DIAS TOFFOLI É A CARA DO PT

Augusto Nunes

No vídeo gravado em 2014 que viralizou neste fim de semana, José Antônio Dias Toffoli abre o palavrório inverossímil com um vigoroso pontapé no Código Penal. “Uma vez, o Vladimir roubou um processo pra não ter o despejo”, começa a história contada durante um evento promovido pelo Centro Acadêmico XI de Agosto, da Faculdade do Largo de São Francisco. Até o mais imbecil estagiário de escritório de advocacia sabe a diferença entre roubar e furtar, ignorada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal.

Roubo é o ato de subtrair um bem material de outrem por meio de violência ou ameaça. O furto é caracterizado pela tomada de um bem material sem que haja violência ou ameaça contra a vítima. Como informa a sequência do relato, é errado dizer que Vladimir roubou um processo. O que fez o herói de Toffoli foi furtar os autos do processo que tratava de uma ação de despejo. Mais chocante que a aula de ignorância é o sorriso do narrador: Toffoli acha muito engraçado afanar documentos do Poder Judiciário.

Em pouco mais de três minutos, o ministro também diz “aonde” em vez de “onde”, troca o correto “mandado” por um inacreditável “mandato”, ensina que invasores de prédios alheios devem ser qualificados de “ocupantes” e confessa que Vladimir escapou de ser punido porque foi socorrido por uma juíza amiga. Por essas e outras, Toffoli fracassou nas duas tentativas de virar juiz de Direito. Apesar disso, ou por isso mesmo, Lula transformou o afilhado em titular do time das 11 togas. E hoje Toffoli é presidente do Supremo.

Promulgada em 1950, a Lei 1079, conhecida como Lei do Impeachment, define no art. 39 os crimes de responsabilidade dos ministros do STF, puníveis com a perda do cargo. Ouçam o que diz o número cinco: “Proceder de modo incompatível com a honra, dignidade e decoro de suas funções”. O vídeo que escancara a cabeça e a alma de mostra Toffoli em ação é desonroso, indigno e indecoroso.

6 pensou em “DIAS TOFFOLI É A CARA DO PT

  1. A filmagém companheira foi feita por um adepto da ORCRIM, que a surrupiou dos olhares atentos daqueles que não rezam pela mesma cartilha da seita. Se está sendo liberada sgora, o que será que houve? A mesma quadrilha que o levou ao Supremo quer derruba-lo? Será fogo amigo?
    Aguardemos novas revelações..

  2. O interessante nesse vídeo é que o “dignissimo” diz não dar o sobrenome para não complicar, né? Foi, é e continuará à ser cúmplice de um crime. Como diziam: “Pode isso?”

  3. Ele também entregou uma “juíza” tão criminosa quanto ele e seu amigo ladrão de processo, pois, ao ser informada sobre o roubo do processo, mandou arquivar a sindicância.

  4. Augusto Nunes, com seu ataquismo, síndrome de que é acometido, começa com uma bobagagem, pois é fora de dúvida que Tófolhe conhece muito mais do que ele a diferença entre furtar e roubar, quando se trata do juridiquês, mas usou muito bem, sem afetação, o termo em seu sentido corrente de despojar alguém de um bem. Desse modo, manteve a descontração do momento, o que convém ao bom comunicador, porra.
    Bem, nem isso, nem aquilo, nem aquilo outro, o desqualifica como juiz, como Ministro da Suprema Corte – o que pode fazê-lo é a demonstração de incompetência, coisa que não tem sido vista em seus julgamentos e intervenções no STF.
    E tem mais: Essa viadagem de impeachment de Tófolhe, Gilmau e Levandouísque precisa parar para que meu saco gracioso, humilde e poderoso não estoure!

    • Goiano, o passado de pano-mor dos calhordas petistas (ops, cometi uma redundância).
      O cara fala na cara dura de um crime cometido, e se preocupa em justificar que Tofinho sabe a diferença entre roubar e furtar.
      É de tomar no cu esse velho gagá.

Deixe uma resposta