DEU NO JORNAL

NOTA DO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL DO PARANÁ

A força-tarefa Lava Jato do Ministério Público Federal no Paraná (MPF/PR)vem a público repudiar notícia falsa sobre troca de procuradores em audiência do caso Triplex por meio de publicação rasa, equivocada e sem checagem dos fatos pelo blogueiro Reinaldo Azevedo.

Conforme é público, a procuradora da República Laura Tessler participou, na manhã de 13/03/2017, de audiência em ação penal em que acusado o ex-ministro Antônio Palocci (autos nº 5054932-88.2016.404.7000). Além de seguir realizando a audiência na tarde do mesmo dia, a procuradora participou de todas as subsequentes do caso, nos dias 14/03/2017, 15/03/2017, 21/03/2017, e 22/03/2017.

Como sempre, sua atuação firme, técnica e dedicada contribuiu decisivamente para a condenação, somente nesse caso, de 13 réus acusados de corrupção e lavagem de dinheiro a mais de 90 anos de prisão, incluindo o ex-ministro Antônio Palocci. Integrante da Lava Jato no MPF desde 2015, a procuradora Laura Tessler seguiu e segue responsável por diversas investigações e ações criminais, realizando todos os atos processuais necessários, incluindo audiências, contando com toda a confiança da força-tarefa na sua condução altamente profissional, cuidadosa e obstinada no combate à corrupção.

Ou seja, não houve qualquer alteração na sistemática de acompanhamento de ações penais por parte de membros da força-tarefa. Assim, os procuradores e procuradoras responsáveis pelo desenvolvimento de cada caso acompanharam as principais audiências até o interrogatório, não se cogitando em nenhum momento de substituição de membros, até porque todos vêm desenvolvendo seus trabalhos com profissionalismo, competência e seriedade.

Também como é público, os procuradores da República Júlio Noronha e Roberson Pozzobon, que participaram em 10/05/2017 do interrogatório de Lula na ação penal sobre o triplex no Guarujá (autos nº 5046512-94.2016.404.7000), foram os mesmos que estiveram presentes nas principais medidas investigatórias do caso em 04/03/2016 (como na oitiva do ex-presidente no aeroporto de Congonhas e na busca no Instituto Lula), na exposição pública do conteúdo da denúncia em 14/09/2016, e em 16 das 18 audiências judiciais do caso realizadas no ano de 2017.

Além de desrespeitosa, mentirosa e sem contexto, a publicação de Reinaldo Azevedo não realizou a devida apuração, que, por meio de simples consulta aos autos públicos acima mencionados, evitaria divulgar movimento fantasioso de troca de procuradores para ofender o trabalho e os integrantes da força-tarefa. Como o site “The Intercept Brasil”, de quem se diz parceiro, Reinaldo Azevedo, de modo tendencioso, tentou criar artificialmente uma realidade inexistente para dar suporte a teses que favoreçam condenados por corrupção e lavagem de dinheiro na Lava Jato.

Para suas absurdas conclusões, o blogueiro usou material cuja autenticidade não foi confirmada, reforçando o aparente intuito de criar notícias às custas de publicações que distorcem supostas conversas entre autoridades, atacando o Sistema de Justiça e as instituições da República, na mesma linha do que verificado nos ataques cibernéticos. A suposta versão, que não resiste a uma mínima análise crítica diante dos fatos públicos, indica que a fábrica de narrativas político-partidárias baseadas em supostos diálogos sem autenticidade e integridade comprovadas somente leva à perda de credibilidade de quem delas se utiliza sem a devida apuração.

Todas as informações sobre as ações penais referidas podem ser consultadas no site da Justiça Federal:

a) Ação penal sobre o triplex no Guarujá: autos nº 5046512-94.2016.404.7000 (Chave eletrônica: 162567218816);

b) Ação penal envolvendo o ex-ministro Antônio Palocci: autos nº 5054932-88.2016.404.7000 (Chave eletrônica: 111718380216).

Acompanhe todas as informações oficiais do MPF sobre a operação Lava Jato clicando aqui

Ministério Público Federal no Paraná
Assessoria de Comunicação

MARCELO BERTOLUCI - DANDO PITACOS

CONSTITUIÇÕES

No Brasil pensamos que Constituição resolve tudo, desde pobreza até unha encravada, e se tem algo que ainda não foi resolvido é porque faltou “vontade política”. Se algo não está funcionando, é só mudar a constituição que tudo se resolve. Matutando sobre isso, achei um site chamado “Comparative Constitutions Project”, que faz umas comparações interessantes entre as mais de duzentas constituições que existem no mundo hoje.

Por exemplo: quais as constituições mais longas? Somos bronze! A lista das “dez mais” é a seguinte: India, Nigéria, Brasil, Malásia, Papua-Nova Guiné, México, Paquistão, Zimbábue, Equador e Gana. As mais curtas? Mônaco, Islândia, Laos, Letônia, Japão, Micronésia, Bósnia, Guiné Equatorial, Luxemburgo e Turcomenistão.

De cara, parece que constituições longas não garantem prosperidade: não há nenhum país daqueles de causar inveja na lista das maiores. Parece também que constituições curtinhas não são necessariamente um problema.

Outra informação que dá o que pensar é sobre a idade e o número de constituições. Nem todos pensam que mudar a constituição seja solução, e é possível que eles estejam certos. As constituições mais antigas em vigor são: EUA(1789), Noruega(1814), Holanda(1815), Bélgica(1831), Nova Zelândia(1852), Canadá(1867) e Luxemburgo(1868), além do Reino Unido, que não tem constituição. Vários destes países ainda estão na primeira, o que me faz pensar que a estabilidade pode ser uma coisa boa: nenhum destes países pode ser chamado de pobre ou de sub-desenvolvido.

Por outro lado, na lista dos países que mais trocaram de constituição, nossa América Latina reina soberana: República Dominicana(32), Venezuela(26), Haiti(24), Equador(20), Bolívia(19), Honduras(17), El Salvador(17), Nicarágua(14), Peru(12), Brasil(8). Você não leu errado, a República Dominicana já teve 32 constituições. Me perdoem se pareço arrogante, mas não parece que tantas trocas tenham resolvido muito a situação de nenhum destes países.

Uma outra análise interessante deste projeto é sobre o número de “direitos” garantidos por cada uma. Foi montada uma lista com 117 direitos, e o site mostra quantos deles são explicitamente citados por cada constituição. Novamente, os países no topo da lista não são o que se chamaria de “exemplos”: Equador(99), Sérvia(88), Bolívia(88), Cabo Verde(87), Portugal(87), Armênia(82), Venezuela(82), México(81), Angola(80) e Brasil(79).

E os países com menos direitos “garantidos” pela constituição? Alguns deles são bem razoáveis: Tailândia(2), Brunei(2), Israel(6), Austrália(11), França(11), Líbano(14), Áustria(15), Arábia Saudita(15), Singapura(18) e Dinamarca(21). Mônaco, Holanda e Luxemburgo estão por perto. Pessoalmente, eu não me importaria de morar em vários destes, mesmo sabendo que estaria “desprotegido”.

Claro que a fé na constituição é só um reflexo da fé nos políticos, que por sua vez é uma faceta da fé no governo. É como se uma parte do cérebro das pessoas permanecesse na primeira infância, quando somos dependentes da mamãe para comer, beber e vestir. Assim como nenhum bebê questiona a sua situação, alguns adultos também mantém uma convicção inabalável de que o governo nos dará sempre tudo que precisamos, e como duvidar de um governo tão bonzinho que até escreve na constituição todos nossos direitos?

Sobre a fé e o costume de achar que uma nova constituição ou novas leis poderão, sozinhas, modificar um país, só resta lembrar da velha expressão: papel aceita tudo.

A PALAVRA DO EDITOR

CALMA, CALMA…

Informo aos estimados viciados fubânicos que ainda estamos com alguns problemas na edição desta gazeta escrota.

Estão sendo tomadas as providências pra que tudo se normalize nas próximas horas.

Pelo número de leitores conectados – que é mostrado aí do lado direito e que está muito abaixo do normal -, parece que os nossos distintos fregueses também estão tendo problemas pra entrar nessa bodega safada.

Desconfio que por trás disto estejam os mesmo piratas internacionais que, a serviço da bandidagem pátria, criminosamente invadiram mensagens de autoridades brasileiras.

Já tô preparando uma cacete de grosso calibre pra enfiar no furico desses felas-da-puta.

Como a edição de vídeo continua funcionando normalmente, ofereço uma linda e repousante composição para refrescar a cabeça do distinto público.

PEDRO MALTA - REPENTES, MOTES E GLOSAS

UM CLÁSSICO DE LITERATURA DE CORDEL

Esta coluna oferece hoje aos seus leitores o folheto O Romance do Pavão Misterioso, um clássico da literatura de cordel nordestina.

O Pavão Misterioso está no noticiário dos últimos dias, por conta da ação de piratas, corruptos e canalhas que querem acabar com a Lava Jato, a maior operação contra a bandidagem de colarinho branco que já foi feita no Brasil.

GOIANO BRAGA HORTA - ARCO, TARCO E VERVA

TRABALHO HERCÚLEO

De Hércules, um semideus da mitologia grega notabilizado pela sua força, veio a expressão “trabalho hercúleo”.

Refere-se a uma tarefa que exige grande esforço; extremamente difícil de se realizar.

Como o que vemos, agora, quando os diálogos entre o Procurador da República Deltan Martinazzo Dallagnol e o então Juiz Sérgio Fernando Moro foram revelados pelo site The Intercept, indicando a existência de colaboração entre o juiz e o acusador no andamento de processo judicial criminal.

Certamente, a reação dos envolvidos, como acusados de irregularidades consistentes nessa colaboração, e até mesma na condução da acusação pelo juízo da primeira instância, em algum processo, vem constituindo um trabalho hercúleo, um esforço digno de Hércules na tentativa de garantir que os contatos entre uma das partes na ação, o Ministério Público, e o encarregado de sentenciar, o juiz, não representaram o que os diálogos demonstram.

Um resumo reduzidíssimo das circunstâncias de tais conversas diz que o juiz Sérgio Moro sugeria ao procurador Deltan Dallagnol que trocasse a ordem de fases da Lava Jato, cobrava agilidade em novas operações, dava conselhos estratégicos e pistas informais de investigação e, ao menos em uma decisão, criticou e sugeriu recursos ao Ministério Público e deu broncas no procurador, além de ter levado Dallagnol a retirar das audiências uma procuradora que o juiz julgava muito fraca em ação na qual se empenhavam esforços para condenar à prisão o ex-presidente da república Luiz Inácio Lula da Silva – à qual ao final foi sentenciado.

Querem convencer de que são normais os contatos entre o juiz e as partes nas situações em que se deram e foram reveladas ao público.

Pois bem, quando se dá um esforço gigantesco (como que se está vendo neste momento em que partes envolvidas na condenação de Lula, políticos que a ele se opõem, parte da imprensa alinhada ao endeusamento do juiz envolvido, hoje Ministro da Justiça, redes sociais que dão apoio incondicional a qualquer comportamento da chamada Operação Lava Jato e, enfim, forças em geral que estão agindo a favor de Moro e Dallagnol, nesse trabalho hercúleo de justificar as ações reveladas pelos diálogos) significa que a força da ação em sentido contrário é também muito grande.

Ou seja, a represa que está sendo construída não se destina a conter um regato, mas um volume imenso das águas de grandes rios.

Trata-se de um cabo-de-guerra entre duas forças poderosas, de modo que é preciso até mesmo que a população conivente saia às ruas para dar apoio ao lado que enfrenta as acusações de parcialidade, pois as revelações de conluio decorrentes dos diálogos são poderosas.

“Manifestações de rua em defesa do ministro da Justiça, Sergio Moro, e da operação Lava Jato foram convocadas nas redes sociais para o dia 30 de junho. O catalisador dos atos é a publicação de supostas mensagens trocadas entre o ex-juiz e membros da força-tarefa da Lava Jato, divulgadas pelo site The Intercept, que questionam a conduta de Moro e procuradores do Ministério Público Federal”, diz a Gazeta do Povo, informando sobre as convocações.

Pois, vá correndo levar teu indispensável e irresponsável apoio para as ruas no dia 30 de junho de 2019 e participar do Trabalho de Hércules em favor de Moro, porque as revelações são graves e precisam de muito, muito esforço para que Lula seja mantido injustamente condenado.

Os que estão no outro lado do cabo-de-guerra não precisam ir às ruas: os diálogos falam por si.

COMENTÁRIOS SELECIONADOS

AS BELAS TORCEDORAS DO PARANÁ

Comentário sobre a postagem SAULO TAVARES- APUCARANA-PR

Marcon Beraldo:

E tem também, caro amigo João Francisco, as belas mulheres do Paraná, as mais bonitas do Brasil.

Basta ver as torcedoras que aparecem na TV graças às transmissões dos jogos do Atletico e do Coritiba.

Por ali todos podem ter uma ideia geral da beleza das moças daquele belo estado.

E não por acaso fiquei com uma delas.

* * *

Club Athletico Paranaense x Coritiba Foot Ball Club

A PALAVRA DO EDITOR

AVISO ! ! !

Informo aos senhores viciados fubânicos que deu um pau aqui no computador deste Editor.

Deve ter sido praga de algum invejoso safado.

Chupicleide e a equipe técnica do Complexo Midiático Besta Fubana estão trabalhando pra resolver o problema.

Aguardem e tenham paciência.

Não precisa ninguém pensar em suicídio.

Assim que estiver tudo resolvido, esta gazeta escrota voltará a ser atualizada.

Uma excelente sexta-feira para todos!

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

VIOLANTE PIMENTEL - CENAS DO CAMINHO

COISAS DO ARCO DA VELHA

A calçada da casa de praia na Barra do Cunhaú estava animada. Sessão de conversas amenas de uma noite de verão. Histórias do “Arco da Velha” vinham à tona. Lembranças e saudades das coisas de Nova-Cruz.

Saudade do apito e do barulho do trem, quando a locomotiva Maria Fumaça fazia suas manobras em plena madrugada; saudade do toque do triângulo do vendedor de cavaco chinês; saudade de Seu Anísio, o vendedor de pão, gritando na porta da casa da minha avó, “Olha o pão, dona Júlia!”; saudade da voz do vendedor de copos d’água na feira: “Água doce, fria, gelada, do Piquiri!!!”.

Arco-da-velha é uma expressão usada, quando se quer referir algo de tempos antigos. Trata-se de uma forma reduzida de “Arco da lei velha”, em referência ao “Arco-íris”, que, segundo diz a Bíblia Sagrada, no Velho Testamento, Deus teria criado, em sinal da eterna aliança entre ele e os homens, após o dilúvio.

Enquanto conversávamos animadamente, parou na calçada uma nativa muito desbocada, que foi logo puxando conversa:

– Eu queria ter nascido uma jabuticaba… É a fruta da felicidade. Nasce e vive pregada no tronco da Jabuticabeira, e morre sendo “degustada”. Disse isso e passou, deixando-nos com ar de riso.

A Jabuticabeira é uma árvore brasileira, da família Myrtaceae. Originou-se no centro-sul do país, e depois tornou-se conhecida, passando a ser plantada em toda a América do Sul.

Aliás, a Jabuticabeira e o seu fruto fazem parte, agora, do anedotário político brasileiro, como metáfora, em relação ao crescimento econômico do País e à politicalha que se apoderou do Brasil há vários anos. A bandalheira cresceu, igual a uma Jabuticabeira florida, que frutificou assombrosamente e se alastrou pelo país inteiro.

A jabuticaba é uma frutinha negra, muito gostosa. A Jabuticabeira é uma árvore brasileira, da família Myrtaceae. Originou-se no centro-sul do país. Depois propagou-se, passando a ser plantada em toda a América do Sul.

Já existe até um ditado popular que diz:

“Se só existe no Brasil e não é jabuticaba, desconfie”.

O economista Winston Fritsch, um dos formuladores do Real, em 1966, foi categórico: “Quando falam que o Brasil tem alguma coisa diferente dos outros países que não é jabuticaba, então é besteira.” A frase ilustra uma apropriação simbólica frequente da jabuticaba: se o país burlar os padrões do mundo globalizado, acabará mal.

“Jabuticaba do mesmo pé” significa o mesmo ditado: ” É tudo farinha do mesmo saco.”

É característica da Jabuticabeira, o crescimento lento e a rápida velocidade com que da flor surge o fruto maduro (30 dias).

Mas, as jabuticabas fenecem rapidamente.

PENINHA - DICA MUSICAL