5 comentários em “PELO FIM DA RACHADINHA

  1. Bom, não podemos combater a rachadinha, viver sem ela produz calos nas mãos. Mas o achaque deve ser combatido seja quem for o praticante , e comprovado . Realmente é impossível que haja câmara federal , estadual ou municipal onde isto não foi praticado. Durante todos os governos de esquerda e nos da pré e pró esquerda isto foi feito em todas as prefeituras, governos estaduais, e federal,levando parte dos salários dos “comissionados”, e quando não empregavam parentes,amantes e o diabo a quatro. Devia-se também investigar autoridades que deixaram processos caducar e assim mantendo prováveis crimes impunes. Estão pegando no pé do sujeito, para tentar minar o governo. E o governo está perdendo tempo em não dar uma resposta rápida e a altura dos acontecimentos. Tem muito jornalista safado, que tenta fazer algo que o coloque no topo da sua profissão de forma desonrosa. Deveria também ser investigada suas vidas e seus empregadores. Ou será que esta moeda só tem uma face?.

  2. Achaque não é o termo correto. Esse tipo de maracutaia é feito de comum acordo.

    No mais, tem que diminuir radicalmente esta mamata. Deputado e Vereador tem que ter um quadro fixo de servidores concursados, não muito grande, e talvez um assessor nomeado, no máximo, não essa festa que é hoje.

    Dizem que no senado o que mais tem nos tais “cargos comissionados” são mocinhas que fazem a alegria dos senadores (a maioria velhinhos) após o expediente..

  3. Nem sempre é feito de comum acordo, a maioria das vezes é forçado. É achaque mesmo,sabemos de casos. Quanto a “mocinhas” parece ser prática comum muitas “secretárias” em festas promovidas em chácaras por “pessoas” das prefeituras. Aqui se tem notícia de muitas, mas quem vai se expor para prová-las?. Isto sim pode-se dizer que é de comum acordo.

    • Se é forçado o cara deve achar que o que sobra pra ele está à altura do que merece, senão é só pedir o boné e ir embora. Ninguém trabalha em cargo comissionado acorrentado ao pé da mesa.

      • No caso específico o comissionado está apenas trabalhando, não é ladrão e na maioria dos casos nem é sanguessuga.E também não trabalha por esporte.Todos querendo ou não ,temos alguma conta a pagar no fim do mês. Comissionado não trabalha acorrentado ao pé da mesa, mas está sempre preso a uma dívida, seja do que for, por isto não pode tão facilmente virar as costas e sair. Se a um crime, o agente é quem comissionou.

Deixe uma resposta