POLIAMOR – Antigamente conhecido como Suruba!

Adonis Oliveira

Tenho dois irmãos mais velhos que eu. O mais velho de todos é Engenheiro Industrial Mecânico. O melhor do Nordeste e, quiçá, do Brasil. O outro, formado em pedagogia, em abril de 1987 conseguiu se imprensar no IBAMA através da indicação de um primo nosso extremamente influente nesta área.

O contraste não poderia ser maior!

O Engenheiro vinha há décadas carregando nas costas, aos trancos e barrancos e com imenso sacrifício, um pequeno escritório de engenharia e construção de projetos industriais. O seu acervo de projetos realizados é imenso: Toda a indústria de castanha de caju do Ceará é ou foi sua cliente. O mesmo ocorre com a indústria da cera de carnaúba, no Ceará e no Rio Grande do Norte. Na área de siderurgia, todas as grandes foram clientes de seu escritório: Cearense, Açonorte (em Recife), Usiba (na Bahia), Cosigua (no Rio de Janeiro), CSN (em Volta Redonda, também no Rio de Janeiro), e por aí vai.

Pois bem… Mesmo com esta imensa bagagem de experiências e tendo ganhado inúmeros prêmios nacionais na sua área de atuação, especialmente com relação à preservação do meio ambiente, o cara se viu forçado a fechar o escritório ao final do ano passado devido à total ausência de projetos e clientes. Ninguém está investindo nada e as indústrias, muito pelo contrário, estão todas fechando as portas.

Aposentou-se aos 65 anos e está recebendo alguma coisa como R$ 2.000,00 por mês pois nem sempre conseguiu pagar o carnê da Guia de Recolhimento do INSS.

Quanto ao outro irmão, as coisas estão aparentemente indo de vento em popa. Sempre viveu morando muito bem. Seu último apartamento era uma cobertura com piscina e em frente ao mar. Conta-me a família, pois não temos muito contato, que o vendeu e comprou um outro que é verdadeiramente hollywoodiano: Uma grande área construída, andar alto, bairro nobre, condomínio fechado e uma vista deslumbrante do imenso mar do Nordeste em todas as direções que se olhe. NO STRESS!

Sua última posição, antes de se aposentar em agosto de 2017, foi como responsável durante alguns anos pela fiscalização de um pedaço de mata atlântica de restinga ainda existente (quase que por milagre) em uma das capitais do Nordeste. Creio que sua missão era não deixar o MST invadir e encher de maloqueiros disfarçados de mendigo, ou então ficar observando os pássaros lá sobreviventes. Tarefas extremamente árduas, como se pode facilmente constatar.

Pois bem: Com essa história de reforma da previdência, uma luta insana que Bolsonaro e sua turma terão de enfrentar, este meu irmão divulgou no grupo de comunicação da família uma defesa apaixonada dos funcionários públicos, sua estabilidade no emprego, sua remuneração e suas aposentadorias. Este artigo me despertou a curiosidade de saber com qual salário este meu irmão teria se aposentado. É de destacar que o cara é extremamente reservado com relação a esta informação (deve ter vergonha do dinheiro que ganha), assim como é extremamente apegado e seguro com relação ao seu dinheiro.

Entrei no site da transparência e dei uma olhada, mês a mês, até achar o nome dele e as informações.

É UMA VERDADEIRA SURUBA! E quem é enrabado somos todos nós que pagamos esta conta.

Vamos dar uma analisada rápida no que ocorreu em janeiro passado.

Aposentaram-se 1.395 servidores federais do Poder Executivo neste mês.

No topo da cadeia alimentar de predação da nação estava o senhor Paulo Regis Cardoso Mendes, Auditor Fiscal da Receita Federal. Este senhor aposentou-se percebendo mensalmente a bagatela de um mísero salário de R$ 89.040,50 (Oitenta e Nove Mil e Quarenta Reais e cinquenta centavos). Dá para quebrar o galho de vocês, receber esta quantia todos os meses até morrer? Fico me perguntando o que será que esse carcamano fez para receber esta quantia. Deve ter vendido a alma ao Satanás.

Logo depois deste nababo indiano, seguiam-se 174 felizardos agraciados com aposentadorias variando de R$ 20 mil a R$ 89 mil por mês. Tinha de tudo! Enfermeiro, datilógrafo, auxiliar de enfermagem, técnico de laboratório e, muito especialmente, uma saraivada de Técnicos do Seguro Social (INSS), auditores da receita e professores das universidades federais. Certíssimo! Quem parte e reparte, fica com a melhor parte. O resto que se dane!

A partir daí vinha o batalhão intermediário. Aqueles que receberiam entre os R$ 20 mil e a mixaria de “apenas” R$ 10 mil por mês. Aí é que tinha de tudo mesmo!

Só para dar uma ideia do nível da esculhambação reinante nesta imensa suruba: O senhor Wagner José do Nascimento, aguerrido agente de vigilância (vigia) do INSS, aposentou-se recebendo a ínfima importância de R$ 18.132,95 por mês. Uma miséria, né não?

Já o senhor Filadelfio Batista Magalhães, denodado Escrivão da valorosa Polícia Federal, aposentou-se recebendo a ínfima importância de R$ 17.660,61 por mês. Coitado!

A senhora Iracilene Carvalho Ferreira, Auxiliar Administrativa (Operadora de Xerox?), da Universidade Federal de Ouro Preto, aposentou-se recebendo a ínfima importância de R$ 14.921,77 por mês. Coitadinha!

O mesmo ocorreu com Elizabeth Araújo Carneiro de Melo, que aposentou-se na função de Agente Administrativo (Qual a diferença de uma para a outra? Uma não faz nada e a outra também?) da Agência Nacional de Aviação Civil, recebendo mensalmente a ínfima importância de R$ 14.464,97 . Coitada!

E o festival de aberrações segue impávido colosso. Dona Vera Lúcia Bersuini de Laet, valorosa enfermeira da Universidade Federal de São Paulo, aposentou-se recebendo mensalmente a módica quantia de R$ 13.880,54.

Já no INSS, antro maior da canalhice, onde abundam os Técnicos do Seguro Social com gordas aposentadorias, o ápice da canalhice, porém, se revela quando encontramos o senhor Mário Célio Rodrigues, um simples motorista admitido sem concurso, se aposentando com R$ 13.736,88 ao mês.

O festival de aberrações não tem fim. Mais adiante encontramos a senhora Maria Coelho de Oliveira, Auxiliar Operacional de Serviços Diversos (Faxineira? Lavadora de Banheiros?), admitida sem concurso pelo Ministério da Saúde, se aposentando com a minxaria mensal de R$ 10.431,03.

E o senhor Joel Pereira da Veiga, vigilante da Universidade Federal de Minas Gerais, se aposentando recebendo a ínfima importância de R$ 10.289,78 por mês? Coitado!

O otário desta imensa lista de aberrações foi o senhor Luiz Antônio Alonso, modesto Assistente Administrativo da Universidade Federal de São Paulo que, admitido sem concurso em 1988, aposenta-se agora recebendo a modestíssima quantia de R$ 951,39. Também, nesta situação foi só ele. Todos os demais só se contentam com muito mais do que isto por mês. Em todos os meses anteriores, a escatologia é exatamente a mesma. Não muda nada! Uma imensa multidão de aberrações teratológicas.

Vou parar por aqui, pois a minha vontade é de sair dando porrada nos filhos da puta que armaram esta imensa arapuca em que nos metemos, e que ainda vem com a conversa mole de que a culpa do imenso rombo da previdência é nossa. Estão de sacanagem!

Para completar, essa multidão de canalhas dos altos salários está pretendendo entrar na justiça (quer dizer, ELES MESMOS!), para anular a proposta de aumentar as alíquotas das suas contribuições previdenciárias.

Ei, Bolsonaro! Fecha essas merdas desses Institutos e Universidades Federais todos! Querem autonomia? Transforma todas elas em fundação e manda se virar para pagar as contas. Manda tudinho ir mamar num jegue. Quero só ver se não acaba essa cachorrada na hora. O mesmo com as obesas estruturas dos ministérios, fundações, autarquias, institutos, agências, e por aí vai.

Diante de uma análise dessa, fica imensamente fácil entender porque esta merda de país está afundando. Quero só ver quem é que vai carregar nas costas essa multidão de parasitas vorazes quando a nossa geração se for. Rezo todo dia para que meus netos tenham ido embora desta bosta de país o quanto antes e antes disso aqui explodir. Lutarei denodadamente para que isto aconteça o mais rápido possível.

P.S.-1 – Ah! Antes que esqueça. A aposentadoria mensal do “Bird Watcher” é de R$ 15,401,58, remuneração “justíssima”, já que se esfalfou por anos a fio pajeando os passarinhos lá da mata.

P.S-2 – Essa é a putaria no EXECUTIVO. Lembrem que a putaria no Legislativo e no Judiciário é IMENSAMENTE MAIOR. Dá para imaginar? Para mim, chega! Assim que esses filhos de uma cadela gonorrenta liberarem a minha minxaria mensal, vou imediatamente embora desta cloaca.

6 comentários em “POLIAMOR – Antigamente conhecido como Suruba!

  1. Prezado Adônis, que bom ver que sua língua ferina continua ativa. Não tem como discordar das aberrações elencadas aqui. No entanto, acho importante lembrar que tais benefícios são heranças do passado, ou seja, de, no mínimo, 30 anos. Faça um levantamento dos déficits previdenciários desde as Caixas de Pecúlio e o que você vai encontrar são abusos e desvios de finalidade. Eu estudei com dois professores, Osvaldo Sarmento e Roberto Ramalho (e depois passei a ser colegacde trabalho porque ensinamo juntos na mesma instituição) que publicaram um artigo na revista REN do Banco do Nordeste no qual demonstram, matematicamente, que o problema da previdência não é o funcionalismo público, mas o modelo adotado. Falta dinheiro hoje porque roubaram a previdência, inclusive nas barbas do regime militar. Como professor universitário de uma instituição pública eu concordo que os custos dessas instituições deveria ser pago com dinheiro de pesquisa. Professor deveria ser remunerado por mérito. Mas, tente fazer pesquisa nesse país com os órgãos de controle limitando suas ações! Você tem noção do que é aprovar um projeto na ANEEL, em 2014 e assinar o contrato em 2018? Fazer um projeto para importar equipamentos com o dólar a R$ 2,75 e pagar hoje R$ 3,75? O centro do saber está nas universidades públicas. Pesquisa básica e pesquisa aplicada ocorrem nelas. No setor privado tem-se mmercantilismo.Cabe lembrar que as universidades possuem seu regime próprio de previdência. Ainda não houve uma migração completa porque há ajustes. Mas, se um professor ou um técnico de uma universidade se aposentar ganhando R$ 10, foi porque ele contribuiu pra isso e não tem um centavo pago pelo INSS. Servidor publpúb que optar pelo INSS vai receber o teto e não mais o salário integral. Agora, da forma como você coloca parece que o culpado é o benefício e não quem criou a regra!

  2. Prezado Maurício,
    Seu comentário está pleno de verdades que eu só poderia refutar se fosse louco ou petista;
    1- A sacanagem já vem de muito longe.
    2- Falta dinheiro hoje porque roubaram desbragadamente.
    3- Quase toda pesquisa feita mo Brasil se dá nas universidades públicas, mesmo que seja para pesquisas do tipo “A Vida Sexual dos Papuas da Nova Guiné no Século XVII”.
    4- O “Controle” destas pesquisas é uma bola de ferro amarrada nos pés dos pesquisadores.
    5- As universidades particulares são, em sua grande maioria, umas imensas arapucas de pegar otário e dinheiro público.

    Quanto a dizer que os nababos do funcionalismo público se aposentam ganhando estas fortunas porque contribuíram para isto, nada mais longe da realidade. O que contribuíram não dá nem para bater o centro. Além de que já vinham ganhando salários que, para serem justos, os caras teriam que mijar guaraná e cagar chocolate.
    Com relação a dizer que o déficit não tenha sido provocado pela bandalheira estatal, é simplesmente uma meia verdade. Não é só isso! Tem rombo pra todo lado que se olhe, mas grande parte do buraco vem exatamente daí

    • Adonis, a título de correção: eu quis dizer que no regime próprio se um servidor tem uma aposentadoria de R$ 10 mil é porque ele contribuiu para isso. Em relação a pesquisa, nós temos grandes surpresas fora da tecnologia, saúde e informática. Como sugestão, veja um uma pesquisa intitulada “Diálogos de Suape”. Na minha época de assessor da Pró reitoria de pesquisa verei muita coisa ruim. Mas, algumas pesquisas sociais surtiram grandes efeitos.

  3. Professor, sua denuncia como sempre é importantíssima. Tudo isso é pura pornografia administrativa, ninguém viu ou se interessa em saber o que está acontecendo na Previdência e ainda vem os babacas postando na internet que estão querendo acabar com os direitos adquiridos dos trabalhadores.
    PQP, isso um dia sera corrigido ???} Não creio, os mamadores do dinheiro público estão vigilantes defendendo as suas mamatas.
    Cada dia vão aumentar as porradas ao presidente Bolsonaro, mas felismente êle não tem medo de oposição, se não fosse assim teria se submetido a chantagem da org. globo.

    Continue professor, todos precisam saber o que está escondido e ainda acontecendo na Previdência.

    Abraços.

  4. um dos maiores problemas do brasil e que certamente levara o pais a falencia e acreditarem que o estado e o provedor e soluçao de tudos mas como disse sabiemante o cowboy e um dos maiores presidentes dos estados unidos , RONALD REGAN QUE DISSE O ESTADO NAO E A SOLUÇAO DA NAÇAO , NA REALIDADE O ESTADO E O PROBLEMADA NAÇAO . esquecem=se que quem produz riqueza e a iniciativa privada , e mais uma fala de reagam , que mostra o porque da enorme diferença entre o brasil e os EUA , disse ele se no estado tivermos sabios e cientistas capazes , podem ter certeza que a iniciativa privada vira aqui para leva=lo.

Deixe uma resposta