O EDITOR RESPEITA OS DESASSISTIDOS DA LUZ DO MUNDO

Dois comentários sobre a postagem PIADA PRONTA

Saniasin:

Preclaro e Pontifício Editor,

Sua verve e humor, associado a uma iconoclastia delirante e anárquica, é admirável e, o mais das vezes, faz-me dar gostosas risadas.

Contudo, sou nordestino e sertanejo e aprendi com meus avós a não zombar de cegos e nem chutar cachorro morto.

Santa Luzia também não deve estar muito satisfeita com esse deboche.

Salvo melhor juízo.

Com as homenagens de praxe, peço que retire essa zombaria.

* * *

Editor do JBF:

Caro leitor Saniasin,

Também sou nordestino. Nordestino da Zona da Mata pernambucana.

Desde criança que a figura do cego, que nós carinhosamente chamávamos de “Ceguinho”, faz parte do meu círculo de afeto e de bem-querença.

Em dois dos meus romances, cegos são personagens principais e mostrados de forma humana e em pé de igualdade com os outros personagens sadios das vistas.

No livro A Guerrilha de Palmares, o Cego Anísio é uma figura de destaque e retratado com muito amor.

Já em O Romance da Besta Fubana, o Cego Chico Folote é uma das forças que dão grande impulso ao enredo.

Desde menino, bem pequeno, que minha mãe Quiterinha me ensinou a rezar uma novena no dia 13 de Dezembro, Dia de Santa Luzia, em intenção da minha avó, a velha Menininha, que era curta das vistas.

Tenha certeza que não tive a menor intenção de cometer qualquer desrespeitos com os cegos.

O que fiz mesmo foi uma crítica aos cegos lulistas.

Assim como posso fazer um elogio aos cegos que são anti-lulistas.

Cegos são pessoas iguais a nós outros e que tem todo o direito de assumir posições políticas. E, em consequência delas, receberem críticas ou elogios.

Brigadão pela participação e pela audiência.

Agradeço antecipadamente a sua compreensão.

* * *

MANDUQUINHA – LUIZ GONZAGA

LAMENTO CEGO – JACKSON DO PANDEIRO

2 pensou em “O EDITOR RESPEITA OS DESASSISTIDOS DA LUZ DO MUNDO

  1. Pois aproveitando o ensejo, dizque dois ceguinhos saíram no cacete, e, sem querer, rolaram para baixo de um burro que estava amarrado ali perto. Um dos gaiatos que assistia a briga, só para sacanear gritou: “De faca não, ceguinho”. E um dos cegos agarra o cardã do burro e diz: “Ou solta a faca, ou te quebro o braço”!!!!

Deixe uma resposta