O CENTRO DA TERRA

Quando alguém perguntava, aos antigos sábios, onde ficava o Inferno, de pronto, eles respondiam:

– O INFERNO FICA NO CENTRO DA TERRA.

E citavam a existência dos vulcões.

Nessa época, os vulcões eram temidos, como se fossem a cozinha do Inferno. E ninguém queria ser condenado a arder numa fornalha.

Séculos se passaram e o inferno, até hoje, continua sendo no centro da terra, povoado por assassinos, ladrões, estupradores, pedófilos, assaltante etc.

O tempo levou consigo os sábios de antigamente, que tinham inspiração divina. Mas a resposta deles, com relação à localização do inferno, ainda prevalece.

Nos dias atuais, a televisão e a Internet trazem para dentro de nossas casas, notícias piores do que a erupção de um vulcão. São verdadeiras comédias humanas, tragédias que aterrorizam crianças, adultos e idosos.

Acordamos com as notícias do inferno dentro de nossas casas. Além da violência das ruas, entre os humanos, aumentou assustadoramente o índice de violência doméstica, assaltos e crimes de toda espécie. Desapareceu a tranquilidade do povo, que vive assustado, mesmo quando trancado em apartamentos de luxo e condomínios fechados, verdadeiras “gaiolas douradas”.

Paralelamente, tem aumentado o índice de desastres ecológicos, acidentes aéreos e tragédias que destroem vidas humanas.

O homem está acuado, com medo, e preso em gaiolas de ouro, enquanto os bandidos estão soltos, invadindo bancos e escolas, dizimando vidas humanas.
O povo brasileiro está cansado de sofrer.

A tragédia de Brumadinho (MG), que, para os entendidos, foi anunciada previamente, mostrou que, para os ricos, uma vida humana não tem o menor valor.

E de quebra, hoje, o Brasil foi surpreendido com o massacre ocorrido em uma Escola Pública de Suzano (SP). Dois assassinos, ex-alunos, armados até os dentes, contra uma escola totalmente desarmada e de portas abertas. Mais uma tragédia, que chocou o povo brasileiro.

O povo anseia por notícias boas! Chega de indecência na televisão e nas ruas, vídeos imorais, violência nas redes sociais e baixaria!

Chega de se tentar tirar leite de pedra, procurando atrapalhar o novo Governo do Brasil, legitimamente eleito!

Apesar do sofrimento do povo brasileiro, ainda houve, em São Paulo, no ultimo carnaval, uma Escola de Samba, cujo samba-enredo homenageou o Demônio e humilhou Jesus Cristo, com coreografia agressiva à religião católica. Nota ZERO para essa Escola de Samba.

7 comentários em “O CENTRO DA TERRA

  1. Mas como irá se vender gaiolas douradas se não por meio do pânico? Um truque simples esse de demonstrar repetidas vezes uma notícia terrível e pintar o mundo externo como o próprio inferno e desse modo passar a ter razão e vender suas “gaiolas douradas”, que vão de condomínios fechados a partidos políticos que prometem devolver o paraíso aos incautos. As mídias extremas abraçam gostosamente esse truque e deitam e rolam.

    • Obrigada pelo comentário, prezado Sérgio Melo! Realmente, o pânico divulgado pela mídia provoca a corrida desesperada das famílias, em busca de gaiolas douradas, onde possa haver segurança.. E assim, aumenta a riqueza dos incorporadores de condomínios..

  2. Violante,

    A sua excelente crônica trouxe a minha lembrança o poema Versos íntimos de autoria de Augusto dos Anjos. Os versos expressam um sentimento de pessimismo e decepção em relação aos relacionamentos interpessoais, mas também um desencanto com o mundo em que vivemos. Na primeira estrofe, é mencionado o enterro da última quimera que neste caso indica o fim da esperança ou do último sonho. É transmitida a ideia que ninguém se importa com os sonhos destruídos dos outros porque as pessoas são ingratas como animais selvagens.
    Na segunda estrofe, Augusto dos Anjos utiliza o imperativo dando o conselho que quanto mais cedo a pessoa se acostuma com a cruel e miserável realidade do mundo, será mais fácil. O Homem voltará à lama, regressará ao pó, está destinado a cair e a se sujar na lama.
    Nas duas últimas estrofes, o autor insinua que, mais cedo ou mais tarde, as pessoas irão nos desiludir. Compartilho o poema completo com a prezada amiga:

    Versos Íntimos

    Vês! Ninguém assistiu ao formidável
    Enterro de tua última quimera.
    Somente a Ingratidão – esta pantera –
    Foi tua companheira inseparável!

    Acostuma-te à lama que te espera!
    O Homem, que, nesta terra miserável,
    Mora entre feras, sente inevitável
    Necessidade de também ser fera.

    Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
    O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
    A mão que afaga é a mesma que apedreja.

    Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
    Apedreja essa mão vil que te afaga,
    Escarra nessa boca que te beija!

    Saudações fraternas,

    Aristeu

  3. Obrigada pelo generoso comentário, prezado colunista Aristeu Bezerra!! Obrigada, também, por compartilhar comigo o célebre soneto “Versos Íntimos”, do grande poeta Augusto dos Anjos. Esse soneto, escrito e publicado em 1912, no seu único livro “EU”, já mostrava a angústia do poeta, diante de um mundo mau, cheio de decepções.

    Hoje, mais de um século depois, vivemos numa sociedade mil vezes pior, onde os valores morais são menores do que a desonestidade e a violência que imperam. O pessimismo do poeta Augusto dos Anjos tinha razão de ser.

    Um grande abraço!

    Violante

  4. Queridíssima Violante Pimentel:

    Volto pela terceira vez a esse espaço sagrado e livre de qualquer censura para comunicar a nobrilíssima cronista que já postei três comentários nalgumas de suas excelentes crônicas e, quando clico em “publicar comentário”, “nõ é que o bicho somi”! Impressionante!

    Como disse antes: “O CENTRO DA TERRA”, está fantástica, tem a sua sensibilidade, sua leveza, seu gingado, sua natureza peculiar, de foro íntimo em abordar as coisas lindas do cotidiano!

    Mamãe era uma sabia e, santamente tolerante! Quando ela tomou conhecimento, pelo rádio, que os homens haviam pisado na Lua com a descrença de todo católico que frequentavam a capelinha do bairro Santo Antônio-PE e que iam perguntar a ela porque não dizia nada, simplesmente respondia: “Deus pôs o homem na terra para quê?”

    Você me fez rememorar, por meio dessa sua linda crônica, essa boa recordação da “Velha”. Era assim que, carinhosamente a chamávamos!

    Demais, aquela “Escola de Samba, cujo samba-enredo homenageou o Demônio e humilhou Jesus Cristo, com coreografia agressiva à religião católica. Nota ZERO para essa Escola de Samba”! Foi um espetáculo deprimente!!

    Por que não utilizou a sátira, o bom humor, mesmo com cenas e palavrões criativos?

    Tudo que é feito com criatividade não agride ninguém!

    Fraternais saudações, amiga!

  5. Obrigada pelo carinho do comentário, prezado cronista Cícero Tavares! Sua mãe era sábia .Gostei da reflexão belíssima que ela fez, ao saber que o homem tinha ido à la:”Deus pôs o homem na terra,para que? Realmente, Deus deu condições e inteligência ao homem para se desenvolver e alcançar o infinito. Acho lindo o tratamento carinhoso que você dava à sua querida mãe.
    Quanto ao caso da Escola de Samba, considerei aquilo um absurdo, um verdadeiro sacrilégio. É não ter medo de um castigo.

    Um grande abraço.querido amigo!

Deixe uma resposta para violante Pimentel Cancelar resposta