MUNDO PARALELO

Há um mundo paralelo chamado Petelândia. Nele, o ex-presidente Lula não é alguém encarcerado por corrupção, mas um preso político. Na Petelândia, as eleições do ano passado foram ilegítimas pela não participação de Lula. Nesse universo à parte, porém, a reeleição de Nicolás Maduro na Venezuela foi legítima, apesar de dois de seus adversários terem sido presos para não concorrer, o que gerou contestação até da Organização dos Estados Americanos (OEA). Na Petelândia, o terrorista Cesare Battisti é uma vítima de governos autoritários, apesar de a Itália ser um país democrático e sua extradição ter sido defendida até mesmo pelos partidos italianos de esquerda. O problema para o PT é que há um mundo à margem da realidade e nele a direção do partido vem tomando iniciativas baseadas nessa percepção ilusória que lhe rende cada vez mais prejuízos políticos. Suas lideranças vivem no mundo da lua.

Transcrito da revista IstoÉ

4 comentários em “MUNDO PARALELO

  1. A LULOLATRIA não é um caso de fanatismo e sim de saúde que podemos denominar de DISSONÂNCIA COGNITIVA. A dissonância cognitiva é um termo cunhado pelo psicólogo norte americano Leon Festinger, já no campo da política, a dissonância cognitiva manifesta-se quando uma determinada autoridade de direito, reconhecida como tal pelo povo, se COMPORTA DE FORMA IRRACIONAL(A Vaca da Gleisi com o Lula, por exemplo!!!), fazendo com que o cidadão tente conciliar mentalmente essa autoridade de direito, por um lado, com a IRRACIONALIDADE que se lhe reconhece no seu comportamento, também por outro lado. A teoria da dissonância cognitiva baseia-se na premissa de que a pessoa se esforça para manter a coerência entre suas cognições (CONVICÇÕES e OPINIÕES). Quando uma pessoa tem uma crença sobre algo e age diferente do que acredita, ocorre uma situação de DISSONÂNCIA. A dissonância é a contradição e uma das principais fontes de inconsistência no comportamento do ser humano.

    P.S.: – Para o comuna “incarnado” admitir que o “PETISMO ET CATERVA” ou o governo de esquerda que se implantou, com sua ajuda militante, é perverso, burro e ineficaz leva-o a uma severa crise de ordem, digamos, EXISTENCIAL: ele entrará em profunda dissonância cognitiva!!! Logo, o único jeito de evitar ou superar a dissonância será criar explicações e buscar afirmar realidades alternativas. vale dizer: MENTIROSAS…

  2. Quem já ouviu falar num tal de ZÉ DO BREU DA GROBO, um ator que além da mania que tem de cuspir nos rostos das mulheres, sempre foi um decorador de papéis coadjuvante e nunca protagonista!!! A última do gênio foi acusar o Mossad, serviço secreto israelense, de ter tramado e executado um atentado falso ao Presidente RECRUTA ZERO, com a cumplicidade do Hospital Israelita Albert Einstein. Ele é um petralha que só tem dois neurônios. E que por ocasião da mais leve mudança de tempo, na primeira descarga elétrica, seus dois pobres neurônios entram em curto-circuito!!!

    P.S.: – O Zé do Breu é um daqueles que sofre de dissonância cognitiva junto dos lulo-petistas que têm uma necessidade interior para garantir que as suas crenças (ou desculpas fajutas) e comportamentos sejam consistentes. Crenças inconsistentes ou conflitantes levam a desarmonia, que as pessoas razoáveis e não fanáticas se esforçam para evitar.

  3. Altamir, seu diagnóstico está correto, mas acho que fanatismo é um sinônimo correto, em termos informais. Um fanático religioso (o uso mais comum do termo) faz exatamente a mesma coisa quando constata que o líder de sua seita não é o santo que prega ser: agarra-se à irracionalidade e passa a ver inimigos em todos que não compartilhem de sua cegueira voluntária.

Deixe uma resposta