A PALAVRA DO EDITOR

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

O TEMPO PASSA? NÃO PASSA – Carlos Drummond de Andrade

O tempo passa? Não passa
no abismo do coração.
Lá dentro, perdura a graça
do amor, florindo em canção.

O tempo nos aproxima
cada vez mais, nos reduz
a um só verso e uma rima
de mãos e olhos, na luz.

Não há tempo consumido
nem tempo a economizar.
O tempo é todo vestido
de amor e tempo de amar.

O meu tempo e o teu, amada,
transcendem qualquer medida.
Além do amor, não há nada,
amar é o sumo da vida.

São mitos de calendário
tanto o ontem como o agora,
e o teu aniversário
é um nascer toda a hora.

E nosso amor, que brotou
do tempo, não tem idade,
pois só quem ama
escutou o apelo da eternidade.

Colaboração de Pedro Malta

CARLITO LIMA - HISTÓRIAS DO VELHO CAPITA

40 ANOS DE ESPERA

Leopoldo encontrou Silvinha no Aeroporto do Galeão, cumprimentou-a com alegria. Sentiu uma pontada no coração ao ver sua ex-namorada de juventude, bonita e conservada. Os dois viajavam para Maceió.

Ao entrar no avião ela tomou uma poltrona na frente, no meio, enquanto Léo ficou na traseira. Ao decolar, Leopoldo notou, a poltrona ao lado de Silvinha estava vaga. Certo momento ele se achegou com um livro na mão.

– Ôi! Posso sentar-me?

– Quanta honra para mim – Disse a amiga sorrindo.

– Menina, você está linda. Difícil uma mulher ficar assim em sua idade.

– Querido Léo, sempre gentil. Conservar o corpo e a cabeça é uma obrigação de nossa geração. Exige sacrifício, dieta, caminhada, yoga. A plástica ajuda. Você também parece estar em forma para um boêmio que sempre foi e é ainda. Acompanho sua vida ao longe.

– Estou no terceiro casamento, sempre procurando pelo amor, sou um romântico. E você continua casada com aquele médico carioca? Tem netos? Eu tenho dois.

– Tenho três netos. O médico carioca me deixou por uma jovem. Que livro é esse?

– “O Amor no Tempo do Cólera”. Já leu?

– Ótimo livro! Achei lindo o cara esperar 50 anos por seu amor, até que um dia conseguiu. Diferente de você, meu amigo que teve tantos amores na vida. Ainda continua mulherengo?

– Silvinha, na verdade, nunca lhe esqueci. Nós namoramos dois anos, lembra? Éramos apaixonados. Um namoro bonito, eu não conseguia olhar para outra moça, só havia você. O tempo e a distância foram cruéis, nos afastaram. Eu parti para estudar agronomia em Minas. No primeiro ano nós suportamos a distância com belas cartas e as gostosas férias. Depois seu pai foi trabalhar no Amazonas. Aí danou-se, a distância fez você me esquecer e namorar o carioca.

– De fato. Eu chorava como uma adolescente apaixonada, não queria ir para Manaus, mas fui obrigada. Era uma menina de 17 anos, naquela época não tinha força. Jurei nunca mais me apaixonar para não sofrer. Só pensava em você, coisa de adolescente.

– Passei umas férias frustradas em Maceió. No carnaval caia na folia para lhe esquecer. Talvez minha fama de mulherengo, namorador tenha sido a frustração de ter lhe perdido. Quando você foi para o Amazonas a tristeza bateu em minha porta. Quer saber? No fundo ainda resta alguma coisa daquele amor juvenil num cantinho do peito.

– Ai que lindo! Assim não vale. Não mexa com meus sentimentos. Hoje você está com o cão atazanando. Fique quieto menino. Você é um homem casado.

– Menina, sempre fui louco e tarado por você. Vou lhe confessar: Quando você tinha 14 anos já era moça feita e ia lá para casa brincar com minhas irmãs, ainda não namorávamos. Eu inventava de brincar de professor, deixava cair o lápis e ficava olhando por baixo da mesa suas maravilhosas pernas, você sempre de calcinha branca.

– Meu Deus!!! Começamos a namorar nos meus 15 anos. Naquele tempo namorado não transava, mas você era adiantado nos agarrados e quando entrávamos no mar da praia da Avenida eu ficava louca. Nosso namoro era considerado escandaloso para época. Menino sem juízo!

– Você era minha paixão. Quantas vezes eu me possui em sua intenção!

– Eu também, em muitas noites insones pensava em seus carinhos.

– Quando você voltou do Amazonas noiva de um médico do Rio de Janeiro, deu-me uma tremenda dor de corno, com todo o ciúme do mundo. Nesse dia fui à zona de Jaraguá e tomei o maior porre.

– Engraçado, no dia de meu casamento eu estava feliz, confesso, mas fiquei lhe procurando entre os convidados, não lhe vi. Todas as viagens que fiz a Maceió eu tinha uma vontade louca de lhe ver. Passei minha vida no Rio, gosto de lá, meus filhos também. Criei raízes. Embora eu tenha me machucado com o ex-marido, continuo minha vida em Ipanema. Venho a Maceió para passear e rever amigos.

– Que tal me rever?

– Ei! Estamos chegando, olhe que mar lindo de minha terra!

– Não fuja da conversa. Quero lhe ver amanhã. Vamos almoçar juntos?

– Almoçar? Toda Maceió vai saber! Você está louco?

– Num local discreto. Conheço uma suíte linda em Jacarecica.

– Você sempre objetivo. Menino impossível. Que tal me pegar às três da tarde defronte o coreto da Avenida. Está bom?

– Está ótimo!

O avião aterrissou, Leopoldo segurou a mão de Silvinha e cochichou em seu ouvido.

– Vá de calcinha branca, por favor. São mais de 40 anos de espera!

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MARCOS ANDRÉ - DADO & TRAÇADO

NÃO QUERO MAIS ANDAR NA CONTRAMÃO

O título do texto é condizente com a experiência vivenciada por mim e muitas outras pessoas. Lógico que nas devidas proporções, pois, enquanto a minha contramão foi ideológica, a de Raul foi da quimiodependencia. Na letra da música do 14º álbum da lavra do maluco Beleza, ele dá um parâmetro de como o sujeito cansa de viver uma ilusão e decide dar um BASTA!

O ENTUSIASMO JUVENIL

Ser jovem e não ser revolucionário é uma contradição genética..., assim preconizava o “revolucionário” médico argentino Che Guevara, em uma de suas frases de efeito.

Carreguei essa “assertiva genética” por toda minha juventude. Desde a luta, como estudante, pela “redemocratização”, quanto em passeatas ao lado de Dom Helder Câmara, reivindicando a redemocratização, gritando palavras de ordem e pedindo diretas já.

Admirador do grande dramaturgo Nelson Rodrigues, torcia o nariz para algumas de suas declarações. Questionava: “o que esse coroa tem contra os jovens? Ele é cético demais para com a juventude”.

Disse ele: “o jovem, justamente por ser mais agressivo e ter uma potencialidade mais generosa, é muito suscetível ao totalitarismo. A vocação do jovem para o totalitarismo, para a intolerância, é enorme. Eu recomendo aos jovens: envelheçam depressa, deixem de ser jovens o mais depressa possível; isto é um azar, uma infelicidade”.

Depois, foi bem mais incisivo: “eu amo a juventude como tal. O que eu abomino é o jovem idiota, o jovem inepto, que escreve nas paredes ‘É proibido proibir’ e carrega cartazes de Lênin, Mao, Guevara e Fidel, autores de proibições mais brutais”.

PQP!!! E eu riscava em muros e paredes: “é proibido proibir”… Né foda?

Santa tabacudice, como diria Berto.

Membro atuante no sindicato dos bancários – braço da CUT – trabalhei intensamente pelo partido que, até então, na época, apresentava melhor chance de chegar ao poder, via PT, de Lula.

Foram três frustrações seguidas: Lula perdeu em 1989 para Collor, e outras duas vezes, em 1994 e 1998, contra FHC.

A recompensa veio em 2002. Chegara ao poder o homem e o partido dos sonhos de todo brasileiro patriota. Enfim, a Nau à deriva, Brasil, seria dirigida por uma tripulação honesta, “diferente”, anticorrupção. O novo governo iria abraçar os mais pobres em detrimento dos mais abastados. Haveria fim o apadrinhamento, seria estancada toda funesta roubalheira. Uma nova filosofia seria implantaria. Era chegado a hora da moralidade e honestidade de que tanto ansiava o povo. Assim o engodo penetrava nas entranhas das mentes dos News Esquerdistas – bulhufas, se era de linha marxista stalinista, leninista, trotskista, castrista, maoísta.

O importante, no “laboratório” de ideologização do sindicato, era a autoproclamação de salvadores dos desvalidos, nos rotulamos de moralistas, libertários, guardiões contra a desigualdade, exploração e opressão do trabalhador. Ser de esquerda é ter certeza de que possuímos uma visão mais ampla de mundo, de esperança e de luta por uma sociedade mais justa. Globalista, multicultural…

Assim, Inexoravelmente, nossos princípios eram incompatíveis com a ideia da propriedade privada e, portanto, ao capitalismo.

Minha vibração ia ao ápice quando ia ao encontro de “perseguidos” políticos que se socorriam ao consulado da extinta Tchecoslováquia (país pertencente a cortina de ferro controlada por Moscou), localizado no 9º andar do edifício AIP, na avenida Dantas Barreto, no bairro de São José, no centro do Recife.

DESENCANTO

Fui sacudido por uma lista infindável de contrassensos (ideológicos) e escândalos, passíveis de serem descritos apenas em ordem numérica, que iam desde o assassinato de Celso Daniel, até o escândalo da Quebra do Sigilo Bancário do Caseiro Francenildo. Me causava revolta ver o mesmo comportamento nos nossos salvadores da pátria

Daí, você começa a pensar numa série de absurdos (quando ainda está em tempo), como o exemplo da condenação de Lula – O cara tá preso por corrupção e querem que eu repita “ad nausean” o mote: foi condenado sem prova;

– defendemos o Hamas, que é um grupo terrorista;

– defendemos o Battisti, o assassino confesso;

– defendemos os traficantes e “soldados” nos morros, e que portam fuzis;
– defendemos a causa feminista, mas defendemos o islã, que apedreja e mata mulheres e gays;

– defendemos o aborto, que é o assassinato de bebês indefesos;

– defendemos e fazemos apologia ao assassino Maduro, o ditador da Venezuela socialista.

Depois, você desanda em elucubrações – em 1985 o PT orienta seus integrantes a votarem nulo na eleição indireta de Tancredo Neves para a Presidência da República, a legenda expulsa três deputados que votaram no mineiro.

– 1988 Lula e o PT rejeitam o texto final da Constituição Federal.

– 1993 Itamar Franco convoca os partidos para um governo de coalizão. O PT fica contra.

– 1994 A legenda se posicionou contra o Plano Real, responsável pela estabilização econômica do País.

– 1996 O PT não apóia o instituto de reeleição. Hoje, a maioria do partido é favorável.

– 1998 O partido votou contra a privatização da telefonia. (todo mundo tem celular, hoje)

– 1999 O PT se manifesta contrário à adoção do câmbio flutuante e metas de inflação.

– 2000 O partido se mobiliza contra a Lei de Responsabilidade Fiscal

– 2001 Lideranças criticam o Bolsa Escola e outros programas sociais do governo de Fernando Henrique Cardoso.

Quando chega ao poder, em 2003, Lula usa esses mesmos programas como parâmetro para implementar o Bolsa Família e outros programas, apenas mudando os nomes e se autoproclamando criador de tais “benefícios”. JOÃO SANTANA fez a ideia entrar nas cabecinhas ocas.

A MAIOR DECEPÇÃO

A mais dolorosa e vergonhosa decepção que tive, foi quando nos jogos Panamericanos/RIO/2007, dois boxeadores cubanos, Guillermo Rigondeaux e Erislandy Lara, suplicaram asilo político, sumariamente negado.

Foram repatriados de volta a Havana, em avião da Venezuela de Chávez. Neste horrendo episódio, o canalha do ministro da justiça Tarso Genro, declarou na imprensa que os dois boxeadores tinham solicitado a volta à pátria.

Por essas e outras é que, há muito, deixei de andar na contramão.

E o desencanto com a filosofia socialista tem aumentado a cada novo escândalo do PT e penduricalhos.

A razão acima de todo…e de todos.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ARAEL COSTA – JOÃO PESSOA-PB

Bom dia

Participando, o prazer será dela, da campanha de restauração da virgindade de Chupicleide.

Aqui vai minha cota.

Abraços,

R. Pra restaurar a virgindade de Chupicleide, eu acho que vai ser meio difícil.

Ainda mais agora que ela está doidinha pra arreganhar a tabaca pro Neymar.

Brigadão pela doação, meu caro.

Graças a vocês é que esta gazeta escrota se mantém no ar.

Abraços e bom final de semana.

DALINHA CATUNDA - EU ACHO É POUCO!

ROLA X PERIQUITO

Qualquer semelhança com a vida dos racionais é mera coincidência

Nesses tempos atuais
Amigo vou lhe contar
Tem coisa que não entendo
Também não posso explicar
Pois até a natureza
Exibe sua aspereza
Quando resolve brigar.

Um periquito vadio
Que gostava de dinheiro
Resolveu grana ganhar
Não aqui, no estrangeiro,
Começou a atuar
E viu seu plano vingar
Foi esperto e foi ligeiro.

Para uma pomba lesa
O periquito ligou
Mas a rola vaidosa
Burra nem desconfiou
Que o tal do periquito
Todo sarado e bonito
Um bom golpe planejou.

O periquito esperto
Enviou fotografia
Mostrou que era capaz
De encarar uma porfia
E a pomba encantada
Logo caiu na cantada
Sem saber o que fazia.

Periquito decidido
Resolve a situação
Levou a pomba abestada
Direto para o colchão
Foi pena pra todo lado
Fizeram amor adoidado
Até rolaram no chão.

O periquito contente
Deu conta do seu recado
A rola baixou a cabeça
Quando viu o resultado
É hoje ave acuada
Porque vai ser depenada
O golpe foi confirmado.

Após contar essa saga
Pasmada eu aqui medito:
Pois tem coisa que me assombra
Eu vejo e não acredito
Só sendo coisa do diabo
É pomba tomar no rabo
Por comer um periquito.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JOSÉ NARCELIO - AO PÉ DA LETRA

CRUDIVORISMO, A DIETA

Falar em crudívoro é como falar em vegetariano, carnívoro, mamífero, lactovegetariano, pessoas adeptas de qualquer filosofia alimentar. O crudivorismo ou “alimentação viva” é uma doutrina alimentar em que os alimentos são de origem agrícola, porém consumidos crus.

Ser crudívoro é abster-se de carboidratos, glúten e lactose. Desde já, adianto não ser eu um crudívoro nem manter qualquer pretensão de sê-lo algum dia. Vamos e venhamos concordando ou não é interessante nos inteirarmos de como funciona a dieta… Ops! Desculpem-me! Quero dizer a tal doutrina alimentar.

Nesse catecismo nada pode ser cozido ou desidratado para evitar a perda de nutrientes. A base da alimentação são frutas frescas, sementes, vegetais, grãos germinados ou brotos de trigo, arroz, cevada, centeio, aveia, lentilha, ervilha, grão de bico e algas. Nada de utilizar condimentos.

A maior parte das calorias numa dieta crudívera vem do açúcar das frutas. Azeite, oleaginosas não assadas e seus derivados, além de legumes e verduras complementam o aporte energético.

Na visão científica os alimentos crus são ricos em enzimas. As enzimas, por sua vez, são as responsáveis pelo transporte dos nutrientes às nossas células. Daí se afirmar ser a alimentação crua uma alimentação enzimática – ao cozermos os alimentos destruímos suas enzimas.

Pergunto: não será mais uma tendência ocasional? Na verdade todos esperam obter de uma alimentação equilibrada o bem-estar para uma vida saudável ou um corpo sarado e sadio para dele se orgulhar. Mas, este é também um dos objetivos das dietas: recuperar o perfil e as medidas perfeitas de antigamente.

Quem não ouviu falar das dietas da sopa, das proteínas, do homem das cavernas, da mastigação, do ovo cozido, da Lua, do limão ou da papinha de neném. Todas vão e voltam com uma facilidade incrível provocando o efeito sanfona no corpo do indivíduo. Isso mesmo, o vai e vem de emagrecer e engordar.

Passar a vida inteira comendo alimentos crus deve ser uma chatice. O indivíduo depois de ter provado pratos saborosos cozidos, assados ou refogados, suspender repentinamente a rotina para enveredar pelo crudivorismo não é fácil. E nada de dizer que a boa gastronomia não é um dos prazeres da vida, porque não cola.

E quanto aos riscos de intoxicação ou contaminação por substâncias nocivas contidas no cultivo dos vegetais? Sim, esse negócio de usar vinagre, lavar com esponja ou deixar de molho em água é balela, pois não retira coisa alguma dos agrotóxicos dos alimentos.

Entendo que a melhor opção para mim é continuar integrando a classe dos onívoros: comer um pouco de tudo com ou sem condimentos, e assando, cozinhando ou refogando os alimentos, quando for necessário.

Concordo com o filósofo americano, Alan Levinovitz, que disse o seguinte: “Comer não é somente um hábito para ser saudável e manter o peso. É também divertir-se com amigos, desfrutar cultura e história. Não podemos transformar os alimentos em remédios”.

PENINHA - DICA MUSICAL