UMA CASA SUSPEITA

Marcos André M. Cavalcanti

O STF, há muito já não goza da credibilidade da maioria da população.

Virou vergonhoso palco político onde a gana pelos raios dos holofotes permeia pelo excessivo narcisismo de seus pares em detrimento do sentimento dos nativos.

Outrora glorioso, passou por várias denominações – Casa da Suplicação do Brasil-1808-, depois considerada Superior Tribunal de Justiça – 1815, Supremo Tribunal de justiça, Corte Suprema, etc., até chegar a atual nomenclatura de STF.

Destaque-se que, no Império, o STJ era composto somente por juízes; a modificação aconteceu na República e perdura até a atualidade.

Hoje, quando surge uma vaga para compor o STF, a imprensa e os parlamentares apressam-se em descobrir os “preferidos” dentre os políticos, desconsiderando o fato de que a Corte é uma casa de magistrados. Afinal, são 27 tribunais, mais de 15 mil magistrados e o STF é formado por bacharéis, professores, procuradores e menos de 20%, procedentes da magistratura.

Dos 11 ministros que o constitui, apenas 2 são advindos do quadro da magistratura, ou seja, não abriga ministros de carreira na sua composição e, cujos nomes, é de livre franquia do Presidente da República, com aprovação do Senado.

Da atual composição do STF, existem apenas 2 Juízes de carreira que exerceram a magistratura desde a primeira instância: Luiz Fux e Rosa Weber, o resto foram escolhidos conforme o “QI”

SEGUNDO PLANO

Incrível como se relega a um segundo plano um magistrado de carreira que dedicou sua vida a aplicações de estudos doutrinários, jurisprudenciais e julgamentos, que palmilhou por pequenas e grandes comarcas de seu Estado, adquire significativa experiência de vida judicial, e é preterido galgar legítimas aspirações de ascensão jurídica, por pura politicagem malandra.

VATICÍNIO

Em 2002, quando o ex-presidente Fernando Henrique, nomeou Gilmar Mendes, advogado-geral da União; na época, o professor Dalmo Dallari escreveu, na Folha de S. Paulo: “Se essa indicação vier a ser aprovada pelo Senador, não há exagero em afirmar que estarão correndo sério risco a proteção dos direitos no Brasil, o combate à corrupção e a própria normalidade constitucional”.

OS INTOCÁVEIS DE RENAN

Há um acumulo de 28 pedidos de impeachment contra membros do STF no senado, 23 deles de 2015 pra cá. Destas solicitações de impeachment desde 2016, quatro solicitações ainda estão em tramitação. Os alvos são Gilmar Mendes, dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Luiz Fux. Em 2017 foram apresentados oito pedidos de afastamento, sendo quatro arquivados, pela mesa diretora do senado, por decisão do… Renan, aprovada pelos demais membros. O número só não é maior do que no ano anterior, quando o total chegou a 11 petições, dez delas arquivadas por decisão do… Renan, acompanhada pelos demais membros da mesa diretora do Senado.

Entre as petições que não foram adiante por decisão da Mesa do Senado, estão as contra Rosa Weber e Edson Fachin que foram alvo de apenas uma denúncia. Já Fux, Toffoli, Marco Aurélio Mello e o ex-ministro Nelson Jobim (na época, no cargo) receberam duas denúncias cada. Entre todos pedidos arquivados pela mesa diretora dos Senado, por decisão de.. Renan, acompanhada pelos demais membros, estão três solicitações que pedem a saída de Lewandowski e outras três a de Luís Roberto Barroso, já Gilmar Mendes é o recordista, teve seis petições engavetadas, por decisão de…Renan, acompanhada pelos outros membros da mesa diretora do Senado.

NOVO SENADO

Será que, com a renovação do senado, haverá alguma esperança de se colocar os pedidos de impeachment em tramitação??? Aguardemos.

“Até quando, Catilina” prevalecerá o sofisma da absurda metáfora criada no ventre da república de que, para assumir a suprema corte são condições indispensáveis “reputação Ilibada e notório saber jurídico”.

Se assim o fosse, estaria hoje fechada e sem falta alguma fazer. E sem precisar da atuação de um soldado e um cabo.

10 comentários em “UMA CASA SUSPEITA

  1. Mas como ter uma justiça séria em um país onde a vontade do povo não é essa.

    Tenho passado dias tristes lendo os comentários dos sites de notícias (vício meu, eu sei) e vendo que a maioria das manifestações sobre a tragédia de Brumadinho é na linha “não precisa investigação, não precisa julgamento, é só prender todo mundo”. O brasileiro defende que justiça e lei devem ser feitas no grito, por isso nosso judiciário e nosso legislativo são o que são.

    • Realmente é um absurdo este tipo de posicionamento. O profeta Isaías já proclamava “o efeito da justiça, será a paz”. Em rota de colisão, o Renan bradar sempre “rasgaram a constituição”. Um verdadeiro psicopata político.

  2. Segundo registrou o Antagonista em 14.07.2018, para controlar o STF, Jair Bolsonaro diz que, se eleito, pretende revogar a PEC da Bengala, aquela que ampliou de 70 para 75 anos a idade-limite para a aposentadoria compulsória de juízes, registra Lauro Jardim em O Globo.

    Com a revogação dessa excrescência chamada de PEC da Bengala, o presidente Jair Messias Bolsonaro terá a decência de substituir quatro ministros caquéticos, parciais e capengas: Com a revogação da PEC, seriam aposentados Celso de Mello, Marco Aurélio Mello, Rosa Weber e Ricardo Lewandowski. Infelizmente deixando um CANALHA chamado de Gilmar Cara de Buceta Mendes!

    • Mas, esse babaca, tiramos via impeachement.
      Parece que o NOVO senado nao tem medo das velhos cafajestes, vide Renan Canalheiros…..
      Precisamos acertar todos os canalhas, inclusive a Katia Abreu que ROUBOU um documento público….. e isto é crime

    • Concordo plenamente, mestre Cícero. E tem mais, a Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou a Proposta de Emenda à Constituição 473/01, do deputado Antonio Carlos Pannunzio (PSDB-SP), que estabelece a alternância entre o presidente da República e o Congresso Nacional na escolha dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), mas ainda não entrou em vigor. Tá tudo em casa.
      ]

  3. ostf brasileiro , simplesmente e o espelho da mediocridade dos tres poderes brasileiros , ou seja o reflexo de um pais terceiro mundista e analfabeto funcional

  4. É mais oi menos por ai, Sr. Alberto. Os três poderes estão juntos e misturados para se protegerem (leia-se locupletarem) mutuamente.

Deixe uma resposta