ENCANTOU-SE UMA LENDA DO REPENTE

O poeta repentista João Batista Bernado, mais conhecido por João Furiba, que faria 101 anos em julho, morreu de causas naturais, no dia 31 de janeiro do corrente ano, em Cajazeiras/PB, onde estava internado em hospital da cidade.

João Furiba

João Furiba nasceu em Taquaritinga do Norte/PE e viveu boa parte de sua existência em Sumé, no Cariri Paraibano. Recentemente residia com a terceira esposa na cidade de Triunfo/PB.

Foi discípulo de Pinto do Monteiro, com quem viajou por mais de 15 anos e pertence à galeria dos maiores repentistas do Brasil, brilhando na mesma constelação de Geraldo Amâncio, Ivanildo Vila Nova, Os Batistas, Os Bandeiras, Moacir Laurentino, Valdir Teles, Oliveira de Panelas, João Paraibano e Sebastião Dias.

Vamos homenagear João Furiba descrevendo episódio de sua longa, profícua e exitosa vida profissional no admirável mundo do repente. Em Campina Grande, no 149° aniversário da Independência do Brasil , ele cantava com os repentistas Antônio Barbosa e João Marinho, no auditório da Borborema. O animador pediu um mote alusivo à data. Orlando Tejo escreveu num papel de cigarro:

Já faz cento e quarenta e nove anos
Que o Brasil se tornou independente

Furiba glosou com seu talento de mestre do improviso:

O Brasil já viveu no cativeiro
Suportando o regime imperial
Mas, depois, se tornou colonial
Não quis mais sujeitar-se ao estrangeiro
Veio um rei que se tornou brasileiro
Dedicou seu amor à nossa gente
Depois veio a trindade consciente
Deodoro Fonseca com seu manos
Já faz cento e quarenta e nove anos
Que o Brasil se tornou independente.

12 pensou em “ENCANTOU-SE UMA LENDA DO REPENTE

    • Marcos Ribeiro,

      Agradeço por prestigiar o meu artigo com o seu comentário. O apelido “Furiba” segundo o dono da alcunha, quer dizer coisa sem importância, e foi dado por Pinto do Monteiro inspirado na figura magra e de baixa estatura de João. Foi um dos maiores e mais constantes parceiros de Pinto do Monteiro, e tornaram -se também grandes amigos apesar das farpas trocadas durante os desafios. Compartilho uma sextilha do talentoso João Furiba com o amigo:

      Eu admiro é a barata
      Saber voar e correr,
      Chega na lata de açúcar
      Bate um baião pra comer,
      O que come é muito pouco,
      Mas bota o resto a perder.

      Saudações fraternas,

      Aristeu

  1. João Furiba é um dos maiores repentistas que tive oportunidade de assistir em cantoria de pé-de-parede e congressos. Ele era pequeno no tamanho, mas um gigante na arte do improviso. Acredito que se Pinto do Monteiro não tivesse um companheiro tão inteligente quanto João Furiba não poderia fazer aqueles belos versos registrados em várias antologias dos repentistas. Devemos transformar a melancolia da partida pela alegria de ser contemporâneo desse poeta-repentista que plantou versos na sua caminhada de vida.

  2. Vitorino,

    Muito obrigado pelo seu excelente depoimento. Saiba que o meu tributo a João Furiba ficou enriquecido com sua reflexão poética sobre esse repentista que deixou um grande legado para o maravilhoso mundo do repente. Gentileza gera gentileza, então vou compartilhar uma sextilha desse poeta repentista que apregoava riquezas babilônicas:

    Sofri um pequeno atraso
    Porque tive de emprestar
    Para o presidente Reagan
    Minha Ferrari sem par,
    Só fiquei com o Rolls Royce
    Que anda mais devagar.

    Saudações fraternas,

    Aristeu

  3. Parabéns, prezado Aristeu Bezerra, pelo excelente artigo, em homenagem ao grande poeta popular e violeiro-repentista, João Batista Bernardo, o João Furiba, falecido aos 100 anos de idade, em 31 de janeiro do corrente ano.

    Considerado um dos maiores repentistas nordestinos, João Furiba chegou a receber mais de trinta troféus em festivais de violeiros, tendo conquistado por 13 vezes o primeiro lugar, nesse tipo de competição.

    O apelido de “João Furiba” lhe foi dado pelo repentista Pinto do Monteiro, de quem foi discípulo.

    Um grande abraço!

    Violante Pimentel Natal (RN)

  4. Violante,

    É gratificante receber seu comentário com observações importantes. Aproveito esse espaço democrático do jornal da Besta Fubana para compartilhar episódio de João Furiba com outro magnífico violeiro-repentista. Espero que goste dos inspirados versos desse que se transformou numa lenda do maravilhoso universo do repente.

    O renomado cantador Ivanildo Vila Nova, cujo pai também era repentista, cantando com João Furiba terminou uma estrofe, dizendo:

    Não conheço cantador
    Pra ser igual a mim.

    Furiba respondeu com rapidez, inteligência e versos perfeitos:

    Seu pai também foi assim
    Se dizia professor
    Falava com tantos “s “
    Que parecia um doutor
    Cantou quarenta e seis anos
    Morreu sem ser cantador.

    Saudações fraternas,

    Aristeu

  5. No livro “FURIBA Falando a Verdade”, editado pela Imprensa Universitária da UFRPE, ele declara o seguinte:

    Meu nascimento

    Nasci no dia 4 de julho de 1931, no Sítio Bomba d’Água, de Serra de Cachoeira, no município de Taquaritinga do Norte, no Agreste Pernambucano.

    Foi, sem dúvida nenhum, um grande poeta.

    • Caro Aristeu,

      O livro-documentário foi coordenado por meu pai, Urbano Lima, e Zelito também participou ativamente.
      As cantorias e entrevistas estão guardadas em fita rolo no nosso acervo.
      Algumas dessas cantorias eu assisti, nos idos da segunda metade da década de setenta.
      Apesar de ser muito novo na época.
      Meu pai era um apologista muito querido por todos os cantadores e foi diversas vezes jurado nos Congressos de Cantadores.
      Acredito firmemente que as informações do livro estão corretas.

      Abraços,

      Roberto

      • Caro Roberto Lima,

        Longe de mim querer provocar polêmica. Vamos fazer uma trégua sobre o ano de nascimento desse grande poeta. Se eu consegui algum dado novo, farei contato através desse espaço democrático do Jornal da Besta Fubana. Por mim, o assunto está encerrado.

        Saudações fraternas,

        Aristeu

  6. COMPLEMENTANDO:

    Estou transcrevendo a notícia do blog do Nill Júnior (Se João Furiba tivesse nascido no ano de 1931, ele não morreria com 100 anos). Saudações fraternas, Aristeu

    MORRE JOÃO FURIBA
    Publicado em Notícias por Nill Júnior em 31 de janeiro de 2019

    Faleceu nesta quinta aos 100 anos João Furiba, um dos maiores repentistas do Nordeste. Pernambucano de Taguaritinga do Norte, morava em Triunfo-PB.

    “Vive com a esposa e os filhos, tem lucidez e é muito amigo do empresário João Claudino, de quem é compadre”, disse o poeta Jomaci Danta, Lola, amigo de João Furiba, quando fez 95 anos.

    Até os 88 anos de idade João Furiba ainda estava no batente, se apresentando em festivais de viola.

    Aos 95 anos continua amando a viola, embora já não se apresentasse mais, e era admirado por todos os cantadores. “Os da antiga, os modernos, todos têm em João Furiba uma referência da cantoria de repente”, disse Lola.

    Furiba era conhecido pelo bom humor dos seus versos. Cantoria com a sua presença a gargalhada estava garantida.

    Nasceu às margens de um rio no qual sua mãe lavava roupas, sendo que ela pensando ter abortado deixou o recém nascido lá mesmo sendo ele recolhido pela avó que constatou que ele estava vivo. Recebeu de Pinto do Monteiro o apelido de “Furiba”.

    Começou a se interessar pela cantoria ainda criança decorando versos que achava bonitos. Pedia sempre ao pai para convidar cantadores para irem cantar em sua casa.

    Aos 12 anos de idade fez dupla com o irmão Vicente e com ele passou a se apresentar em cidades e vilas da região de Taquaritinga do Norte. Aos 15 anos foi para Campina Grande onde fez sucesso e não parou mais.

    Compartilhe:

Deixe uma resposta