NOTAS

Apesar de ser potência econômica mundial, com gigantesco PIB, superior a US$ 20 trilhões, contra apenas US$ 1,9 trilhão do Brasil, os Estados Unidos também registram taxas de pobreza. Em solo americano. famílias passam fome. Sem comida na mesa, pessoas engrossam a lista de miséria. Em Escobares, Texas, na fronteira com o México, cidade sem trabalho, a fome campeia. Para trabalhar, os homens viajam para outros municípios, às vezes distantes, ou fica na dependência do governo, recebdndo vale refeição ou o seguro-desemprego. De 325 milhões de habitantes, os Estados Unidos acumulam 12.3% de pobres, correspondente a 40 milhões de cidadãos.

*
Políticos que se despediram do mandato no fim da legislatura, por decisão das urnas, não ficam na mal. O jogo político ampara o derrotado, com cargos oferiecidos de mão beijada nos bastidores, embora muitos só produziram desgraça para o país no cumprimento do mandato. E por isso deviam estar respondendo processo. Que legado deixou um deputado do Paraná, não reeleito, depois de 42 anos de atividade política. O povo teve razão porque talvez nem lembrança, o cnditado deixou. Muito pelo contrário. Para proteger o colega derrotado, usufruindo de mordomias com o dinheiro público, a lambança permanece ativa. Reserva cargos no 2º ou 3º escalão dos governos. Mas, ninguém se lembra de criar vagas para o trabalhador desempregado que juntos, lotam muitos estádiso de futebol.

*
No Brasil, o modal rodoviário é o mais explorado. Apesar de caro e extenso, mais da metade da produção nacional é escoada pelas estradas e a quase totalidade de passageiros prefere curtir o país, encarando os mais de 1.720 mil quilômetros de autoestradas, dos quais, apenas um pouco mais de 105 mil são pavimentadas, embora mal conservadas.

Por garantir voto aos políticos, o meio de transporte rodoviário brasileiro é o quarto maior do mundo, apesar das deficiências. Para uma estrada ser considerada boa, é analisada sob quatro aspectos. Estado geral da rodovia, pavimento, sinalização e geometria. Qualidade inexistente nas estradas brasileiras.

Todavia, mesmo apresentando deficiências, os governantes preferem desconhecer outros tipos de sistema de transporte. Às vezes, bem mais baratos como o marítimo, o ferroviário, o hidroviário. A exceção é o aeroviário, o mais caro. Enquanto a malha rodoviária se encarrega de escoar 75% da produção, o ferroviário só transporta 5,4% do que é comercializado no país. Daí a razão dos projetos ferroviários dificilmente envelhecerem no papel, engavetados. A desgraceira é que quando são executados, os projetos demoram anos para serem concluídos e entrar em operação. Se não forem paralisados e abandonados.

*
Não foi milagre e muito menos magia que fizeram a economia brasileira crescer no início da era PT. Simplesmente, o Brasil foi agraciado com o boom de movimentos externos. Em 2002, a economia deu gigantesco salto. Pulou da 13ª posição no ranking mundial para o 6º lugar em 2011. Passando a Grã-Bretanha. Para dar esse pulo, a China ajudou. Aumentou a importação de minério de ferro e da soja brasileiros.

Quando assumiu o poder, o PT defendia algumas teorias. Economia socialista, quebra de contratos, estatização da produção, reforma agrária à força, calote das dívidas, fogo brando nos sindicatos, embora fosse favorável às greves. O resultado foi crise braba. Para evitar a fuga de capitais, a disparada do dólar, o estouro do IPCA que pulou para 12,5% e da taxa Selic que saltou para 24,5%, em 2003, houve arrocho. Pesado.

A equipe técnica nomeada, composta só de feras com ideias ortodoxas foi tampa. A primeira ação foi o brutal ajuste econômico para frear inclusive a fuga de capitais. A consequência foi imediata. A inflação despencou de 17 para 5%, recuperando a confiança. O dólar, fortíssimo, caiu com a guerra do Iraque. O crédito expandiu-se, favorecendo as exportações de commodities, a renda, o emprego e o consumo. Com a renda em alta, shoppings cheios, restaurantes lotados, aeroportos abarrotados de passageiros, a pobreza se tornando classe média, filas nas compras de automóveis. Depois que a ventania passou, o sonho acabou. O fogo apagou. A economia começou a afundar. Até hoje.

Deixe uma resposta