NOVELA DA VIDA REAL

Começa em maio de 2005. Um funcionário dos Correios, ao embolsar indevidamente $3.000,00, explica a forma não republicana de sua relação com um político ligado ao governo. Vem à tona as negociatas envolvendo o governo federal que, mesmo atingido, balança, mas não cai.

Em março de 2014, a Operação Lava Jato revela que, acrescida de novos atores e com um roteiro mais sofisticado, a novela da corrupção continua.

A mídia, tão importante no passado recente, talvez magoada em não ser ela a estrela da revelação, parte considerável, resolve inverter a ordem moral de uma civilização, apoiam de forma “velada” os bandidos e atacam os mocinhos.

Curiosamente, o personagem principal dessa novela mórbida, hoje instalado num prédio da Polícia Federal, depois que foi julgado e condenado, continua sua vida política e até com direito a ser entrevistado pelos seus admiradores.

Nesse ponto, o roteiro sofre uma reviravolta, aqueles que investigam os bandidos, tem também o trabalho quase diário de defender-se.

Mensalão 2005

* * *

Attika Plucked String Orchestra

A composição de J. Offenbach a partir dos Contos de Hoffmann, destaca a poesia da música com a predominância de instrumentos de cordas.

Barcarolle

2 pensou em “NOVELA DA VIDA REAL

  1. Prezada Sônia, só em países tupiniquins, como o Brasil, algo dessa natureza é aceito. Lula, no mensalão, teve uma segunda chance num acordo de cavalheiros firmado pelos líder de partidos da base. O “eu não sabia” foi transformado em ” despesas não contabilizadas”. Pura vergonha isso que está ocorrendo agora.

  2. Sr. Maurício, a coisa é bem mais complicada.

    Começa quando foi espalhado pelo Planeta Terra que o Brasil elegeu um “operário”. Mentira. Essa figura trabalhou por 6 anos e não se sabe do que vivia mas, podemos desconfiar, afinal os sindicatos garfaram durante anos um dia de nosso salário.

    Quanto ao acordo, não foi de cavalheiros, foi de comparsas, provando que oposição num governo é só pra colaborar com a lógica que foi estabelecida na antiga Atenas para uma Democracia. hoje, as coisas mudaram muito, temos: empreiteiras, bancos, grandes empresas, etc…, ou seja, o Planeta evoluiu, tá na hora de inventar um outro sistema.

    Termino dizendo que os grandes inventores da antiguidade devem dar boas risadas em algum lugar desse imenso Universo. Afinal, depois de séculos conseguiram apenas acrescentar o numero da conta bancária na festejada “Democracia”.

    Agradeço seu comentário e desejo um excelente domingo ao dileto amigo.

Deixe uma resposta