PEDRO MALTA - A HORA DA POESIA

ESCÁRNIO PERFUMADO – Cruz e Sousa

Quando no enleio
De receber umas notícias tuas,
Vou-me ao correio,
Que é lá no fim da mais cruel das ruas,

Vendo tão fartas,
D’uma fartura que ninguém colige,
As mãos dos outros, de jornais e cartas
E as minhas, nuas – isso dói, me aflige…

E em tom de mofa,
Julgo que tudo me escarnece, apoda,
Ri, me apostrofa,

Pois fico só e cabisbaixo, inerme,
A noite andar-me na cabeça, em roda,
Mais humilhado que um mendigo, um verme…

Colaboração de Pedro Malta

AUGUSTO NUNES

O CONGRESSO E O RUGIDO DAS RUAS

Nesta segunda-feira, publiquei no Twitter a seguinte constatação: “As manifestações do dia 26 terão significado histórico se provarem que os brasileiros aprenderam a mobilizar-se em torno de ideias. As ruas devem exigir do Congresso a votação, sem delongas malandras, do projeto da Nova Previdência, da Lei Anticrime arquitetada por Sergio Moro e da medida provisória da reforma administrativa, que abrandou a farra dos ministérios”.

Em resposta, descontado um punhado irrelevante de comentários subscritos por cretinos fundamentais, centenas de brasileiros informaram que são exatamente essas as bandeiras que pretendem desfraldar no próximo domingo. Abstraídos os cretinos de sempre, os manifestantes reiteraram que não pretendem fechar o Congresso, nem exterminar o Supremo, muito menos transformar Jair Bolsonaro num Nicolás Maduro na contramão. O que eles querem é que deputados e senadores façam alterações que não desfigurem o projeto de Paulo Guedes, e removam de vez essa pedra gigantesca colocada no caminho que encurta a chegada ao porto seguro.

Declarações infelizes e tuítes desastrados do presidente da República, é verdade, dificultam o diálogo com o Legislativo. Mas também é inegável que não melhoram em nada as relações entre os dois Poderes a estupidez do PT ─ que aposta no quanto pior, melhor ─ e a batalha travada pelo Centrão pela captura de cargos, verbas e cofres públicos.

Não existe democracia sem Poder Legislativo. Mas a democracia será sempre uma caricatura com um Congresso infestado de delinquentes decididos a anular a revogação de privilégios contida na nova previdência, bloquear o aperfeiçoamento do combate à corrupção e ao crime organizado desenhado pela Lei Anticrime de Sergio Moro e emparedar o Executivo com a recriação de ministérios inúteis extintos pelo atual governo.

Há poucos dias, manifestações contra quaisquer reformas foram tratadas como outra evidência de que o Brasil é um país democrático. Merecem o mesmo tratamento as manifestações do próximo domingo, desde que se limitem a desfraldar as bandeiras da nova Previdência, da Lei Anticrime e da reforma administrativa.

“O Congresso sempre acaba fazendo o que o povo quer”, repetia o gaúcho Ibsen Pinheiro, que presidiu a Câmara durante o processo de impeachment do presidente Fernando Collor. Já começou a fazer: nesta terça-feira, o Centrão resolveu desistir da ressurreição de ministérios e aprovar a MP que reformou a administração federal. Uma das três grandes reivindicações já foi atendida. As outras serão assim que deputados e senadores ouvirem o rugido das ruas.

DEU NO JORNAL

O PASTOR E OS PETISTAS

A piada que corre em Brasília:

“O pastor congolês disse que Bolsanaro foi escolhido por Deus.

Já os petistas acham que Lula É Deus.”

* * *

Ceguinho Teimoso é a comprovação na prática desta afirmação aí de cima.

Pra ele, Lula é Deus.

Na procissão abaixo retratada, Ceguinho é o que está à frente, do lado esquerdo, de óculos escuros, ajudando a carregar o andor do seu Deus.

A PALAVRA DO EDITOR

NOVOS ESCUDOS

Chegou ao conhecimento da Editoria do JBF uma informação interessante.

Esta informação diz respeito aos novos escudos que passarão a ser usados pelas Policias Militares de todos os estados, durante badernas estudantis promovidas por universitários brasileiros.

Aquelas zorras desordeiras que eufemisticamente eles chamam de “manifestação”

A esquerdalhada acadêmica, composta sobretudo de petistas, psolistas e comunistas, está apavorada com este novo equipamento.

Vejam só que coisa bárbara:

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

VIOLANTE PIMENTAL – NATAL-RN

Boa noite, prezado Editor Luiz Berto!

Segue o comprovante da doação de maio – 2019, para o JBF,

Um abraço!

R. Muito obrigado pela generosidade, minha cara colunista fubânica.

É graças às doações de vocês, colunistas e leitores, que esta gazeta escrota se mantém no ar.

Atualizada o dia todo e todos os dias.

De domingo a domingo.

Estas doações pagam as despesas com hospedagem, manutenção e assistência técnica.

E, além do mais, servem pra pagar os salários sempre atrasados de Chupicleide.

Nossa querida secretária de redação está aqui toda se rindo-se de tanta alegria e mandando um grande beijo pra você! 

DEU NO JORNAL

COMPANHEIROS DE CADEIA UNIDOS PELA LEITURA

* * *

Muito interessante esta informação publicada pela revista IstoÉ.

Quem quiser ler a matéria completa, basta clicar aqui.

Segundo apurou a Editoria do JBF, o também prisioneiro Lula, condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, já se mostrou interessado em adquirir os livros que serão vendidos pelo seu companheiro de cadeia.

Conforme foi informado pelo serviço de Relações Públicas Carcerárias, um órgão subordinado ao Diretório Nacional do PT e que cuida da multidão de ilustres petistas presos, Lula tornou-se leitor voraz depois que foi enjaulado.

Até pra ir cagar ele só vai com um livro.

Segundo informou Gleisi Hoffmann, a gerenta do bando, só neste mês de maio Lula já devorou Cem Anos de Solidão, Em Busca do Tempo Perdido, O Processo, Crime e Castigo e A Peste.

Todos estes títulos foram por ele mesmo escolhidos, segundo Gleisi.

A Editoria do JBF apurou que atualmente Lapa de Corrupto está terminando de ler Memórias do Cárcere, de Graciliano Ramos.

Detalhe importante: lendo com o livro de cabeça pra cima.

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

BARTOLOMEU SILVA – SÃO PAULO-SP

Berto,

acabei de lançar um novo projeto no mercado. Trata-se uma uma loja online de produtos relacionados a tecnologia, mas também tem algumas coisas menos tecnológicas também.

É uma tentativa de ingressar para o mundo dos negócios de gente grande.

Não é fácil, mas vamos na luta.

Todos os produtos são importados e enviados direto para o cliente.

Nós fazemos a intermediação entre o fabricante e o consumidor.

Conto com a ajuda dos colegas para divulgar o link da loja.

R. Bartolomeu é o competente hospedeiro desta gazeta escrota.

É ele o responsável técnico pelo nosso jornal e o homem que faz o JBF ficar no ar 24 horas por dia. Atualizado o dia todo e todos os dias.

De modo que é com muita alegria e satisfação que saúdo esta sua iniciativa de criar uma loja online.

Tenho certeza que o empreendimento será vitorioso.

Pode contar com a visita dos leitores fubânicos à sua página, meu caro Bartolomeu.

Quem quiser acessar pra conhecer e dar um passeio, basta clicar na imagem abaixo.

CHARGE DO SPONHOLZ

DEU NO JORNAL

DEU NO JORNAL

“ATÉ AQUI CHEGUEI”

O cantor e escritor brasileiro Chico Buarque é o vencedor do Prêmio Camões 2019, um dos maiores reconhecimentos da literatura em língua portuguesa. O anúncio foi feito nesta terça-feira (21) na sede da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro, pela presidente da instituição, Helena Severo.

A 31ª edição do prêmio, organizado pelos governos de Portugal e do Brasil, dá ao vencedor 100 mil euros.

O júri responsável pela escolha, formado por representantes do Brasil, de Portugal e de países africanos de língua oficial portuguesa, anunciou o ganhador após reunião de quase duas horas.

* * *

Prêmio merecido. Muito merecido mesmo.

A excelência da obra musical de Chico Buarque, infinitamente superior à sua obra literária, é um fato incontestável, sem qualquer sombra de dúvida.

A genialidade de suas composições está acima, muito acima, da merda que é o seu posicionamento político-ideológico, retrogrado, arcaico, luleiro, petralha, paleolítico, fedorento.

Um artista que ainda acredita na inocência de Lula, já está dizendo que tipo de bosta vermêia-istrelada traz entre as duas orelhas.

Depois de ganhar este importante prêmio, agora só falta a Chico Buarque seguir o exemplo do ganhador do mais importante prêmio literário do mundo, o Prêmio Nobel de Literatura, concedido ao português José Saramago em 1998.

Saramago foi único escritor de língua portuguesa, até agora, a receber esta consagração planetária.

Um escritor cuja obra passei a admirar desde que li “Memorial do Convento“, nos anos 80 do século passado, pela sua peculiar e inovadora maneira de escrever ficção.

Sua obra até hoje tem um lugar especial aqui na minha biblioteca.

O esquerdista Saramago, no ano de 2003, ao enxergar o horror do comunismo na ilha escravizada por Fidel Castro, teve um gesto de honestidade e lucidez, reconhecendo a merda onda estava metido.

E rompeu com a tirania do regime castrista depois de uma onda de fuzilamentos e repressão a dissidentes pelo regime tirânico daquela ilha infeliz.

Clique aqui e leia uma das muitas matérias que foram feitas sobre o assunto.

Saramago abandonou o esgoto político onde estava metido escrevendo a célebre frase:

“Até aqui cheguei.”

Uma frase que estava contida numa carta publicada no jornal El Pais.

Ou seja, não dá mais pra aguentar. “Até aqui cheguei.”

Ele poderia ter acrescentado fubânicamente: “Não sou ceguinho“.

Saramago comportou-se bem ao contrário da postura atual de Chico Buarque, que poderia proclamar, em entrevista à Folha de S.Paulo e sem medo de errar, esta declaração:

“Até aqui continuo política e ideologicamente cego, surdo, radicalmente obtuso e totalmente desligado da realidade do mundo.”

José Saramago e Chico Buarque: o português curou-se de uma cegueira que até hoje é a doença mais grave na vida do brasileiro