DEU NO JORNAL

UMA DATA NEGRA

Construir um partido político é um desafio. Uma tarefa que requer convicção, entrega e amor à causa.

Neste dia em que comemoramos os 39 anos do PT é impossível não lembrar com emoção daquelas/es que dedicaram a vida para fundar o maior partido de esquerda da América Latina.

Nascemos das lutas sociais, da resistência democrática e do sonho de organizar a luta da classe trabalhadora.

Depois de quase quatro décadas de história, ainda somos movidas/os pela esperança de formar uma sociedade mais igual, mais justa e mais fraterna.

* * *

Este texto apavorante e surrealista acima transcrito eu copei da página oficial do PT.

Foi escrito por uma vereadora vermêia-istrelada para celebrar os 39 anos de fundação da quadrilha, data que é comemorada no dia de hoje, 10 de fevereiro.

Quem quiser ler a íntegra basta clicar aqui.

Um informante deste blog escroto, que esteve presente às comemorações promovidas pela cópula do partido, me enviou um flagrante exclusivo da festa.

Vejam que lindo:

A alta cópula petralha assoprando a vela em forma de pica; a pica vermêia que em passado recente eles enfiaram no cu da pátria e do povo

Este editor envia votos de muitas infelicidades para o proprietário da quadrilha, atualmente preso em Curitiba por grossa corrupção, bem como para a direção nacional e para todos os filiados, militantes e admiradores da sigla.

Os meus votos estão contidos no vídeo abaixo:

DEU NO JORNAL

IMPEDIMENTO DO CANALHA

O jurista Modesto Carvalhosa, conhecido e respeitado no meio Jurídico nacional, resolveu entrar com um pedido de impeachment de Dias Toffoli, presidente do STF.

Carvalhosa explica que a “quebra de decoro na conduta como presidente do Supremo Tribunal Federal” é um motivo forte o suficiente para que o pedido seja protocolado.

Com a queda de Renan Calheiros, o Senado pode muito bem pautar pedidos de impeachment de ministros do STF.

* * *

Conte com o apoio dos cidadãos de bem deste país, Dr. Modesto Carvalhosa.

A banda decente do Brasil está toda do seu lado.

Este canalha deste Dias Petista Toffoli é uma vergonha!!!!

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

CÍCERO TAVARES – RECIFE-PE

Caro Berto:

Que venha a Lava Toga!

Impressionante como um furtador de processo quando advogado petista, hoje preside a mais alta Corte deste país.

Segundo noticiou o Jornaldacidadeonline, a confissão da conduta bandida do meliante que preside o Supremo Tribunal Federal, Dias Tofolli, à época advogado do PT, “de que furtou um processo de uma determinada vara cível para impedir o cumprimento de uma liminar de reintegração de posse”, é um dos mais abjetos atentados criminosos ao Poder Judiciário.

Nesta segunda, 11/fevereiro/2019, o jurista Modesto Carvalhosa apresenta o pedido de impeachment desse canalha que merece punição exemplar.

Qual será o comportamento do Senado ante tão ignóbil episódio para um sujeito que hoje preside a Corte Maior do País?

Que exemplo moralizador podemos passar para outros países civilizados que não toleram nem o furto quanto mais o autor do furto ser presidente da Corte Maior?

Segue o vídeo da confissão canalha.

R. Meu caro, este vídeo que você nos mandou já saiu ontem aqui neste blog escroto.

Mas é um vídeo tão chocante, revelador e esclarecedor que merece ser repetido.

Repetido muitas e muitas vezes.

Só numa República Banânica feito a nossa é que um militante petista deste nível,  despreparado, imoral, idiota, reprovado em concurso pra juiz de primeira instância, funcionário e baba-ovo de corruptos condenados como Lula e Zé Dirceu, chegaria a botar a bunda numa cadeira do órgão máximo da nossa justiça.

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

A cachorra Xolinha de tabaca arrombada com o vídeo de Dias Petista Toffoli

DEU NO JORNAL

SANGUE NOVO

Susana Cordeiro Guerra, de 37 anos, será a mais jovem presidente da história do IBGE.

Seu nome foi confirmado nesta sexta-feira, depois que o Ministro Paulo Guedes incluiu uma reunião com Susana em sua agenda no Rio de Janeiro.

* * *

O currículo dessa moça, Susana Guerra, é bem fraquinho.

Ela se formou em Harvard e fez doutorado no Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Só isso.

A doutora está no lugar certo, comandando um dos órgãos mais importantes do segundo escalão do governo federal. O órgão que fornece todos os números e dados indispensáveis para tomadas de decisões importantes e fundamentais.

Dona Susana Guerra – que tem um sobrenome coerente com a luta que irá enfrentar -, trabalhava como economista do Banco Mundial e morava em Washington, nos Estados Unidos.

Diz o noticiário que o retorno dela ao Rio, onde fica a sede do IBGE, não será problema, haja vista que a mesma é carioca e viveu boa parte da vida na capital fluminense.

Susana Cordeiro Guerra: diretamente do frio americano para o calor carioca

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

ARMANDO ALMEIDA – SÃO PAULO-SP

Papa Berto, alvíssaras!!!

Quando você deu uma paradinha técnica no seu blog eu te apoiei de mentirinha.

Confesso que sou um viciado nessa merda de blog.

Eu fiquei é desamparado com o encolhimento do dito cujo.

Ainda bem que você deu uma reconsiderada e está voltando aos bons tempos, mesmo sabendo que virão alguns atropelos pela frente.

Creia que você e a doce Aline que carregam esse blog nas costas estão fazendo um bem danado para seus leitores.

Abração para ambos!!

R. Meu caro viciado:

Bem pior do que marido mandado por mulher, é editor mandado pelos leitores.

Planejei fazer uma coisa, mas a chiadeira foi tão grande que eu chega se espantei-se-me todinho. E, acovardado pelas cacetadas, tive que dar uma mudada urgente nos meus planos.

A troca do Jornal da Besta pelo Blog do Berto, conforme expliquei quando a decisão foi tomada, era visando sobrar tempo pra me dedicar ao meu novo projeto literário.

Foram extintas 51 colunas e no lugar delas seriam feitas apenas pequenas postagens, quando me sobrasse tempo e me desse vontade.

O blog atual, segundo o que eu planejara inicialmente, seria atualizada uma vez ou outra e o ritmo de trabalho seria consideravelmente diminuído.

Mas, repito, o muro das lamentações cresceu de maneira considerável. A caixa de mensagens ficou entupida com tantas mensagens de protesto. E eu fiquei acovardado. Se caguei-se-me nas calças.

Até Aline me cutucou:

– Cadê sua palavra? Num vai manter não?

De fato, não consegui manter as coisas do jeito que planejara. As colunas foram voltando aos poucos, o ritmo de trabalho voltou a crescer e a chiadeira diminuiu consideravelmente.

Com a cara mais lavada deste mundo, estou tentando conciliar as coisas. Freud explica.

Só não conseguimos ainda restabelecer o visual anterior, devido à troca de hospedagem, coisa que depende de orçamento e também de detalhes técnicos.

Ontem dei expediente nesta gazeta escrota apenas pela manhã.

E passei a tarde e a noite trabalhando em “Memórias de Duas Tardes Sangrentas“, que é o título do meu próximo livro.

Hoje, domingo, acordei cedo e estou botando no ar o que estava na fila. O resto do dia vou dedicar ao meu modesto projeto.

Chega. Num vou falar mais nada. Senão vou acabar sendo desmoralizado de novo.

Aguardemos o que vai acontecer nos próximos dias.

Um Editor desmoralizado e sem palavra

DEU NO JORNAL

UM CASAL BANANICAMENTE SUPREMO

A advogada Guiomar Mendes, esposa do ministro Gilmar Mendes, se manifestou sobre o vazamento da investigação em que ela e seu marido são suspeitos de lavagem, corrupção, ocultação de patrimônio e tráfico de influência.

Em nota, Guiomar afirmou que “jamais” se furtaria a dar explicação à Receita Federal.

Ela disse também que esperava ser chamada “como cidadã e contribuinte eventualmente com erros na declaração, e não ser apresentada como alguém que cometeu crime fiscal”.

* * *

Gostei do que a esposa do ético, honrado, impoluto e honesto ministro escreveu: “eventualmente com erros na declaração“.

Quem quiser ocultar  do Fisco qualquer falcatrua, esta é uma dica excelente caso venha a ser apanhado.

Basta dizer que tudo não passou de um “erro eventual”.

E vamos começar o expediente de domingo repetindo os crimes pelos quais o supremo casal está sendo acusado:

Lavagem, corrupção, ocultação de patrimônio e tráfico de influência.

Só isto, apenas isto, nada mais que isto.

Gilmar e Guiomar: um casal com lindos dentes

JOSÉ RAMOS - ENXUGANDOGELO

A PIRACEMA E O SEGURO DEFESO

José de Oliveira Ramos

Peixes nadando (às vezes, contra a correnteza) para a “desova” – piracema

Como muitos têm conhecimento, a piracema, conhecida por ser a época de reprodução dos peixes, teve início no Maranhão, embora as datas do início variem de rio para rio. Durante esse período é proibida a pesca e a comercialização do peixe pescado nesse rio. No caso específico do rio Pindaré, um dos mais piscosos do Estado, situado na região do Vale do Pindaré, a proibição teve início no dia 1º de dezembro e vai até o dia 30 de março de 2019.

Já nos rios Tocantins e Gurupi a piracema começou no dia 1º de novembro, e vai até 28 de fevereiro. Na bacia hidrográfica do Parnaíba a proibição da pesca começou em 15 de novembro e segue até 16 de março.

Lei 10.779, de 25 de novembro de 2003 – Dispõe sobre a concessão do benefício de seguro desemprego, durante o período de defeso, ao pescador profissional que exerce a atividade pesqueira de forma artesanal.

Serviço que permite ao pescador profissional artesanal solicitar ao INSS o pagamento do benefício de Seguro-Desemprego do Pescador Artesanal durante o período de defeso, ou seja, quando fica impedido de pescar em razão da necessidade de preservação das espécies.

Nos rios genuinamente maranhenses a proibição da pesca segue a mesma data do Rio Pindaré. Durante este período os pescadores só podem capturar os peixes utilizando apenas linha e anzol, vara, caniço e não podem pescar mais de cinco quilos, além de um exemplar de qualquer tamanho dentro das medidas permitidas para cada espécie. Como, por exemplo, o surubim que não pode ser capturado com menos de 50 cm.

Em numerosos cardumes os peixes seguindo para uma desova segura

A novidade este ano no Vale do Pindaré é que está acontecendo uma rigorosa fiscalização realizada pela Polícia Militar, usando, inclusive, embarcações velozes. A fiscalização está sendo feita também por terra para coibir o comércio ilegal dos peixes que são capturados no rio Pindaré.

Três problemas:

I – A concorrência desigual

Tudo que for dito neste texto a partir daqui, não poderá ser imaginado como algo que acontece sempre e em qualquer lugar. É algo específico do rio Pindaré.

A cidade, como muitas dos Maranhão, não possui um local apropriado e com o nível de higiene que é exigido para a comercialização do pescado. Tudo acontece na “beirada” do rio e numa imprópria rampa.

Pois, nessa rampa, qualquer peixe produzido em tanques (tambaqui, tilápia, tucunaré, curumatã, piau, bagrinho e outras espécies) é vendido livremente, sem que o vendedor (ou o comprador) seja importunado.

Isso não parece igual para todos, embora esse tipo de pescado não “dependa da piracema” para a reprodução, mas, exclusivamente dos alevinos colocados nos tanques.

Pescado produzido em tanques ou cativeiros

II – O murumuru (ou mururu)

O murumuru (ou “mururu”) prejudicial à desova da piracema

Conhecido como murumuru, o também popular no Maranhão como “mururu”, é uma planta aguapé que brota e prolifera nas margens dos rios brasileiros, que em alguns lugares evita o assoreamento – mas, em outros pode ser também prejudicial.

O estado do Maranhão é localizado numa região pré-amazônica, com clima, humidade e muitas outras diferenças ambientais que facilitam e ao mesmo tempo dificultam a vida de espécies aquáticas, da fauna e da flora.

O estado possui uma imensidão de rios, muitos dos chamados “rios de maré” (aqueles que aumentam o volume d´água e “sobem” quando as marés estão altas) – nesses, o “mururu” não é comum. Mas, o estado possui também inúmeros rios com nascentes próprias e aumentam o volume da água no período chuvoso. Têm fortes correntezas. Neste atual período, as fortes chuvas enchem os leitos dos rios e a força da correnteza arranca e arrasta o “mururu” que nasce nas margens, formando verdadeiros tapetes verdes.

Para alguns pescadores profissionais, o “mururu” serve de esconderijo para a desova dos peixes, em alguns casos, mas, em outros dificulta as ações da natureza, quando o leito do rio está totalmente coberto pelo “mururu”.

Seguro defeso sem defesa

O seguro defeso é garantido por lei (Lei 10.779, de 25 de novembro de 2003) – mas é um verdadeiro paraíso para fraudes. Pessoas que sequer conhecem um anzol ou uma rede de pesca conseguem fraudar dados e são registrados como “pescadores” de algumas colônias.

É uma fraude que precisa ser investigada, até para fazer justiça aos verdadeiros profissionais que tiram dos rios e açudes o sustento das suas famílias.