ENVELHECER COM SABEDORIA

O envelhecimento é um processo que traz diversas modificações no corpo como diminuição da mobilidade, da força e da agilidade, o que interfere na autonomia da vida diária. Muitas dessas alterações moderam a capacidade de locomoção do idoso, entretanto é possível amenizar os efeitos com atividades físicas.

Uma das grandes preocupações em relação à velhice é ser dependente de outras pessoas. Todavia, existem diferenças entre independência e autonomia. Independência refere-se à capacidade de realizar atividades cotidianas sem auxílio. Autonomia é a competência de gerir a própria vida e de tomar decisões.

Devemo focar nos ganhos que surgirão com a idade: amadurecimento, experiência, capacidade de perceber detalhes que os mais jovens não conseguem, e a liberdade que vem com o envelhecer. Aproveitar o tempo, vivendo sem a angústia do futuro, constitui uma qualidade de vida de quem investiu no autoconhecimento.

Durante toda a vida, não devemos ter receio de continuar a amar, desenvolver a gratidão e respeitar quem está ao nosso lado. O poeta pernambucano Bastos Tigre (1982-1957) nos ensina em sábios versos a importância de envelhecer bem:

ENVELHECER

Entra pela velhice com cuidado,
Pé ante pé, sem provocar rumores
Que despertem lembranças do passado,
Sonhos de glória, ilusões de amores.

Do que tiveres no pomar plantado,
Apanha os frutos e recolhe as flores
Mas lavra ainda e planta o teu eirado
Que outros irão colher quando te fores.

Não te seja a velhice enfermidade!
Alimenta no espírito a saúde!
Luta contra as tibiezas da vontade!

Que a neve caia! o teu ardor não mude!
Mantem-te jovem, pouca importa a idade!
Tem cada idade a sua juventude.

9 pensou em “ENVELHECER COM SABEDORIA

  1. Um texto que enaltece a velhice com argumentos bem fundamentados, juntamente com um belíssimo soneto de Bastos Tigre. Estou na boa idade e o seu artigo me deixou com alto astral. Há uma frase de Gabriel Garcia Marques, que acho de uma sabedoria ímpar: “O segredo de uma velhice agradável consiste apenas na assinatura de um honroso pacto com a solidão”.

    • Venho observando há alguns anos o comportamento de pessoas bem mais velhas, veja tanta diferença entre, modo de pensar, conviver com tempos modernos e ter consciência de estar velho. Temos que nos preparar para essa idade maravilhoso de forma gradativa. Hoje com 54 anos muitas vezes coloco-me na posição dos mais antigos para tentar compreender muitos momentos.

      • Marcos Ribeiro,

        Muito obrigado por seu comentário assistencial. Sobre a consciência de estar velho, concordo plenamente; pois é ridículo ver uma pessoa de idade avançada com um vestuário inadequado, cabelos em forma de rabo de cavalo e uma linguagem cheia de gírias usadas por jovens. Aproveito a ocasião para compartilhar uma frase de Augusto Cury com o prezado amigo e leitor fubânico:”O intervalo de tempo entre a juventude e a velhice é mais breve do que se imagina. Quem não tem prazer de penetrar no mundo dos idosos não é digno da sua juventude…”

        Saudações fraternas,

        Aristeu

  2. Vitorino,

    É gratificante receber seu inteligente comentário. Quanto a frase de Gabriel Garcia Marques, confesso que me surpreendeu pela verdade contida em tão poucas palavras. A velhice é fisiológica, entretanto algumas pessoas encaram como uma patologia. O bom é saber viver cada ciclo da vida…. E por falar em vida, lembrei-me de uma sextilha do poeta Alexandre Morais, que compartilho com o nobre leitor fubânico:

    A nossa vida é um pano
    Quarando num espinheiro,
    Que todo dia se rasga,
    Mas o tempo é costureiro
    E o pano que foi rasgado
    Quando dá fé tá inteiro.

    Saudações fraternas,

    Aristeu

  3. Parabéns pelo excelente texto, prezado Aristeu Bezerra!

    Digo e repito, que a JUVENTUDE é um estado de espírito, como também a VELHICE.! O Homem só envelhece, quando abandona seus ideais, deixa de sonhar, e deixa que o desânimo se aposse do seu coração. .

    Se, por causa da decorrência dos anos, ele se mostrar receptivo ao desânimo e ao pessimismo, que Deus se compadeça de sua alma de VELHO!!! rsrs

    Um abraço e uma ótima semana!

    Violante

    • Violante,

      Agradeço ao seu comentário com observações importantes sobre o envelhecimento. É muito importante manter a autoestima nessa fase da vida, pois vemos jovens com espírito de velho nesses tempos de muita concorrência para conseguir sobreviver. Acredito não existir mistério, fórmula mágica ou fonte da juventude. Uma das chaves para envelhecer bem consiste em se preparar para essa etapa da vida. Aproveito esse espaço democrático do Jornal da Besta Fubana para compartilhar uma sextilha do poeta e repentista Odilon Nunes de Sá (1900 – 1997) com a prezada amiga:

      Acho graça à mocidade
      Não querer envelhecer
      Velho ninguém quer ficar
      Moço ninguém quer morrer
      Sem ser velho não se vive
      Bom é ser velho e viver.

      Saudações fraternas,

      Aristeu

  4. Aristeu,
    Parabéns pelo tema abordado,seria um tema para um congresso com muitos argumentos que não teriam fim. Envelhecer é inevitável e faz parte da experiência humana. Hoje em dia, é perfeitamente possível atravessar os anos e manter sua qualidade de vida.
    Desenvolva sua Inteligência Emocional:
    A inteligência emocional é essencial para envelhecer bem! Ela permite que a pessoa se mantenha ativa – fisicamente e intelectualmente-, tenha uma autoestima elevada e preserve hábitos saudáveis! Invista em inteligência emocional e aproveite a melhor fase da sua vida: agora!
    A gratidão rejuvenesce:
    Seja grato! Para a neurociência, a felicidade está diretamente relacionada com a gratidão. Ao agradecer, ativamos o sistema de recompensa do cérebro, que gera uma sensação de bem-estar. dessa maneira, nosso cérebro entende que algo positivo está acontecendo e libera dopamina, o neurotransmissor que gera o prazer no organismo.
    Deixo aqui duas dicas que acredito de muita importância para colocarmos em pratica.

    Fraterno abraço !
    Carmen.

    • Carmen,

      O seu comentário vem complementar o meu artigo. O assunto é do interesse de todas as pessoas. Se fizéssemos a pergunta: Quem deseja atingir longevidade com saúde? Todas pessoas responderiam de forma afirmativa.
      Nós deveríamos nos preocupar com a saúde desde crianças para prevenir doenças na velhice. Os hábitos que cultivamos ao longo da vida são responsáveis por 70% do que vamos colher em nossa velhice (positiva ou negativamente). Os outros 30% são fatores genéticos. Acredito quanto mais aguardamos a velhice chegar para pensarmos nela, mais ficamos despreparados para desfrutar melhor esse momento único de nossas vidas.
      Compartilho nesse espaço democrático do JBF um poema de Carlos Drummond de Andrade com a prezada leitora fubânica:

      Os Velhos

      Todos nasceram velhos — desconfio.
      Em casas mais velhas que a velhice,
      em ruas que existiram sempre — sempre
      assim como estão hoje
      e não deixarão nunca de estar:
      soturnas e paradas e indeléveis
      mesmo no desmoronar do Juízo Final.
      Os mais velhos têm 100, 200 anos
      e lá se perde a conta.
      Os mais novos dos novos,
      não menos de 50 — enorm’idade.
      Nenhum olha para mim.
      A velhice o proíbe. Quem autorizou
      existirem meninos neste largo municipal?
      Quem infrigiu a lei da eternidade
      que não permite recomeçar a vida?
      Ignoram-me. Não sou. Tenho vontade
      de ser também um velho desde sempre.
      Assim conversarão
      comigo sobre coisas
      seladas em cofre de subentendidos
      a conversa infindável de monossílabos, resmungos,
      tosse conclusiva.
      Nem me vêem passar. Não me dão confiança.
      Confiança! Confiança!
      Dádiva impensável
      nos semblantes fechados,
      nos felpudos redingotes,
      nos chapéus autoritários,
      nas barbas de milénios.
      Sigo, seco e só, atravessando
      a floresta de velhos.

      Saudações fraternas,

      Aristeu

Deixe uma resposta para Marcos Ribeiro Cancelar resposta