MARIGHELLA, WAGNER MOURA E A DISTOPIA

Percival Puggina

Semana passada, num voto que antes da metade já está sendo classificado como “histórico” por figurinhas do recinto, Celso de Mello, ministro do STF, foi na esteira de Simone Beauvoir para sustentar que não se nasce mulher. Tudo se passaria, creio, como se a linda e cobiçada fêmea da nossa espécie viesse ao mundo com o destino dos pés de couve, pronta para ser cozida, gratinada, frita, ou flambada. Feita ao gosto da freguesia. Agora, inteiro-me sobre o filme que Wagner Moura rodou exaltando Marighella e isso ajudou a fixar, em mim, a ideia de que há uma distopia convivendo conosco. Utopia já é coisa complicada. Utopia pelo avesso, então…

Entendam-me. Wagner Moura pode filmar a história que quiser. Eu exercitarei minha liberdade de não assistir. Pode fantasiar quanto entender sobre esse terrorista, autor do Minimanual do Guerrilheiro Urbano. Pode apresentá-lo branco, negro ou ruivo, como lhe convier, que eu não me importo. Esquerdistas de meu convívio explicaram-me que isso não é desonestidade intelectual, mas “liberdade de criação artística”. Meu espanto é que denotaria preconceito. Tudo isso eles me falaram enquanto conversávamos, eu no meu quadrado e eles ali, à porta de sua distopia.

Quando reconhecemos o que estou descrevendo, que muitos brasileiros vivem num mundo imaginário, etéreo, desconfigurado, os contornos da realidade se alargam. A gente começa a entender por que o auditório de Wagner Moura, distante 10.572 quilômetros da carceragem de Curitiba, ecoou frases de ordem por Lula livre, por que Jean Wyllys foi a Berlim e por que era imperioso mencionar Marielle Franco. Graças à distopia, a OAB é contra Sérgio Moro e os ministros do STF fazem o que fazem. Ela também permite entender o motivo pelo qual crimes praticados por bandidos reais são minimizados pelos mesmos políticos e magistrados que buscam criminalizar a incivilidade de cidadãos comuns, posto que efetivos crimes motivados por preconceito, crimes já são.

A distopia, espreitando à sua porta eu vi, funciona como um grande ventre moedor da história. A tragédia que a esquerda brasileira produziu no Brasil vira um sonho de liberdade que morreu na eleição de outubro passado. É a tristeza imensa das bandeiras vermelhas! Entram fatos e saem símbolos, aqueles são digeridos para que estes sejam produzidos. Mundo afora, milhões de cadáveres são incinerados no anonimato para que uns poucos, os escolhidos, sirvam aos poderes distópicos. Por isso, o filme Trotsky os incomodou tanto, como escrevi em “Trotsky, por que os comunistas detestam o filme”. Bibliotecas inteiras ganham a lixeira do desprezo para que raros fatos, também eles escolhidos, trabalhados na ourivesaria das versões, se convertam em discurso, aula, sermão, vídeo, slogan e filme (sempre à custa de quem vai ser enganado por tais peças).

Na mesa dos acontecimentos, sabe-se que todas as dezenas de organizações que atuaram na clandestinidade contra os governos militares, entre elas a ALN de Mariguella, lutavam pela instalação no país de um regime comunista cuja vitória era buscada com instrumentos de guerrilha e terrorismo. As palavras democracia e liberdade, hoje tão apaixonadamente pronunciadas quando há referências ao período, eram solenes ausências, desprezíveis plataformas burguesas que não apareceram sequer quando os sequestradores do embaixador norte-americano obrigaram o governo a autorizar a leitura de um manifesto em cadeia nacional de rádio e TV. Uma oportunidade de ouro para afirmar compromissos com democracia e liberdade! No entanto, nenhuma dessas palavras é mencionada. O longo texto só fala em luta, assaltos, guerra e violência revolucionária.

Por isso, nunca houve o mais tênue apoio popular às organizações guerrilheiras e terroristas que hoje produzem esses memoriais distópicos de realidades e motivações que nunca existiram. Não é por acaso que o regime cubano sempre foi uma referência e que, mesmo depois de criar um inferno na Venezuela, o “bolivarianismo” permanece no altar das devoções.

3 Comentários!

BOTARAM NO FURICO DOS PÁSSAROS

Paulo Vieira de Souza, operador financeiro ligado ao PSDB, foi preso em São Paulo nesta terça-feira (19), na 60ª fase da Operação Lava Jato. Alvo de prisão preventiva, está preso na Superintendência da Polícia Federal de São Paulo.

Agentes também cumpriram mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao ex-senador pelo PSDB Aloysio Nunes Ferreira Filho, suspeito de receber propina da Odebrecht.

* * *

Ué… Que coisa estranha.

Eu pensei que a Lava Jato só perseguisse e prendesse gente do PT.

Tão mexendo até no bico de um tucano de altíssima plumagem, como é o caso de  Aloysio Nunes

Vôte!

Tô esperando a nota de protesto de Gleisi Hoffmannn contra mais uma arbitrariedade da Lava Jato.

E aguardo, também, um veemente protesto dos militantes dos movimentas contra a discriminação racial, já que o tucano preso, o Paulo Vieira de Souza, é mais conhecido como Paulo Preto.

Isto é perseguição odiosa contra a negraiada!!!

Paulo Preto, um tucano de penas afrodescendentes

Deixe o seu comentário

BAIRRISMO PERNAMBUCANO

Eu tô orgulhoso que só a porra!

Nestes últimos dias, e até o dia de hoje, Pernambuco está sendo destaque no Brasil inteiro, em tudo que é noticiário de jornal, rádio e televisão.

Meu bairrismo foi às alturas!!!

Acontece que o prefeito de Camaragibe, uma cidade que é emendada aqui com o Recife, virou celebridade nacional por ter dado ordens aos funcionários da prefeitura para comparecer ao desfile do bloco carnavalesco Canário Elétrico, no qual sua noiva seria o destaque.

Ordens severas com ameaças de retaliação aos que não comparecessem.

Na foto abaixo, a noiva folião aparece ao lado do noivo prefeito:

Ela usa na cabeça um enfeite que se assemelha a um chifre vastamente engalhado, brilhando com abundância na riqueza do amarelo-ouro.

Mas, segundo apurou o Departamento de Assuntos Corníferos do JBF, quem deveria estar usando este adereço chifrístico não era ela…

Além do anel de noivado, a ilustre carnavalesca ostenta também o título de Secretária Municipal.

É coisa pra caralho!!!

Caralho municipalístico.

Isto é a República Federativa de Banânia em estado puro!!!

No vídeo abaixo, temos a história contada em todos os seus detalhes.

E no mesmo vídeo, fechando a postagem, uma análise do Prof. Marco Antonio Villa.

2 Comentários!

RICOS E PODEROSOS ENGAIOLADOS

O presidente da Confederação Nacional da Industria (CNI), Robson Braga de Andrade, é um dos 10 alvos de mandados de prisão temporária que estão sendo cumpridos pela Operação Fantoche, deflagrada na manhã desta terça-feira (19) pela Polícia Federal.

Todos são acusados de crimes contra a administração pública, fraudes licitatórias, associação criminosa e lavagem de ativos.

Robson Braga de Andrade, presidente da CNI

* * *

Eu tinha que viver o bastante pra presenciar uma coisa assim.

O chefão da indústria nacional preso por bandidagem.

Parabéns para a Operação Fantoche.

Sem contar um ex-presidente da república vendo o sol nascer quadrado na acolhedora Curitiba. 

Que bom!!!

O Brasil mudou mesmo.

Depois da Lava Jato, estou ansioso pra que chegue logo a Operação Lava Toga.

3 Comentários!

OPÇÃO PREFERENCIAL POR PICA GRANDE

Em Berlim, Jean Wyllys diz que recusou asilo político da França e quer ficar na Alemanha.

Ex-deputado revelou que está morando na capital alemã, onde pretende obter bolsa de doutorado.

* * *

Asilo político” só podia ser mesmo coisa de baitola zisquerdóide banânico.

Vai arranjar uma lavagem de roupa, vagabundo idiota!

Na verdade, segundo apurou o JBF, Jean Aero Wyllys preferiu a Alemanha e não a França porque descobriu que os alemães tem a pica maior que os franceses.

Ela vai fazer doutorado cuja tese terá o título de Estudo Cuzífero sobre Comprimentos Cacetíferos em Todos os Continentes.

Dilma Peidona será a orientadora da tese de doutorado de Jean Aero Wyllys

3 Comentários!

SONETO DO PAU DECIFRADO – Bocage

É pau, e rei dos paus, não marmeleiro,
Bem que duas gamboas lhe lobrigo;
Dá leite, sem ser arvore de figo,
Da glande o fructo tem, sem ser sobreiro:

Verga, e não quebra, como zambujeiro;
Oco, qual sabugueiro tem o umbigo;
Brando às vezes, qual vime, está comsigo;
Outras vezes mais rijo que um pinheiro:

À roda da raiz produz carqueja:
Todo o resto do tronco é calvo e nu;
Nem cedro, nem pau-sancto mais negreja!

Para carvalho ser falta-lhe um U; [carualho]
Adivinhem agora que pau seja,
E quem adivinhar metta-o no cu.

1 Comentário

PEIDONA NA ÁSIA

Acidente com vaca atrapalha inauguração de trem-bala na Índia

O trem mais rápido da Índia começou a funcionar neste sábado (16/2), mas a viagem teve que ser suspensa rapidamente após o meio de transporte bater em uma vaca, um dia depois da solene cerimônia de inauguração protagonizada pelo primeiro-ministro, Narendra Modi.

O Vande Bharat Express, construído na Índia, cobre a linha Nova Délhi-Varanasi.

Modi e a comitiva inaugural viajaram da capital para Varanasi na sexta, mas neste sábado, na viagem de volta, o trem atropelou uma vaca, deixando o transporte de quatro vagões sem luz, além de danificar o sistema de frenagem, segundo os ferroviários indianos.

* * *

Ué…

Que danado é que Dilma Rousseff tava fazendo na Índia???

A agenda da Vaca Peidona, nossa ex-presid-Anta, deve ser do conhecimento dos contribuintes.

“Larga das minhas patas, JBF. Eu posso peidar em qualquer lugar do mundo”

1 Comentário