CONVERSAS DE MORO

Impressionante como alguns tentam mudar rumos na vida no grito, na marra como costumamos dizer. A divulgação das conversas de Moro com Dallagnol tem, exatamente, essa conotação. O que se tenta fazer é aproveitar um fato novo no sentido de soltar Lula com ajuda do STF. Até onde me lembro ninguém, nem a OAB que vive sempre atenta ao cumprimento dos direitos, condenou a ligação que o ministro Gilmar Mendes fez para Lula no dia do enterro do seu neto. Com direito a lágrimas, diga-se. Por que choras Gilmar? Choravas porque não conseguistes proteger um crime?

Gilmar Mendes foi flagrado em conversas telefônicas com Sinval Barbosa. Queria saber porque a prisão dele e no meio da conversa El diz: “Que absurdo! Eu vou lá. Depois, se for o caso, a gente conversa” e o inocente Sinval Barbosa, responde: “Tá bom, então, ministro, obrigado pela atenção”. Anteriormente, Demóstenes Torres, falando com Carlinhos Cachoeira comentou sobre um processo envolvendo a CELG – Companhia de Eletricidade de Goiás, no qual Carlos Cachoeira tinha interesse, veio essa pérola: “Conseguimos puxar para o Supremo uma ação da Celg aí, viu? O Gilmar mandou buscar. Deu repercussão geral pro trem aí”. Numa outra situação, Aécio Neves pede ajudar a Gilmar no projeto contra abuso de autoridade, dizendo: “Dá uma palavrinha com o Flexa… A importância disso e no final dá sinal para ele porque ele não é muito assim… De entender a profundidade da coisa… Fala ó… Acompanha a posição do Aécio porque eu acho que é mais serena. Porque o que a gente pode fazer no limite? Apresenta um destaque para dar uma satisfação para a bancada e vota o texto… Que vota antes, entendeu?”

Nitidamente, estes diálogos são notórios na prática de crimes. Ora Gilmar Mendes traz para o STF um processo de interesse, ora fala com um governador preso por corrupção que estatizou uma faculdade da família de Gilmar Mendes, por R$ 7,7 milhões; ora, Gilmar conversa com Aécio Neves sobre mecanismos de controle de autoridade. Cabe lembrar que Gilmar Mendes proibiu condução coercitiva a pedido do PT?

Se a gente for comparar essa nojeira acima com as conversas de Moro, fica patente a diferença entre as posturas. Na conversa de Moro há um trecho no qual ele diz: “Ainda desconfio muito de nossa capacidade institucional de limpar o congresso. O melhor seria o congresso se autolimpar, mas isso não está no horizonte. E não sei se o stf tem força suficiente para processar e condenar tantos e tão poderosos”.

Moro tem total razão quando fala da incapacidade do STF em condenar poderosos. Em 5 anos de Lava Jato apenas uma condenação no STF e, ainda assim, o condenado continua solto. É ridículo admitir que Lewandowski votaria contra Lula, que Gilmar condenaria Aécio, que Marco Aurélio acusaria Collor de Mello ou que Alexandre de Morais botaria Temer na cadeia. Estes ministros estão no STF graças aos canalhas aqui citados.

Até hoje a postura do STF foi na defesa do crime e dos criminosos. Embora a prisão em segunda instância tenha tido 6 votos no plenário em 2016, esse tema voltou a ser pauta (por que?). Marco Aurélio, por exemplo, mandou soltar tudo que era condenado em segunda instância (Lula, membros do PCC, do CV, estupradores, assassinos, etc.). O cunhado de Beto Richa, um corrupto do PSDB, ganhou um HC de Gilmar e, simplesmente, fugiu para o Líbano. Nunca mais volta.
.
O Brasil está diante de duas escolhas: acredita que os diálogos de Moro são atos criminosos ou apóia o trabalho que foi feito porque este trabalho abalou a estrutura de um prédio, chamado corrupção, com sede ficando no Palácio do Planalto, cuja prática era atos não republicanos por parte de: presidentes (Lula, Dilma, Sarney, Collor e Temer), Ministro da Fazenda (Guido Mantega, Palocci), Ministro da Casa Civil (Zé Dirceu, Erenice Guerra, Gleisi Hoffman), de Minas e Energia, da Defesa (Jacques Wagner), Ministro dos Esportes (Agnelo Queiroz, Orlando Silva), de Minas e Energia (Silas Rondeua, Edison Lobão), da Comunicação (Edinho Silva), Ministro do Planejamento (Paulo Bernardo), Ministro dos Transportes (Alfredo Nascimento), Ministro das Cidades (Mário Negromonte), Ministro da Previdência (Carlos Gabas), Ministro do Desenvolvimento (Fernando Pimentel), sem contar com o Presidente da Câmara (Eduardo Cunha) e a gama de deputados e senadores que fica mais fácil consultar para saber se é investigado ou não.

Estes cidadãos, acima de qualquer suspeita, usam a estrutura judicial desse país em benefício próprio. Utilizam meios escusos para justificar falcatruas e querem, por meio de pessoas sem caráter, colocar em dúvida um julgamento definido por 9 juízes. Este tal Glenn Greenwald atacou a grande imprensa (Globo) e disse que, hoje, somente O Antagonista está a favor da Lava Jato. Errou feio. O Jornal da Besta Fubana sempre esteve contra a roubalheira e a favor da decência.

4 pensou em “CONVERSAS DE MORO

  1. O Jornal da Besta Fubana sempre esteve contra a roubalheira e a favor da decência.
    Isto é a maior verdade, e seus leitores estão aqui para ajudá-lo a manter o Jornal sempre no caminho da verdade, apesar das pedras espalhadas pelos inimigos do povo.

  2. Lúcida explanação, meu estimado colunista e professor Maurício Assuero!

    Essas canalhas (irmãos siameses petistas), vão todos parar na cadeia feito Lapa de Presidiário!

    Interessante como as coisas mudam! Gilmar Canalha Mendes deu várias declarações afirmando que havia crimes graves nas gravações de uma site criminosos ontem, e hoje, depois que perceber que o bicho ia enrabá-lo, já está falando fino feito um delinquente de quinta categoria à medida em que as investigações começam a a avançar e as coisas começam a se assentar!

    Te cuida, Gilmar, o mais fraco dos mortais pode te enrabar e eu ajudo a por óleo de peroba para afolozar teu rabo!

  3. Cícero, ainda não sei como não botam esse canalha pra fora. Seria bom publicar todos os dias as gravações feitas com esse pulha.

Deixe uma resposta