PÁSSARO SELVAGEM

A tua vida é um pássaro selvagem
que inda não teve a asa de amor ferida,
errante colibri que, entre a ramagem
dos sonhos, beija a floração da vida.

Eleva-te da plácida paragem
à volúpia do imenso, ave querida!
Loucos sonhos de luz leva na viagem,
buscando uma ilusão entressentida!

Mas vê que existem furacões horrendos,
e, se sobes demais, podes perder-te…
Ah! se ao menos pudesse eu aquecer-te

dos altos frios hibernais tremendos,
lançava o meu amor pelos espaços,
para estreitar-te trêmula nos braços!

Deixe uma resposta