DEU NO JORNAL

HOJE É DIA 13

O ministro Sergio Moro decidiu que é hora de endurecer as regras de visitação para presos de penitenciárias federais de segurança máxima.

As visitas, conforme propõe a mudança, só serão realizadas em parlatório, ou seja, com um vidro fazendo a separação entre visitante e preso, tendo a comunicação por interfone. Outro modo de visitação será a vídeo conferência. As mudanças foram previstas em uma portaria publicada hoje pelo governo e assinada pelo ministro.

A portaria também define que as visitas serão destinadas exclusivamente para a manutenção de “laços familiares e sociais” e deverão ocorrer “sob a necessária supervisão”.

A permissão de visita em parlatório só será dada a “cônjuge, companheira, parentes e amigos”. Detentos que tenham firmado acordos de delação premiada também poderão receber visitas sociais no pátio. Aos demais, no entanto, só será permitido solicitar visita no pátio após 360 dias ininterruptos de ótimo comportamento.

* * *

Aguardemos os protestos das organizações criminosas brasileiras contra esta magnífica cacetada de Moro.

Gleisi Amante Hoffmann deverá convocar o Diretório Nacional do PT ainda hoje (Dia 13!!!!!).

A cópula da quadrilha irá bradar sua desaprovação a esta pajaraca de 17 polegadas que o governo enfiou no furico da bandidagem.

Esta excelente notícia merece ser comemorada com uma salva de fogos. 

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JOSÉ CLAUDINO – IPIRANGA DO PIAUI-PI

Meu caro Papa Berto (agora voltou como Papa)

agora sim gostei mesmo de ver a nova cara do JBF.

Meus parabéns e espero que cada vez melhore.

Já vimos na lateral direita os nomes dos colaboradores. Ainda semana passada eu precisava ver algumas coisa do Marcos Mairton e não encontrei, quase lhe perguntava. Mas como vosmincê anda muito ocupado não fui incomoda-lo.

Um grande abraço, deste viciado, (cuidado não é viado)

R. A novela do desmantelo fubânico, envolvendo as mudanças acontecidas nesta gazeta escrota, está quase concluída.

Tudo se encaminha prum final feliz. Ainda faltam vários ajustes. Mas, chegaremos lá em breve.

Brigadão pela força, seu cabra. Vocês leitores é que são a nossa sustentação.

Um abraço para cada um dos 9.327 habitantes dessa sua tranquila cidade de Ipiranga do Piauí, um acolhedor recanto de mundo deste nosso nordeste imenso.

DEU NO JORNAL

LENTIDÃO BANÂNICA

Enquanto o Brasil levou 1 ano e 7 meses para julgar e condenar Lula só no caso do tríplex, em apenas 2 meses a justiça americana julgou e condenou a prisão perpétua o supertraficante ‘El Chapo’ Guzman.

* * *

Ao contrário de Banânia, bandido lá nos Zistados Zunidos é tratado da maneira que merece.

Tanto na rapidez com que o processo tramita quanto na duração da pena.

Diferença da porra!

El Chapo e El Chato: uma parelha da pesada

DEU NO JORNAL

DEU NO JORNAL

DEU NO JORNAL

DESMANTELO NO RIO

* * *

Esta é a principal manchete de hoje da página G1.

Como se já não bastassem os flagelos políticos, agora o Rio sofre também com os flagelos naturais.

Uma situação dolorosa.

Nossa solidariedade aos habitantes desta magnífica e atormentada cidade.

Uma cidade que, segundo cantava Moreira da Silva nos distantes anos 50, numa música intitulada “Cidade Lagoa“, “ainda é maravilhosa“,

Mesmo com chuvas, águas e enchentes.

JESUS DE RITINHA DE MIÚDO

PENINHA - DICA MUSICAL

CARLOS IVAN - ENQUANTO ISSO

NOTAS

Carlos Ivan

O mal do poder é o vício. O poder atrai, fascina. Gozar as mordomias do poder, induz a pessoa a perpetuar o mandato até a posentadoria, depois de transferir o manto para os herdeiros. Pouco se lixando de que quem paga a farra do bem bom é o povão que, em troca, vive numa pior, sufocado com as dificulades da vida. Como o brasileiro não é chegado a cobranças e renovação, mantém velhos caciques políticos fazendo besteiras no poder. Só levando vantagens e rindo na cara dos infelizes. Inocentes.

* * *
No ano passado, quando projetos de interesse nacional entravam na pauta, o plenário do Congresso esvaziava. A falta de quorum nas sessões deliberativas decepcionava a sociedade. Este ano, espera-se novo comportamento dos parlamentares. Mais um motivo para que a votação seja nominal e aberta. Embora o mandato do deputado não se restrinja somente ao plenário. Mas, como o Congresso é muito caro para o país, pobrezinho, e bonzinho na concessão de férias dobradas, recesso e enforcamento do expediente nos feriados, o eleitor exige mais responsabilidade parlamentar. Mas respeito com o cidadão e menos enroladas.

* * *
Tem muito dinheiro público jogado no lixo. Patrimônios são desprezados ao relento, enferrujando. Como o povo não fiscaliza as irregularidades, sofre calado as consequências na pele. O desleixo de quem devia agir com responsabilidade, lealdade e respeito é condenado. Afinal, o dinheiro do povo, por ser escasso, é sagrado. Tem de ter destino certo para provocar retorno e bem-estar à população.