DESMORALIZANTE

Toda Nação tem seus problemas de governo. Algumas apresentam conflitos internos e externos nas suas condutas, mas sempre dentro de parâmetros de puros questionamentos políticos. Outros países, além dessas questões, avançam em problemas mais sérios tais como envolvimentos em conflitos armados, internos, ou guerras, externos. Há, entretanto, àqueles que, como na maioria dos países pobres da África, os governos geram problemas que deterioram a capacidade de desenvolvimento do País. Eles esgarçam os relacionamentos internacionais com a perversão, ou seja, a sua depravação moral, ética e de credibilidade. É o caso brasileiro nos dias de hoje e que está sendo uma das grandes tarefas do governo do presidente Bolsonaro, a de reverter esse legado dos últimos dezesseis anos. Não será fácil conseguir essa reversão, prova é a petulância de uma Ângela Merkel em querer tomar satisfação do presidente, no Japão, sobre o assunto meio ambiente.

Li, e replico, este explicativo texto do ministro Paulo Guedes que dá uma visão clara do que somos e como vivemos depois desses dezesseis anos de devastação econômica. Escreve ele: “O Brasil é muito surreal, os caras roubaram perto de 1 trilhão e a suprema corte está analisando a suspeição de um Juiz, com bases em “vazamentos” não periciados, feitos por um cidadão que já foi banido de dois países”. Assim vivemos, com um STF aparelhado que acata semanalmente um recurso de Habeas Corpus do encarcerado de Curitiba e não faz outra coisa importante a não ser isso, atender o chefe que lá aboletou pelo menos cinco deles, bem leais. Não importa o Brasil e a justiça brasileira, importa a tentativa de salvar o chefe a qualquer custo. Estão à espera de um vacilo do povo e aí soltarão. Continuam apavorados e por essa razão adiam as decisões porque temem confirmar e então decretar, definitivamente, a prisão do Lulla. Alguns acontecimentos justificam.

O absurdo da nossa justiça quase se concretiza, não fosse a intervenção das redes sociais na escandalosa autorização judicial a um preso (?) da Lava Jato para passar férias legislativas de julho, é Senador, em um resort de Aruba, no Caribe. Chega a ser sórdida tal determinação judicial. Aliás, temos Deputados e Senadores que fazem uso das tornozeleiras e estão no exercício do mandato no Congresso Nacional, decidindo a vida dos brasileiros, coisa inacreditável. Muito parecido com a proposta de férias e da vida do Senador Acir Gurgacz, condenado, mas gozando de regalias e benefícios, está o presidiário de Curitiba no “resort” da Polícia Federal, onde recebe amigos todos os dias, dá entrevistas e ainda fez pedido, gravado e publicado, ao militante político da Intercept, o Gleen sei lá das quantas, para “arrumar” provas contra o ex Juiz Federal e hoje Ministro da Justiça, Sérgio Moro, de forma a que consigam seus defensores, anular o julgamento de sua condenação.

Como disse uma blogueira, “aceito sugestões e opiniões que possam explicar o Brasil”. Por mais que tentem, não conseguirão. A luta é inglória, como continuar, e ter sucesso, com essa camarilha toda no Poder, decidindo a vida do Brasil? Procuram pautar o Presidente da República e exigem ministérios e cargos como fez e faz a velha política, tentando todos os dias subverter o processo político de desenvolvimento, cobram verbas orçamentárias para votar projetos, como é o caso da reforma da Previdência, buscam tirar do presidente sua autonomia de nomeações como está sendo o caso de algumas agências reguladoras para força-lo a voltar aos velhos tempos do toma lá dá cá.

A verdade é que sem uma assepsia, uma limpeza de muitos cupins que ainda sobrevivem na política eleitos por vias escusas, de pressão política ou de favorecimentos, perderemos muitos anos que serão, sem sombra de dúvidas, sofridos. Será todo o Brasil e seu povo sofrendo por causa desses poucos parlamentares, para os quais a decência, a ética e a moral não fazem parte de suas prerrogativas. Para esses políticos não há recuperação de valores já que são destituídos deles. Está claro que conversas e reuniões não irão mudar o comportamento dos muitos

membros do Congresso, não irão largar o osso da velha política. Como solução para reverter em curto tempo a situação vigente, não existe outro caminho que não seja a utilização de um governo autoritário. É duro escrever isso, mas desde que entendo de vida, espero pelo Brasil do futuro que nunca veio e não tenho mais tempo para esperar, eu e o povo brasileiro. Não queremos mais isso, o futuro é agora. Chega de viver nesse Estado desmoralizante.

2 pensou em “DESMORALIZANTE

  1. Claro que com um STF, OAB, CNJ, MTST, MST, Sindicatos pelegos, congresso imoral, assembléias venais, camaras municipais corruptas, Judiciario sem punicoes exemplares aos srus corruptos, punicoes que viram liberdade com 1/6 da pena, privilegios para funcionarios publicos, juizes escolhidos sem condicoes tecnicas mínimas, sem prisao perpetua ou pena de morte, o Brasil nao tem jeito……
    Até tem, mas vai demorar muito e portanto matar muito brasileiro inocente….. é como as bombas atomicas sobre Hiroshima e Nagasaki….. mataram trezentos mil mas preservaram 2 milhoes…..
    Sendo assim, o generalato, acompanhados do soldado e do cabo sao convocados para acabar, extinguir, esmagar esta putaria de uma mínima parcela de brasileiros, privilegiados, corruptos, canalhas assim como seus sucessores e admiradores, que veem, na impuninade “LEGAL”, seu meio de vida.

  2. Falta mostrar as pontas dos coturnos para determinados membros do STF, para o gordinho safado do senado e o outro gordinho mequetrefe da camara dos de PUTA dos… Uma boa enquadrada muda o panorama rapidinho.

Deixe uma resposta