CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

CÍCERO TAVARES – RECIFE-PE

Papa Berto,

Nada mais justo do que esse colunista do JBF prestar essa singela homenagem ao maior gênio da MPB, Chico Buarque, pela catilogência de saber fundir romance, músicas e letras dentro de um universo harmônico que só os grandes gênios universais possuem o dom de fazê-lo.

Por ter sido contemplado com o Prêmio Camões de Literatura pelo conjunto de sua obra, sendo escolhido por unanimidade pela 31.º edições do Júri, o que inclui, além dos romances “Leite Derramado”, “Benjamin”, “Budapeste”, suas letras de música e peças.

Prêmio esse só concebido, em 2016, a outro romancista genial, Raduan Nassun, autor de novelas, contos e o clássico “Lavoura Arcaica”, seu primeiro e único romance, que narra história do jovem André no meio rural arcaico que resolve abandonar a namorada para ir morar numa cidade pequena, fugindo da vida asfixiante da lavoura.

Por tudo que representa para o Brasil, como maior letrista da MPB, poeta, dramaturgo e excelente romancista, merece os encômios desse colunista.

Parabéns, Chico Buarque, por nos honrar mais uma vez com essas construções antológicas.

R. Pronto, meu caro colunista fubânico.

Tá publicado.

A opinião deste Editor sobre esta premiação foi dada na postagem “Até aqui cheguei“.

PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

SONETO DA MORTE SEM SUSTO – João Carlos Teixeira Gomes

Minha única certeza é minha morte.
Virá festiva, com pendões vermelhos,
Provocadora com seu riso forte.
Mas me verá de pé, não de joelhos.

Pode vir de mansinho a forasteira
Ou numa orgia de ossos e fanfarras,
Com dois laços de fita na caveira
E o ágil chocalhar das finas garras.

Eu que os mares amei, e o sol tirânico,
Os flavos grauçás de dorso enxuto,
As moças de maiô e o vento atlântico,

Sereno hei de esperá-la em meu reduto.
E assim ao ver-me, sem sinal de pânico,
A própria morte se porá de luto.

Colaboração de Pedro Malta

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

MAURI – SÃO PAULO-SP

Olá Grande Guru

Gostaria de ajudar na campanha iniciada nas escolas de Portugal para preservação da natureza.

As crianças com a orientação dos professores estão pintando as sarjetas ou bueiros a frase “O MAR COMEÇA AQUI” para lembrar as pessoas que o lixo jogado nas ruas sempre chega no mar.

Pode ser no interior da amazônia, no agreste que também um dia vai parar no mar poluindo tudo.

Vejam o site sobre a campanha da prefeitura de Cascais clicando aqui.

JESSIER QUIRINO - DE CUMPADE PRA CUMPADE

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

SALVADOR PEDROSA – SOBRAL-CE

Caro Berto,

Uma pequena ajuda para a nossa gazeta!

R. Não existe ajuda “pequena”, meu caro.

Todas são grandiosas e de muito proveito pra esta gazeta escrota.

De modo que qualquer depósito será sempre muito valioso.

Qualquer que seja o valor doado.

Polodoro chega relinchou de tanta alegria.

O capim dele estava racionado, devido a alta de preços.

Agora ele pode encher o bucho com mais disposição. 

Brigadão pela audiência e pela força!

Espero que o seu gesto sirva de exemplo para os miscos, os amorgados, os pirangueiros, os somíticos, os pães-duros, os avarentos, os sovinas, os unhas-de-fome, fazendo-os abrir os corações e os bolsos, de modo que o nosso Departamento de Contabilidade possa pagar os salários atrasados de Chupicleide.

Aproveito a oportunidade para mandar um grande abraço a todos os colunistas e leitores que fizeram doações neste mês de maio. Vocês são porretas!

Polodoro relinchando de alegria com as doações de colunistas e leitores que ajudam a comprar o seu capim

JOSÉ PAULO CAVALCANTI - PENSO, LOGO INSISTO

POBRES CORREIOS

Nossos Correios nasceram, em 1663, como Correio-Mor das Cartas do Mar. E, hoje, não precisam competir com ninguém. Por conta de monopólio, garantido por Lei (6.538/78), para “cartas, cartões-postais, correspondências agrupadas e telegramas”. Só que os prejuízos se acumulam. Feudo histórico do PTB, passou a ser também do PDT, do PMDB e, sobretudo, do PDS de Kassab. Sendo mesmo natural que tenha, hoje, 40 indiciados (no STF) por corrupção. 40, uma coincidência que lembra Ali Baba. Com perdas grandes, claro. Só no Postalis, 6 bilhões. E com muito baixa qualidade nos serviços. Semana passada, em 13/5, por exemplo recebemos, na Academia Pernambucana de Letras, carta de Lenny Amorim. Simpática, desejando bons anos. Postada em 28/12/2018 (guardei o envelope carimbado). Atraso de 136 dias. Pode? Meio ano, daqueles votos, já se foi. Fora problemas nas encomendas. E tanto mais. Peço, aqui, licença para relatar dois casos que aconteceram comigo.

Caso 1. Jogo Tênis. Mas o braço dói, por conta de uma epicondilite. Todo tenista sabe o que é. E nada resolveu. Nem infiltrações (cortisona). Até que Carlos Alberto Saldemberg, grande tenista (este sim!), lembrou que todo o grupo dele jogava com uma raquete “para doentes do braço”. Com uma cruz de hospital, no cabo. Constrangedor, mas fazer o quê? Como não se vende por aqui, tive que buscar nos Estados Unidos. Via Correios. Sofrendo com burocracia, DARF, anúncios. Depois de chegar ao Brasil, foram 34 dias perdidos nessa espera. Mais tarde, precisei comprar outra raquete. E corri dos Correios, claro. Usei o FEDEX (como poderia ter usado UPS, DHL ou outra). No mesmo dia em que a raquete chegou no Recife, reembolsei o FEDEX do DARF que pagou por mim E recebi a raquete. Dá para comparar?

Caso 2. Precisei mandar livro para Edmar Bacha (da ABL). No Rio. Sábado, chego numa agência dos Correios. O funcionário perguntou se havia pressa. Respondi que sim. Ele, pacientemente, explicou que encomendas, postadas no sábado, chegam ao Rio só na quinta/sexta seguintes. Caso tivesse pressa, voltasse para entregar na segunda. Que, neste caso, chegaria terça. Fiz assim. Depois perguntei a mestre Bacha, grande economista que é, como se pode explicar isso. Resposta dele: “Só pelo irresistível desejo, dos Correios, em ser privatizado”. No andar da carruagem, vão acabar tendo esse desejo logo atendido.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ADAIL AUGUSTO AGOSTINI – ALEGRETE-RS

Dom Luiz Berto Fº:

Hoje, vendo uma série de vídeos, no YouTube, me convenci que animais selvagens somos nós, e não eles.

A começar com a gratidão que eles demonstram, ao contrário da maioria de nós que só sabe exigir ajudas e “dereitos”, e uma vez os obtendo, raríssimas vezes, alguém é grato, e ainda quer mais e mais.

É o que justifica a sabedoria popular, no conhecido ditado:

“A gente dá um dedinho e eles, depois, querem o braço”.

Vejamos, pois 2 exemplos, dos muitos sobre a gratidão dos animais.

1º – Reencontro entre um leão e seus amigos humanos em ambiente selvagem:

2º – A história do pinguim que volta todo ano ao Brasil:

E para nós que já perdermos a fé na justiça [a começar pelo $TF, isto é, “$uprema Tramóia Federal”, e a OAB, isto é, “Ordem de Apoio a Bandido$”], infelizmente esse é um juiz municipal [Francesco (“Frank”) Caprio, de Providence (Rhode Island)] e é de lá dos EUA.

Eis 2 vídeos, há muitos, desse exemplo de juiz, um dos mais justos do planeta.

1º – Vários exemplos:

2º – E a surpresa para uma mulher:

Um baita abraço,

Desde o Alegrete – RS,

PENINHA - DICA MUSICAL