NOTAS

A Organização Internacional do Trabalho-OIT levantou dados, analisou e surpreendeu-se com o resultado da pesquisa. O salário real no Brasil tenta se restabelecer, mas, enfraquecido, cai. Perde o poder aquisitivo. Em dez anos, enquanto o salário na China dobrou, no Brasil, a recuperação salarial foi acanhada. Nos países do G-20, então, ao passo que a renda real aumentou satisfatoriamente, em 2016, a do trabalhador brasileiro registrou enorme queda. Repetiu o insucesso de 2015. Conclusão da OIT. Com a desaceleração salarial, o consumo fraqueja e a economia murcha. Retrato atual do Brasil, empanturrado de incertezas.

*
As estimativas indicam que o carnaval deve injetar mais de R$ 6 bilhões na economia brasileira. São dezenove segmentos econômicos os beneficiados com os benefícios do entrudo. Dentre as principais atividades favorecidas, constam o turismo, hotelaria, alimentação, transporte, indústria de bebidas, de adereços, fantasias e ornamentação, artistas, músicos, designer, arquitetos, engenheiros, técnicos e produtores de espetáculos, os desempregados e gestores culturais. Por oferecerem mais atrativos, Rio de Janeiro e São Paulo recebem a maior leva de brincantes. Mas, sobra uma laminha para Salvador e Recife vibrarem com a grandiosa festa popular de Rei Momo.

*
O euro completa 20 anos. Em 1999, onze países se uniram para criar a União Europeia, bloco com moeda única. A finalidade, era promover a estabilidade entre os países membros. Nos dez primeiros anos, o mercado europeu expandiu-se. Porém, ao completar a segunda década de existência, explodiram crises econômicas e financeiras no poderoso bloco. Portugal, Espanha, Chipre, Grécia e Irlanda pediram socorro. Agora, o Reino Unido, em debates internos, planeja sair do grupo. Cair fora para se tornar um país independente.

*
A Lei de Responsabilidade Fiscal, que estabelece normas para controlar as finanças públicas da União, estados, Distrito Federal e municípios, existe desde o ano de 2000. A LRF condiciona os gastos públicos à capacidade da arrecadação. Todavia, o Ministério Público de Contas-MPC constatou que os gestores costumam se exceder nas despesas de pessoal. Bem acima do limite. No Rio Grande do Norte, o MPC encontrou 83 municípios ferindo os princípios básicos da LRF. Alguns, inclusive, declarados em situação de emergência fiscal. Por isso, foram impedidos de usar recursos públicos para promover eventos artísticos e culturais. Pra essas cidades, o carnaval já era. Por culpa de incompetentes prefeitos.

Deixe uma resposta