DESVIOLÃONAMENTO

Homem mata amante da companheira com golpes de violão na cabeça, diz polícia.

Autor do crime foi preso.

Vítima chegou a ser socorrida e levada à Santa Casa da cidade, mas não resistiu aos ferimentos.

* * *

Este fato se assucedeu-se em fevereiro do ano passado.

Foi em Itatiba, no estado de São Paulo.

Pedi a opinião do meu querido amigo e conterrâneo Esmeraldo Boca-de-Fossa sobre tão inusitado acontecimento.

Esmeraldo é um renomado especialista em Peruagem Sociológica, reconhecido em todos os botecos e esquinas de Palmares.

Ontem mesmo ele me respondeu e mandou seu parecer, que está transcrito a seguir:

Esse crime poderia ter sido evitado se a venda de violões fosse proibida no Brasil.

O povo brasileiro não tem educação suficiente para ter porte de violão.

É inacreditável que ainda nos dias de hoje pessoas possam portar violões nas ruas e que crianças estejam expostas aos violões dos pais dentro de casa.

Precisamos do Estatudo do Desviolãonamento – #ViolãoMata

6 comentários em “DESVIOLÃONAMENTO

  1. Joaquim, no Brasil uma proposta parlamentar proibindo facas nem seria notícia.

    Mas, no Reino Unido, esse exemplo de primeiro mundo, um deputado apresentou proposta restringindo a venda de facas com ponta: para comprar uma seria necessário solicitar uma licença, comprovar sua necessidade e efetuar um registro, a ser renovado periodicamente. Em paralelo, o governo publicaria uma regulamentação de facas “seguras” – sem ponta e de comprimento limitado – que poderiam ser vendidas livremente.

  2. Aqui temos notícia de que em 10/6/2015 por 61 votos contra 3 a Alerg aprovou lei proibindo o porte de arma branca de lâmina maior que 10 cm. Entretanto no Rio as armas de fogo eram rotina para a população, e não fizeram nada de positivo para impedir o enorme numero de assassinatos ,roubos e sequestros. Acho que a esquerda discute por besteiras, já que a arma não mata , e sim quem a empunha. É até possível matar alguém por susto. Tem um caso em Goias de uso de siringa com veneno em um hospital.

    • Outro caso parecido:

      NÁPOLES – homem pegou sua mulher em flagrante com o seu melhor amigo, deu cinco tiros no amigo, mas quem morreu foi a mulher. Pior foi depois, quando o homem descobriu que a mulher não era sua, era do amigo. O caso está na Justiça, mas o júri não sabe se deve condenar o marido enganado ou o amigo – pois ambos estavam enganados. Para complicar mais a situação, o amigo do marido enganado feriu mortalmente o marido da mulher assassinada, não se sabendo qual será o desfecho dessa tragédia, uma vez que os médicos desenganaram o marido enganado.

Deixe uma resposta