2 pensou em “RELEMBRANDO RAUL SEIXAS

  1. Vivo fosse, Raul Seixas reclamaria.
    Ele era anarquista, e, assim, um esquerdista do rabo grosso.
    Pior do que comunista. Nada mais radical e certamente impraticável como sistema de governo, salvo se regredirmos ao adeiamento da população.

    Segundo Flávio Magalhães:
    “Raul Seixas se declarou publicamente como anarquista. E, de fato, o Anarquismo se faz presente na obra do Maluco Beleza. Seja na concepção da Sociedade Alternativa, com Paulo Coelho, ou seja em canções como Carimbador Maluco, lançada em 1983.
    O Anarquismo consiste, basicamente, na ideia de povo sem governo. Defende, em nome da liberdade, a emancipação de cada indivíduo, a ponto de tornar a tutela do Estado, da Igreja ou de qualquer instituição totalmente desnecessária. Uma filosofia muito próxima da Sociedade Alternativa, um movimento que propunha uma revolução interna em cada ser humano.
    Nos anos 1980, o posicionamento favorável de Raul Seixas ao Anarquismo se mostrou mais recorrente. Convidado pela Rede Globo para participar do especial infantil Plunct, Plact, Zuum, o roqueiro compôs a música Carimbador Maluco. A canção foi inspirada em um dos célebres textos do filósofo Pierre-Joseph Proundhon, considerado um dos mais influentes pensadores anarquistas.
    arimbador Maluco faz referências claras ao texto Ser Governado, de Proundhon (“Ser governado é ser, a cada operação, a cada transação, a cada movimento, notado, registrado, recenseado, tarifado, selado, medido, cotado, avaliado” etc). Ou seja, Raul Seixas levou uma mensagem anarquista às crianças na maior e mais poderosa rede de televisão do país.
    demais, é notório o posicionamento sempre contundente de Raul ao longo de sua carreira contra o autoritarismo da Ditadura Militar brasileira. Influenciado pela filosofia de Aleister Crowley, o roqueiro era defensor da liberdade. Talvez nem o rótulo assumido de anarquista seja suficiente para definir sua visão de mundo. Raul Seixas era, acima de tudo, raulseixista.”

Deixe uma resposta