PALAVRAS DE JESSIER QUIRINO

A propósito da comunicação que fiz sobre dar uma parada no JBF, a fim de sobrar tempo pra me dedicar ao novo romance que estou escrevendo, recebi do amigo-irmão Jessier Quirino, a mensagem abaixo transcrita.

Fiquei ancho que só a porra!!!

Brigadão, meu poeta!

* * *

Meu cumpade e Papa Berto

Um cabra do seu quilate, tem o direito de retomar os seus escritos e novos projetos, com alegria e gosto, coisa que lhe fará bem, e nos premiará com o resultado de qualquer obra editada. E diga-se: já estava no tempo.

O JBF, de peito aberto e faca nos dentes, cumpriu e cumpre um papel importante na cultura, na política, na formação de opinião, nas artes e nas fuleragens, sem fazer vergonha a cidadão nenhum.

Coisa que só um Berto da tua largura e profundidade pode dar conta, assim: sem um ypsilone a mais ou menos e bater de frente com muita gente influente.

Orgulho da porra de andar perto desse palmarense da bixiga lixa, semvergonhista, presepeiro e risão.

Acunhe, acunhe, acunhe! que o negócio sério.

De ouvido em escuta JESSIER

3 pensou em “PALAVRAS DE JESSIER QUIRINO

  1. Entristecido pois a cada brechinha acessava o JBF seja em casa no trabalho ou no celular.
    Mas como aqui pode se dizer de tudo vou aventar a hipótese de que o Berto estava contente com o salário psicológico, afinal são (eram?) milhares de leitores, mas money que is good muito pouco. Descambou para outros rumos. E eu acho que ele é insubstituível, os prováveis interessados comprar a gazeta não vão fazer oferta se o bicho não vier junto.
    Sr. Jessier olhe para o povo leitor desamparado.

Deixe uma resposta