ESTADISTA É ISSO AÍ

Augusto Nunes

Direto da cadeia em Curitiba, Lula ensina o que Bolsonaro deve fazer para salvar o Brasil que o PT quebrou

“Pobre Brasil. Um ministro apresenta um pacote pra combater o crime. Outro promete um pacote que vai aumentar a desigualdade e, por consequência, a criminalidade, que é a Reforma da Previdência. Eles precisam é apresentar um pacote pra salvar o Brasil. Simples: medidas que gerem emprego, renda e educação. Falta a esse governo entender que o Estado precisa entrar nas favelas com política pública e não só com polícia”.

Lula, horas antes de ser condenado a 12 anos e 11 meses no caso do sítio em Atibaia, ainda sem explicar por que o PT passou 13 anos no poder sem apresentar medidas que gerassem renda e educação, sem entrar nas favelas, e de quebra deixando uma herança 13 milhões de desempregados.

6 pensou em “ESTADISTA É ISSO AÍ

  1. Tá na cara que esse palavrório não é do sujeito. Mandou alguém escrever.

    De qual “politicas públicas” falam os despejados?

    Ficaram no governo por 13 anos, porque não implantaram as tais “politicas” salvadoras?

    • Faltou uma parte:

      Estado não precisa entrar em favela, ou seja, numa linguagem mais simples:

      -Governos tem que trabalhar para que o cidadão saia da favela desde de que ela não traga benefício e desenvolvimento.

  2. Gostei das idéias para salvar o Brasil, mas acho que minha interpretação não é a mesma deles:

    – Medidas que gerem emprego e renda: Menos estado, Menos impostos, Menos regulamentações, cadastros e alvarás. Mais liberdade para empreender.

    – Medidas que gerem educação: Liberdade para os pais escolherem a escola de seus filhos, em regime de concorrência. Quem não tiver competência fecha. Um bom sistema seria o regime de vouchers para todas as crianças, com a família podendo complementar caso a mensalidade da escola seja superior ao valor do voucher.

    – Entrar nas favelas com políticas públicas: A melhor política que o governo pode adotar é não atrapalhar. Acabar com os privilégios das parcerias vereadores-milícias, facilitar ao máximo a criação de pequenos negócios e entrar com polícia sim, para mostrar que a lei é a mesma em todo o país. Tratar o morador da favela como um cidadão igual aos outros, não como um coitado que tem que ser “protegido” pelo governo e que só serve para participar (coagido) de manifestação “progressista”.

  3. Em vez de entrar em favela, que tal acabar com as favelas, proporcionando moradia decente a todos, com educação, saúde e segurança que são os direitos que os governos deviam garantir e agir para assegurar.

    • Ronaldo, esses “direitos” são simplesmente o nosso próprio dinheiro que o governo toma, fica com uma parte e usa o resto para fingir que está “dando” alguma coisa.

      O dia em que o povo descobrir que governo nenhum “dá” nada para ninguém, muitos de nossos problemas desaparecem.

Deixe uma resposta