GUEDES PEDIU PACIÊNCIA

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu ontem (12/ago/19) políticas de liberalização econômica e pediu paciência para que as reformas comecem a mostrar resultado na recuperação do país.

“Dê um ano ou dois, dê um governo, dê uma chance de um governo de quatro anos para a liberal-democracia. Não trabalhem contra o Brasil, tenham um pouco de paciência”, disse Guedes durante um seminário sobre a Medida Provisória da Liberdade Econômica (MP 811/2019) no Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília.

Em sua fala, Guedes fez uma longa defesa de políticas liberais contra o “atraso cognitivo” que, segundo ele, nos últimos 30 anos de social-democracia, levou o Brasil de uma economia dinâmica à estagnação. “Espera quatro anos, vamos ver se melhora um pouco, nos deem chance de trabalhar também”, afirmou.

* * *

Tá bom, Paulinho, seremos pacientes.

Mas quanto tempo devemos esperar? Vinte anos? Cinquenta anos? Antes disso o país acaba. Isto é: teremos uma convulsão social.

Mas você não verá isto acontecer porque vai para casa curtir seu fracasso em dezembro de 2022. Você será o único culpado pela derrota de Bolsonaro nas próximas eleições e o responsável pelo retorno da esquerda demagógica ao poder. Isso não te preocupa?

Não venha dizer que nossos problemas foram causados pela “social-democracia” pois nunca tivemos isso no Brasil. Social democracia é coisa de país desenvolvido. O que tivemos por aqui foi uma cleptocracia incompetente, inclusive graças a neo-liberais como seus amigos Nelson Barbosa, Joaquim Levy e Henrique Meirelles, que jogaram a pá de cal na economia no final do governo Dilma/Temer.

Veja o mal que sua teoria econômica rasteira e medíocre está causando ao país. Seu credo que o “Deus Mercado” libertará o espírito empreendedor dos brasileiros e trará a prosperidade não passa de um mito. Esse Deus Mercado não existe. Fazer uma pajelança para que investidores estrangeiros venham promover nosso desenvolvimento é também mais um culto pagão sem resultados práticos. Eles vêm, sim, mas para comprar o que já está construído, nossa infraestrutura energética, nosso petróleo já descoberto, etc. Não vão botar um tostão para criar coisas novas. Empreendedores investem para explorar mercado, não para criar mercado. Simples assim. Quem cria mercado é o Estado. Não te ensinaram isso lá em Chicago? Ou você faltou a aula nesse dia?

Se você conhecesse um pouco de economia política (e um pouquinho da história do Brasil) você saberia que sem o Estado como indutor não há desenvolvimento. Desafio você a mostrar ao povo brasileiro um país no mundo (basta um único país) que tenha se desenvolvido sem forte atuação do Estado como indutor e protetor das atividades econômicas.

Durante o período militar, mesmo com a forte influência liberal de Roberto Campos, os governantes perceberam que nada poderiam esperar da iniciativa privada e saíram criando empresas estatais para suprir o país da infraestrutura tão necessária. Não Paulinho, os milicos não eram socialistas ou comunistas. Eram de direita, mas não eram burros. Entenderam que o Estado cria o mercado e depois a iniciativa privada vem atrás para explorar este mercado. É (foi) assim no mundo todo.

Você viu o que aconteceu na Argentina ontem? (12/ago/19) É a esquerda demagógica preparando sua volta ao poder. Eles estão dizendo: “estamos aqui para limpar as atrocidades cometidas pelos liberais”. Não vão limpar nada, mas eu entendo o raciocínio dos Argentinos: melhor um ladrão que traz o desenvolvimento que um honesto que só trouxe a bancarrota.

Essa desgraça vai acontecer porque seu amiguinho Maurício também comunga pelo mesmo credo do Deus Mercado. Ele “arrumou a casa” acabando com subsídios absurdos, restaurando a confiança nos índices de inflação entre outras medidas saneadoras. Tal como você está fazendo com a reforma trabalhista, a reforma fiscal, a desburocratização, etc. Estas são medidas necessárias, mas não suficientes para alavancar o desenvolvimento. O fato da casa estar arrumada não faz que investimentos caiam do céu como um maná moderno.

Noto que sua amiga, Míriam Leitão, escreveu um artigo no GLOBO em seu apoio dizendo que a Argentina é diferente do Brasil. Não Paulinho, o efeito Orloff existe de fato. A Argentina de hoje é o Brasil de amanhã. Se as políticas neo-liberais são as mesmas, o efeito será o mesmo. Esta é uma regra científica.

Sugiro que você leia um pouco sobre economia. Que tal começar pelo básico? Recomendo o livro Sistema Nacional de Economia Política, publicado em 1841 pelo economista alemão Friedrich List. É bem primário, mas depois deste posso indicar outros autores mais modernos.

Espero que você se instruindo possa entender que um país não é uma corretora de valores mobiliários, que macro-economia é muito diferente de micro-economia. Recomendo também um pouco de humildade para copiar o que está dando certo nas economias da China, Coreia do Sul e Índia. Copiar não é motivo de vergonha. Não pense que você é mais inteligente que os orientais. Esqueça Chicago e copie descaradamente o que eles estão fazendo.

Faça isso pelo bem do Brasil ou, pelo menos, para seu próprio curriculum.

Saudações angustiadas do Dinossauro

24 pensou em “GUEDES PEDIU PACIÊNCIA

  1. Só mesmo no JBF: um sujeito bacharelado em Ciências Dinossáuricas querer dar lições a um gênio como Paulo Guedes. Só mesmo nesta gazeta escrota. Realmente, aqui tem de tudo e mais alguma coisa!!!

    • Lelé:

      Fica tranquilo que o maior bem da Democracia é termos ideias controversas!

      Vê o Ministro do Supremo Tribunal de Favores, Dias Tô Folotti, querendo ser Sérgio Moro!

      O Leonardo Arruda está certo. Até o título de sua coluna já diz tudo!

  2. Meu deus! O cara é um dinossauro mesmo. Criticar Roberto Campos dizendo que apesar dele os militares criaram empresas estatais é de uma mediocridade intelectual de dar dó.

    Roberto Campos é um dos ícones do liberalismo no Brasil. Após o Golpe de Estado de 1964, foi ministro do Planejamento durante o governo de Castelo Branco, quando promoveu muitas reformas econômicas. Foi um dos idealizadores do BNDES, Banco Central do Brasil, Estatuto da Terra e do FGTS. Não criou uma estatal, pois sabia que o Estado não cria riquezas.

    Quem participou da criação das empresas estatais do regime militar foi Delfim Neto, sim, ele, o queridinho do Lula e dos esquerdistas. Direita nacionalista e esquerda comunistas são portanto faces da mesma moeda e na economia estão do mesmo lado.

    Ah, não existe o tal “Deus Mercado”, tão incensado pela esquerda, e por esta Direita Nacionalista. O mercado sou eu, é a dona de casa que tem que fazer escolhas na hora da compra e é o investidor que vê oportunidades em um país como o Brasil e pode dar retorno nos investimentos, pois quem fica contando dinheiro, também não gera riquezas.

    Portanto, Sr. Dinossauro, vá se agarrar aos petistas e fique torcendo pela quebra da nossa economia, como se a mesma já não tivesse quebrada..

    O Brasil foi quebrado pelo gigantismo dos militares que endividaram o país com obras faraônicas desnecessárias (sabe o quanto já foi gasto nas usinas nucleares e quanto de energia elas já produziram?). Depois foi roubado pelos governos de esquerda que se seguiram e saquearam as estatais que já deveriam ter sido privatizadas.

    • João Francisco:

      Uma correção, meu querido comentarista, Roberto Campos foi, é e sempre será o maior ícone do liberarismo econômico brasileiro!

      o Roberto Campos é tão bom que se antecipou às ideias do maior historiador da atualidade, Yuval Harari, que afirma irrefutavelmente ser o capitalismo é uma religião e não apenas uma teoria econômica!

      • Obrigado caro Cícero, talvez pelo que escrevi, ainda não tenha colocado toda a dimensão do Roberto Campo. Apenas não deixei que o Dinossauro o confundisse com o Delfim Neto, herói dele.

      • Cícero, você me deixou curioso e fui dar uma pesquisada sobre o tal Harari. Não consegui achar nada sobre a afirmação que você citou, mas vou procurar mais.

        Por enquanto, continuo achando que o capitalismo, como teoria econômica (não política!) é uma espécie de “lei natural”, que segue as leis da lógica e as consequências da natureza humana.

        Por outro lado, se um fanático religioso diz que o remédio para uma doença é água benta, não adianta você mostrar milhares de casos de doentes que tomaram água benta e morreram, ele responderá que eles não tomaram água benta suficiente. Substitua água benta por estado e você terá os socialistas, estatistas e keynesianos.

          • segue
            Ha­rari nasceu em Kiryat Ata , Is­rael, em 1976 e cresceu em uma fa­mília judia se­cular [3] com raízes li­ba­nesas e da Eu­ropa Ori­ental em Haifa , Israel. [4] Ha­rari é gay [5] e em 2002 co­nheceu seu ma­rido Itzik Yahav, a quem ele chama de “minha in­ternet de todas as coisas”. [6] [7] Yahav também é o ge­rente pes­soal de Harari. [8] Eles se ca­saram em uma ce­rimônia civil em To­ronto, no Canadá. [9] O casal vive em um moshav (um tipo de co­mu­ni­dade agrí­cola co­o­pe­ra­tiva de fa­zendas in­di­vi­duais), Me­silat Sião , perto de Jerusalém. [10] [11] [12]

            Ha­rari diz que a me­di­tação Vi­pas­sana , que ele co­meçou en­quanto es­tava em Ox­ford em 2000, [13] trans­formou minha vida . [14] Ele pra­tica por duas horas todos os dias (uma hora no início e no final de seu dia de tra­balho [15] ), todo ano re­a­liza um re­tiro de me­di­tação de 30 dias ou mais, em si­lêncio e sem li­vros ou mí­dias so­ciais, [ 16] [17] [18] e é pro­fes­sora as­sis­tente de meditação. [19] Ele de­dicou o Homo Deus a “meu pro­fessor, S. N. Goenka , que ca­ri­nho­sa­mente me en­sinou coisas im­por­tantes”, e disse: “Eu não po­deria ter es­crito este livro sem o foco, paz e dis­cer­ni­mento ad­qui­ridos com a prá­tica de Vi­pas­sana por quinze anos”. [20] Ele também con­si­dera a me­di­tação como uma ma­neira de pesquisar. [18]

            Ha­rari é ve­gano, e diz que isso re­sultou de sua pes­quisa, in­cluindo sua opi­nião de que a fun­dação da in­dús­tria de la­ti­cí­nios está que­brando o vín­culo entre a mãe vaca e o bezerro. [4] [21] Em ja­neiro de 2019, ele não tem um smartphone . [22]

            • Cícero , por favor desvende o fato ,para que possamos examinar. Sera que a bibliografia está certa ?. Será que se trata da mesma pessoa .? Judeu casado com com……judeu ? Formação : Faculdade de Jesus , Oxford , Inglaterra .Não , não deve ser a mesma pessoa , apesar do c* ser laico. Será que o nosso nordeste está quebrando o vinculo da vaca com o bezerro? Bom aqui em São Paulo o vinculo da vaca é com uma caixinha da suíça Tetra Pak.

              • Cìcero , desculpe minha chatice , é que não posso sair, lá fora chove , faz 8 graus e não gosto de ver tv , por isto fico aqui atormentando.

              • Caríssimo Joaquimfrancisco:

                Impressionante! Mas eu tomei foi um susto da porra quando vi essa “maimota”, como dizia minha avó materna, Dona Dina que, se viva fosse, dizia: “Cruz Credo!

      • Caro amigo colunista Cicero Tavares.
        Concordo mil por cento com o Amigo a respeito do inolvidável Roberto Campos.
        Lembro-me que não perdia nenhum dos seus comentários e artigos sobre
        politica e administração governamental. Sempre esclareceu e combateu os comunistas burros e incompetentes
        com exemplos e muita lógica.
        Hoje ainda nos resta alguns analistas políticos de qualidade, mas nenhum chega perto da grande inteligência do
        saudoso Roberto Campos.

  3. Sugiro ao Dinosauro Rex que escreve besterias sobre economia, neste item está mais para cérebro de calango. Sugiro ler os artigos do mises.org.br lá vai encontrar as respostas para todas as suas dúvidas e talvez possa aprender um pouco sobre economia.
    Em relação ao Meireles, este cara salvou o país no primeiro governo do Lula, apesar do PT, quando converteu toda a dívida federal de dólar para real, acabando assim a exposição do Brasil aos humores financeiros do mundo, basta ver que ele salvou o Brasil da crise de 2008. Lembrar que no passado a bolsa da Argentina caiu 10% e quebrou o Brasil e nesta semana a bolsa caiu 35% e nada aconteceu. Acabou o efeito orloff. A sua visão Keinisyana é muito fraca, quero ver como responde a seguinte pergunta:
    Para a sua idéia que um país se desenvolve se o governo investir, então diga de onde o governo vai tirar dinheiro para investir????
    Como ajuda a você responder basta lembrar que o Lula e a Dilma pegaram bilhões e deram para os empresários/amigos que investiram no pais e eles investiram em : contas na Suíça, Panamá, triplex, sítios, etc.
    Como ajuda a você veja como os militares investiram: pegaram empréstimos no exterior que vamos terminar de pagar no ano de 2.450. Você não caiu naquela lorota que o Lula pagou a dívida externa, ou caiu?
    Outra sugestão para você não responder errado é a idéia de que o governo pode emitir dinheiro. Basta ver na Venezuela e a Argentina os governos emitem dinheiro para pagar as suas despesas, a inflação dispara indo a 10 milhões. Em 1924 a Alemanha fez esta merda e quebrou, só se recuperou porque colocou um ministro da fazenda liberal e proibiu o governo de imprimir dinheiro. Depois desta quebra e conserto abriu caminho para o Hitler como salvador da pátria que passou a investir novamente na economia para salvar o país, e você como bom dinossauro sabe o que veio depois.

  4. Engraçado , se Paulo Guedes pediu para esperar quatro anos, porque perguntar se termos que esperar 20 ou 50 anos ? O país passou por momentos piores , desde Sarney até Temer por saques e roubos generalizados e não acabou. Os problemas , se tinha algum se agravaram neste grande período , e criou-se outros muito , mas muito maiores durante o desgoverno lula-dilma. Parece que estás doido também pela derrota de Bolsonaro . Pode-se até afirmar isto , baseado no que escrevestes sobre ele logo que te apresentastes . Mas nâo vem ao caso.
    “Você será o único culpado pela derrota do Bolsonaro nas próximas eleições e responsável pelo retorno da esquerda” , Putz! mas nem se sabe se ele se candidatará !. Parece mais frase da ultima lagartixa da esquerda!. A contar pela luta incessante da esquerda infiltrada por lula e dilma em todos os poderes contra o atual presidente , a contar pelo apoio popular que ele recebe , a contar pelo combate da imprensa que perdeu sua boquinha , a contar pela parte do judiciário que apoia falsificação , roubo e violação de correspondência , para facilitar a volta da corrupção de que se alimentam, o governo vai bem . E vai bem , sofrendo revezes por parte dos que querem a volta das mamatas , que ele tenta eliminar pacificamente sem recorrer a força.
    “Entendo o raciocínio dos Argentinos , melhor um ladrão que traz desenvolvimento , que um honesto que só trouxe a bancarrota “. Com este entendimento vais para o lugar de Dias Tóffoli ! Ladrão nenhum traz desenvolvimento , tudo que ele faz é para si e os seus , e as vezes umas quireras para os serviçais calarem a boca , mas quando a polícia descobre é cana !. As vezes por terem arranjado costa quente ficam presos em spa ou em suas mansões. No teu entender nós honestos então somos culpados por bancarrotas criadas pelos desonestos tanto de esquerda quanto de direita. Tu és como Goiano , mas ainda não se pode afirmar de que lado. Lembre-se que os dinossauros reinavam no planeta , eram grandes e majestosos porém se tivessem cérebros compatível com o tamanho , talvez tivessem se perpetuados fora da área de paleontologia.

  5. Uma tendência que já notei, embora não entenda, é a moda de xingar os outros colocando “neo” na frente. Eu, por exemplo, já fui xingado de neo-ateu.

    Concordo que o Brasil nunca teve nada de social-democracia, aliás nem de social e nem de democracia. Mas e o tal do neo-liberalismo? O Brasil nunca teve nem sombra de liberalismo. Ou será que existe algum raciocínio tortuoso para explicar que pode-se ser neo-liberal sem ser liberal? Na verdade, minha impressão é que neo-liberal é como a esquerda xinga os países estatizantes em que ela perde as eleições.

    Enquanto isso fico cada vez mais adepto da teoria da ferradura: direita e esquerda não se afastam, se aproximam. Quase se tocam. Acho que vou batizar de teoria da neo-ferradura.

  6. Lula disse num debate que ia gerar 10 milhões de empregos. Na reeleição. Não conseguiu porque em 2008 a economia caiu, mas ele se defendeu dizendo que tinha dito que o “Brasil precisava de 10 milhões de empregos”.

    Eu não acho que Paulo Guedes está errado. No dia 26/07 ele reduziu o compulsório de 33% para 31% injetou R$ 20 bilhões na economia.

  7. Texto estúpido e sem nexo real. Um absurdo dando aulas de
    economia e política administrativa, Falar mal de Roberto Campos só pode indicar o grau de inguinorança do
    suposto professor, dando aula aos alunos estúpidos e sem
    noção alguma da realidade atual, consequência do passado recente e tenebroso. Não vi uma crítica os desmandos lulistas.
    Só para melhor elucidar o seu texto, repito o que foi descrito
    com enfase em concordância com seu pensamento:
    MELHOR UM LADRÃO QUE TRAZ O DESENVOLVIMENTO, QUE UM HONESTO QUE SÓ TROUXE DERROTA .
    Ora, vá plantar batatas. Sua sapiência chegou ao limite
    da estupidez, achar que em 7 meses o novo governo
    têm a obrigação de corrigir a ladroagem de mais de vinte anos, incluindo a incompetência do gagá FHC.
    Por essas e outras é que os Dinossauros entraram em extinção.

  8. A parte boa das diatribes do “Dinossauro” é quando ele “ensina” a Guedes que ele deve fazer igual a China.
    Nesta frase, segundo pude entender, está implícita a obrigação de botar o governo no papel de “Motor” do desenvolvimento econômico.
    Nada mais longe da realidade!
    Na qualidade de “Zon Guo Ton” (Professor sobre a China), título que me foi dado por alguns dos parceiros com quem fiz negócios no Império do Meio, o que Deng fez, basicamente, e que deu uma turbinada estupenda na economia da China, foi oficializar “Zonas Especiais de Desenvolvimento Econômico” em que se aceitou, e até oficializou, que aqueles pequenos consórcios financeiros criados na informalidade para bancar empreendedores das comunidades, passassem a ter constituição legal, fossem formalizados e tivessem todo o apoio e direcionamento estatal.
    O estado chinês passou a ser o padrinho oficial dos capitalistas informais. NÃO O INVESTIDOR!
    Com isso, toda a imensa poupança acumulada por uma população que não tem Assistência Médica do Governo, não tem plano de aposentadoria governamental, não tem bolsa de coisa nenhuma, e que milenarmente se acostumou a guardar cerca de 40% da sua renda para os tempos difíceis, passou a direcionar toda esta imensa montanha de recursos que estavam inertes gusrdado debaixo dos colchões, para alavancar o investimento produtivo.
    O resultado pode ser visto na explosão em Shenzen (saiu de 30.000 habitantes para 9.000.000 em pouco mais de 20 anos), em Xiamen, especializado em produtos eletrônicos; em Wushi, especializado em máquinas de manufatura; em Tianjin, especializada em máquinas para construção; em Jinan, especializada em aciaria; em Ningbo, especializada na produção de pequenos equipamentos, em Weihai, especializada na produção automobilística, em Donguan, especializada na produção de sapatos, em Foshan, especializada na produção de cerâmicas, e por aí vai.
    Nem de longe teve nada a ver com o Keynesianismo que o senhor propõe ou insinua.

    • Adônis, é verdade que a China até tem umas empresas boazinhas, mas não tem um empreendedor do porte de nosso Eike Batista, ou um grupo empresarial comparável à nossa Odebrecht……

      Como dizia a antiga vinheta da Globo: Braziu-ziu-ziu!!!

  9. Caro Cícero,
    Muito obrigado por seu gentil comentário.
    Quanto ao Brasil, é como Marcelo ironizou tão bem:
    Não tem poupança nenhuma. A imprevidência é total!.Só tem Gastança! Primeiro, com a descomunal esbórnia estatal. Depois com a “Nova Matriz Econômica” de Mantega et caterva. Queriam fazer desenvolvimento econômico com gastança em consumo por parte de milhões de mortos de fome, todos bancados por generosos subsídios estatais e sem produzir coisa nenhuma.
    Só crianças!.
    Acho que até Keynes deu uns dois salto-soltos, de costas, dentro de seu túmulo quando chamaram aquela estrovenga de “Keynesianismo”.
    Só podia dar na imensa merda que deu!

Deixe uma resposta