LUIZ PEIXOTO – FORTALEZA-CE

Caro editor da única mídia independente do Brasil,

dá pra postar esse vídeo para tentar abrir os olhos de quem teima em NÃO querer ver a realidade??

3 pensou em “LUIZ PEIXOTO – FORTALEZA-CE

  1. João Francisco
    1) o FHC, em seus oito anos de governo, tentou alterar o sistema previdenciário, mas só conseguiu algumas mudanças no setor privado, do INSS
    2) o Lula, logo no primeiro ano de seu governo, em 2003, teve como sua primeira grande vitória a reforma da previdência – como as alterações feitas pelo FHC pareciam então suficientes, Lula concentrou-se no setor público.
    Os servidores do Estado que ainda não contavam com direito adquirido podiam chegar a ter a integralidade de vencimentos, mas para isso precisavam cumprir cinco requisitos. Os homens, 60 anos de idade, 35 anos de contribuição, 20 anos de serviço público, 10 anos de carreira e 5 anos no último cargo.
    As mulheres, 55 anos e 30 anos de contribuição além das outras três exigências. Se não conseguissem preencher todos os requisitos, teriam aposentadoria calculada pela média dos salários recebidos durante toda a vida profissional, o que resultava num benefício necessariamente inferior ao salário integral.
    Dentre outras coisas, os servidores (conhecidos como funcionários públicos) aposentados passaram a pagar 11% dos proventos como contribuição social.
    Os cálculos na época foram de que a reforma feita pelo Lula traria sessenta bilhões de reais aos cofres públicos até 2023.
    3) Não sou contra a reforma da previdência do governo Bolsonaro e graças à reação da sociedade e ao entendimento dos deputados federais o que se pretendia foi enxugado, de tal forma que ela ficou mais palatável do que a proposta do governo, sendo que ainda se criticam prejuízos a quem ganha menos de dois mil reais.
    4) Creio que eu não tenho sido visto, aqui, atacando ferrenhamente a reforma da previdência do governo como um todo, mas eu fazia parte dos que viam com desconfiança a proposta de sistema de capitalização (aposentadoria privada), e que condenavam as pretensões de redução dos benefícios de agricultores, idosos e deficientes.
    5) A reforma do Lula também sofreu reações inflamadas. Diz a VEJA: “Lula teve de enfrentar protestos violentos e greve de servidores. No dia da votação, houve tentativa de invasão do Congresso e confronto com a polícia. A franja mais radical do PT não se dobrou ao Planalto. Nem o Planalto a ela. Parlamentares rebeldes acabariam expulsos do partido, com aval de Lula, para depois lançar o PSOL.”
    6) Lula conseguiu apoio até do PSDB e do atual DEM (PFL na época), e aí teve aquele papo que muitos votaram comprados (o tal do Mensalão).
    7) Quaisquer semelhanças não são meras coincidências. É a política.

    • O PFL e o PSDB à época do lula ajudaram a aprovar aquela mini reforma de 2003 que era melhor para o país. O PT se dividiu, porém alguns votaram. Dilma não teve coragem de mexer, ficou sem dinheiro, deu pedaladas e caiu. Temer foi boicotado pelo esquema Globo / JBS. Porque agora não apoiou a Reforma da Previdência?.

      Lembrando que o PT nunca apoiou medidas de outros governos que pudessem beneficiar o país; não assinou a constituição de 88, foi contra o plano Real e a Lei de responsabilidade fiscal.

      Seria o PT o partido do quanto pior melhor para os governos de oposição? (Pergunta retórica apenas).

Deixe uma resposta