez chegou no buteco dos cachacistas e um perguntou:

– Você conheceu o Zepelim?

E ele na bucha respondeu:

– Conheci ele e conheci a família toda. Até o velho Pedro Pelim avô dele.

R. Eu num intendi porque tu disse que essa história é a minha cara…

Tu tás me chamando de mentiroso, seu cabra safado?

Mentiroso és tu, sujeito, que passa o dia inteiro me mandando lorotas pelo zap.

Eu num minto de jeito nenhum!!!

O único Zepelim que eu conheço é este que está na foto abaixo.

Esta foto foi feita em Palmares, quando o Zepelim passou por lá e pousou no campo de futebol da Usina 13 de Maio.

A foto foi tirada por Mané Rabo-Fino, o grande retratista daquele tempo.

DEU NO JORNAL

TUDO JUNTO E MISTURADO

O advogado Geraldo Prado, suspeito de ter recebido R$ 1,5 milhão do PCC para entrar no STF contra uma portaria do Ministério da Justiça, foi testemunha de Dilma Rousseff no processo de impeachment.

Ele também produziu pareceres para a defesa de Lula na Lava Jato.

* * *

O assunto é tão escandaloso que o Ministro Moro chegou a declarar que esperava que “isto não fosse verdade”.

Alguém aqui duvida que é verdade?

Só mesmo Ceguinho Teimoso é quem vai duvidar.

Pois fique certo, Senhor Ministro, que isto é verdade.

PCC e PT são farinha do mesmo bisaco.

É tudo junto e misturado!

MARCOS ANDRÉ - DADO & TRAÇADO

ELUCUBRAÇÕES…

MACHISTA

• Quando um homem abre a porta do carro para sua mulher, ou o carro é novo ou a mulher.

• Nós vamos fazer sexo, amor só as vezes !!

FEMINISTA

• Porque algumas mulheres casadas são mais gordas que as solteiras?

R: A solteira chega em casa, vê o que tem na geladeira e vai pra cama; a casada vê o que tem na cama e vai pra geladeira.

T.I

• A vida é um eterno Upgrade. Bem assim!

• Não pirateio programas. Só copio emprestado.

• Quem não tem cão… não gasta dinheiro com veterinário!

ETERNAS MENTIRAS

• Garantimos o envio pelos correios em 5 dias úteis.

• Quinta-feira sem falta o seu carro vai estar pronto.

• Pague a minha parte que depois eu acerto contigo.

• Eu só bebo socialmente.

• Isso é para o seu próprio bem.

• Que lindo é o seu bebê.

• Isto vai doer mais em mim do que em você

• Não precisava presente, sua presença é o que importa

• Aguarde nosso comunicado

SEGUNDAS INTENÇÕES

• Eu estava passando por aqui e resolvi subir.

• O ÚLTIMO ROMÁNTICO

FRASES DITAS OU OUVIDAS ANTES DE ALGUÉM MORRER!

• “Atravessa correndo que dá.”

• “Fica tranquilo que este alicate é isolado”

• “Sabe qual a chance de isso acontecer? Uma em um milhão”

• “Meu sonho sempre foi saltar de pára-quedas. E neste instante vou realizá-lo. E eu mesmo o dobrei!”

• “Aqui é o PT-965 decolando em seu primeiro vôo solo”

• “Confie em mim e deixa comigo”

• “Desce desse ônibus e me encara de frente, sua bicha!”

• “Você é grande mas não é dois!”

• “Vamos lá que não tem erro”

DEU NO TWITTER

DALINHA CATUNDA - EU ACHO É POUCO!

UMA GLOSA

Ponha gotas de prazer
Nessa sua trajetória.

Mote da colunista

Felicidade é visita
Que chega mas vai embora.
Quando some a gente chora,
Porque dela necessita.
É passageira, é restrita,
É um pingo em cada história,
E por ser tão transitória.
Desnude-se pra viver:
Ponha gotas de prazer
Nessa sua trajetória.

A PALAVRA DO EDITOR

NEWTON SILVA - CALAMUS SCRIBAE

O VAZIO

Foto: Afogados On-Line

O sol, quando ao meio-dia, causa estranhas vertigens. Vislumbra-se vultos distorcidos embrenhados na caatinga, caminhando entre serrotes de pura pedra, no meio da vegetação seca, árida, de difícil acesso, distritos abandonados, onde mal se vê a presença humana, senão aqui e ali, uma casinha feita de barro, coberta de palha da carnaubeira, distante de praticamente tudo, sem água nem energia elétrica, construídas na solidão do sertão, não se sabe por quem, tendo apenas a imensidão do azul do céu e a caatinga miserável como vizinhança.

Nesses lugares ermos, encontra-se de tudo: pontes sobre rios secos, açudes no chão duro e poeirento, postes plantados no meio do matagal implacável, e o vento em redemunho correndo contra o tempo, construindo colunas de poeira num trabalho extenuante e contínuo, dia após dia.

Nessas condições severas, quem se perder ali, vai observar quando o silêncio invadir a tarde luminosa. Muitas vezes, no meio do nada, vai escutar o quase imperceptível bater de marretas ao longe e de vez em quando o repetir das batidas no meio da mata. Não haverá mais ninguém ali. Mas há a impressão de se ter ouvido alguém cantando uma canção antiga.

Quantos mistérios ocultos na mata poderá haver. Já se ouviu muitas histórias dos vaqueiros que passam por essas estradas desertas. Histórias fantásticas de árvores que escondem botijas, lugares encantados dentro da mata e o medo de um dia os encontrar. Muitos já se perderam na caatinga levados embora pela moça encantada.

À noite as estradas se aquietam. Dormem na sua imensidão, mergulhadas no vazio da noite.

Amanhã é outro vazio.