PREVIDÊNCIA BRASILEIRA

Adonis Oliveira

Projetada para ser roubada!

Dentre o imenso volume de canalhices e patifarias perpetradas pela nossa máfia política, sobressai o conto do vigário aplicado pelo sistema de previdência pública. A roubalheira é tão grande que mesmo os maiores crimes de corrupção e enriquecimento ilícito de nosso país, já considerados os maiores da história da humanidade, tornam-se minúsculos se comparados a esse estupro continuado. Vemos lá todos os mesmos ingredientes necessários à realização dos grandes crimes financeiros:

• Fluxo contínuo de montanhas imensas de dinheiro sendo drenado de absolutamente todos (ou quase todos) os trabalhadores do país, sempre de maneira sub-reptícia.

• Origem incerta, difusa e de difícil determinação sobre a origem desta fortuna, sua destinação e com quais critérios. Isso torna impossível aos interessados atuarem sobre o direcionamento do sistema.

• Indefinição sobre quem paga (empregados, patrões ou governo?), quem se beneficia e quais os critérios.

• Instabilidade na geração de receitas, tornando impossível o cumprimento dos compromissos assumidos demagogicamente na época das vacas gordas.

Esta é exatamente a mesma receita da roubalheira praticada por ditaduras sobre os imensos fluxos financeiros oriundos do petróleo, dos diamantes, da caça ilegal, das drogas e demais patifarias. No nosso caso, a matéria prima é vender a ilusão de uma aposentadoria após toda uma vida de trabalho honesto.

Na sua origem, o sistema foi muito bem bolado! Se um trabalhador, com um salário mensal de R$ 1.000,00 (Um salário mínimo), contribuir durante os 35 anos previstos (420 meses) a uma taxa de 10% dos seus rendimentos, e aplicando sua poupança a uma taxa igual à T.J.L.P. (hoje em 0,5817% ao mês), o mesmo deverá ter poupado ao final deste período a importância de R$ 179,266,70.

Esta mesma poupança, continuando a ser remunerada pela mesma T.J.L.P., gerará uma renda mensal de R$ 1.042,79. Isto significa dizer que, se o mesmo fizer uma retirada mensal igual à renda que auferia quando na ativa, sua poupança ainda assim estará aumentando, pois, a renda é maior que a retirada. Pode usufruir da aposentadoria até falecer e ainda deixará uma bela herança a seus descendentes.

É quando meus preclaros leitores me perguntarão: Mas, se é assim…

Por que esta merda de previdência está sempre falida, mesmo cobrando 36,5% de contribuição sobre os salários dos otários?

Para onde foi toda a fortuna incalculável arrecadada???? Muito simples:

1. Misturaram aposentadoria com esmola. A primeira e grande distorção- conceder aposentadoria a quem nunca contribuiu para com os fundos do sistema. O caso clássico é o Trabalhador Rural. Agricultor com mais de 60 anos pode se aposentar sem nunca ter contribuído. Para isso, montou-se toda uma imensa e Kafkaniana estrutura burocrática encarregada de conceder os benefícios. Como não podia deixar de ser, este poder discricionário (de dar o que não é deles) virou moeda de troca para todo tipo de político canalha (pleonasmo) nos grotões do Brasil. O que era caso de esmola, foi apresentado como “Aposentadoria”. Esta é a razão do ministério ser da ASSISTÊNCIA e da PREVIDÊNCIA – tudo junto. Desta forma, todas as aposentadorias se transformaram rapidamente em meras esmolas governamentais.

2. Agregaram montes de privilégios: Mulher, militares, professores, periculosidade, pescador, etc… Todo mundo quer ser “Mais igual do que os outros” e ter direito a uma mamata. Mulher, mesmo vivendo mais, querem se aposentar antes dos homens. Militares, por “servirem à Pátria”. Aliás, filha de militar é tudo amancebada, para não perder a pensão. Professora, por ter de aguentar aquela ruma de menino endiabrado. Por aí vai. Cálculo atuarial? Que se dane! Cada mamata com sua desculpa esfarrapada.

3. Avacalharam com o FGTS. Embaralharam contribuições previdenciárias com um monte de mamatas nojentas (Sistema “S”). A quantidade de parasitas que tem pendurada nas contribuições previdenciárias através do “Sistema S” é descomunal. São 108.800 privilegiados, divididos em 11 entidades, e que custaram a bagatela de R$ 17,7 bilhões em 2018. Quando Paulo Guedes disse que ia cortar, a choradeira já começou. Apareceu até neguinho dizendo que o dinheiro é dos patrões. Só que NÃO É! Essa grana sai todinha dos salários! O sistema é bom? Quer manter o sistema? Então, os empresários se organizem e paguem. Esqueçam os salários e tirem o governo da jogada. Parem de manter essa mamata com o dinheiro dos otários trabalhadores.

4. Misturaram contribuição previdenciária com Seguro Saúde (Plano Médico), Seguro de Acidentes do Trabalho, Seguro Desemprego, etc… Além do Sistema S, está embutido nos 36,5% o pagamento do plano de saúde governamental e os seguros. Todos sabem muito bem o desastre que é o S.U.S. Ai de quem precisar dele! Eu, e a torcida do flamengo, queremos escolher o plano de saúde e o seguro que eu e minha família vamos nos filiar. Na mão do Governo é que não dá! É só roubalheira e corrupção.

5. Botaram políticos e sindicalistas ladrões para gerir a aplicação dos fundos previdenciários. Aí foi quando acabou de lascar tudo! Como a gestão desta dinheirama é uma caixa preta, tudo que é picareta e ladrão fica louco para meter a mão e arrancar um pedaço para chamar de seu. O caso mais emblemático foi usar o F.G.T.S e “Fundo de Amparo ao Trabalhador” para financiar as ditaduras de esquerda em todo o mundo, enquanto o trabalhador brasileiro tomava na tarraqueta.

6. Liberaram a aplicação dos fundos para projetos dos amigos. Passaram a financiar empresas “Vencedoras Nacionais” com o dinheiro dos fundos a juros baixos. Foi aí que começaram a financiar picaretas da qualidade de um Eike Batista e de uma JBF. Deu no que deu!

7. Nunca vincularam benefícios às contribuições, e sim ao tempo de serviço. Ao contrário do que manda o bom senso, e do que faz o resto do mundo, o nosso sistema conta “o tempo de serviço”, e não o quanto o indivíduo contribuiu. Adotou o velho lema militar em que “Antiguidade é posto! ”. Não tem nada a ver e deu margem a todo tipo de enganação, e ao rombo que estamos vendo.

8. Criaram e cevaram uma casta imensa de privilegiados que contribuiram com quase nada para as gordas aposentadorias recebidas, inclusive acumuladas em diversas fontes. Essa é a seara predileta das gordas ratazanas que se encontram encasteladas no aparato estatal e mamando nas enormes tetas. Tornaram-se uma nova espécie de “aristocracia” nacional. Só cessarão esta imensa parasitagem quando tiverem as cabeças decepadas, tal e qual na Revolução Francesa.

9. Não combateram as causas dos benefícios continuados (acidentes de trânsito, do trabalho e violência) e ficam tentando combater as fraudes cancelando benefícios de forma grosseira. Chega a ser patético presenciar os esforços forçando a “acessibilidade” para as multidões de aleijados criados por um trânsito atroz e uma violência rampante. Depois, ficam os idiotas enxugando gelo ao tentar bloquear o tsunami de pedidos de benefícios. Ridículo!

10. Permitiram que entes federados e de diferentes poderes tivessem seus próprios planos, usando como fonte de recursos o dinheiro público. Esse item se constitui o principal meio utilizado pelos políticos ladrões (pleonasmo de novo) para fraudar a legislação restritiva de déficits públicos e esfolar o erário. Aí está a maior fonte de passivos governamentais. Os macacos passaram a administrar a distribuição das bananas e, como é óbvio, passaram a comê-las todas eles mesmos.

Diante deste quadro do mais absoluto horror administrativo, é de se estranhar que o Débito Público Federal tenha encerrado 2018 com a fabulosa soma de R$ 3,98 trilhões, de acordo com o Plano Anual de Financiamento divulgado no início do ano? Qual a saída deste labirinto de horrores (nossos) e delícias (dos privilegiados)? O que fazer para reverter este quadro de putrefação econômica? Muito simples:

a) Extinção do INSS e de todos os fundos de aposentadoria de juízes, congressistas, prefeituras, etc.

b) Tornar ilegal imediatamente TODAS as formas de aposentadoria e benefícios bancados pelo erário.

c) Quem se aposentar, só ter direito a usufruir do dinheiro que depositou. Quem não contribuiu, vai pedir esmolas na porta da Santa Casa de Misericórdia! Ou esperar pelo Bolsa Família.

d) Cancelar todas as formas de “Contribuições vinculadas” às contribuições previdenciárias.

e) Contribuição forçada de 10% sobre os salários em Fundo de investimento de livre escolha. Depósito das contribuições em contas individuais, podendo mudar de instituição após período de quarentena.

f) Investimentos estes a serem realizados sob a supervisão periódica dos cotistas, em Assembleia Geral.

g) Governo depositar imediatamente, nesta mesma conta de investimentos, a METADE de tudo o que foi contribuído pelo cidadão (18,25%) ao longo de todos os seus anos de contribuição.

h) Cada um se aposente NA HORA QUE QUISER, usufruindo daquilo que poupou ao longo da vida.

Só para dar uma pequena ideia, aplicada a mesma TJLP às contribuições por mim realizadas ao longo de mais de 40 anos de trabalho (Já são mais de 42 anos), calculadas sobre um salário de R$ 5.000,00 (Que era bem maior), eu teria um saldo credor de R$ 4.764.000,00. Creio que seria mais que suficiente para que eu me aposentasse imediatamente, e muito bem, em lugar de ficar mendigando uma aposentadoria miserável a este bando de canalhas ladravazes.

CANALHAS! CANALHAS! MIL VEZES CANALHAS!!!!!!

6 comentários em “PREVIDÊNCIA BRASILEIRA

  1. Se o país estivesse sendo fundado agora, seria um bom plano. O problema é que temos que “trocar o pneu com o carro andando”. Não vai ser fácil fazer essa transição.

  2. Professor Adonis. Seu magnifico artigo merecia ( e deveria ) ser publicado, na íntegra na primeira página dos principais jornais do paiz. É claro, verídico, esclarecedor e denuncia as barbaridades do governo das esquerdas que para ganhar votos e permanecer no poder, abre as pernas e a bolsa, distribuindo dinheiro que não é seu sim do povo que paga mensalmente uma contribuição escorchante. Ao final , cade o seu direito devolvido? Foi roubado, pois quem distribui aquilo que não é seu, está roubando o que é nosso.

    Por favor continue, pois precisamos muito de esclarecimentos lúcidos como o seu.

    Acompanho seus artigos com muito interesse e os indico para pessoas menos esclarecidas.
    abraços.

  3. Prezados amigos,
    Mais uma vez, muito obrigado pelas palavras de incentivo e de apoio ao debate.
    Creio que este assunto deva ser central em nossas preocupações daqui para a frente. Acho que o nosso capitão está combatendo um imenso combate e que precisa de todo nosso apoio, já que a posição dos derrotados tem sido sempre de que, “quanto pior, melhor”.
    Grande abraço e voltarei a este tema.

Deixe uma resposta