TÁ EXPLICADO

Deu a louca no Conselho Nacional de Justiça, aquele soviete criado pelo PT.

Humberto Martins, corregedor nacional de Justiça, publicou uma recomendação aos Tribunais de Justiça, Regionais Federais, Trabalhistas e Militares para que deem cumprimento aos atos normativos e às decisões proferidas pela Corregedoria Nacional de Justiça, ainda que exista decisão judicial em sentido diverso, salvo se advinda do Supremo Tribunal Federal”.

Sim, é isso mesmo, o Corregedor Nacional de Justiça acaba de abolir a Justiça, afirmando que o CNJ está acima de todos os tribunais, incluindo o STJ, com exceção do STF.

Exemplo: no limite, se o CNJ achar por bem relaxar uma prisão, por causa de um alegado vício administrativo tendo por base uma resolução do conselho, poderá fazê-lo, mesmo que a prisão tenha sido chancelada por tribunal superior.

Criaram uma instância paralela, o que equivale a abolir a Justiça.

Se isso não é abuso de autoridade, é o quê?

Trata-se de um escândalo.

* * *

Exato: trata-se de um escândalo.

Mas um escândalo que tem explicada a sua origem:

Se é um conselho criado pelo PT, então só poderia mesmo produzir merda.

A sigla criminosa é um cano de esgoto que não pára nunca de fabricar excrementos.

Mesmo depois de extinta e sepultada.

5 Comentários

O IMPÉRIO (DO MAL) CONTRA-ATACA

Jorge Pontes

A farsa do “escândalo” causado pelo vazamento das conversas entre o então juiz Sérgio Moro e o procurador da República Deltan Dallagnol nos traz algumas lições importantes.

A primeira é que ainda há efetivamente um Brasil do atraso, atuando como um bandido velho e decrépito, que reage desesperadamente com todas as suas energias, contra as forças das mudanças, tão desejadas pela imensa maioria da nossa população.

A segunda é que já decorridos cinco anos da primeira fase da Operação Lava Jato, e depois de duas eleições para o Congresso Nacional, o nosso Parlamento aparentemente não passou pela renovação política que a sociedade brasileira tanto almejava e necessitava.

A terceira é que o jogo jogado pelas velhas oligarquias – e os partidos políticos que as sustentam – não têm limites éticos nem freios para o enfrentamento da (talvez) última batalha contra a onda de moralidade que vem varrendo suas bases.

Os atores dessa delinquência institucionalizada são capazes de se associarem ao underground da espionagem internacional, de buscarem apoio em potências estrangeiras, e em toda sorte de gangsterismo e mercenarismo periféricos. Não há fundo nesse poço chamado velha política brasileira.

A quarta, e mais triste de todas, é que alguns ministros do Supremo Tribunal Federal parecem estar dispostos a concorrer para que essas forças do atraso prevaleçam. Aparentemente não conseguem se livrar da influência daquelas lideranças políticas que os indicaram para as suas respectivas cadeiras. Parecem não se importarem em funcionar como guardiões do retrocesso.

A verdade é que nunca estivemos tão perto de começar um processo eficaz para a desconstrução do edifício do crime institucionalizado, que é capitaneado por grande parte dessa elite política anacrônica. E é sabido que a presença de Sérgio Moro no Ministério da Justiça e Segurança Pública será instrumental para que tal processo avance.

Tudo o que se deseja com a celeuma causada pelo vazamento criminoso desses diálogos (absolutamente corriqueiros e que não encerram nenhuma irregularidade) é travar o avanço da onda trazida pela operação de Curitiba. Os objetivos são claros: retirar o ministro Moro de sua cadeira, enterrar o seu pacote anticrime, torpedear sua indicação para o STF e, dessa forma, fazer a roubalheira voltar ao estágio pré-Lava Jato, obviamente com a absolvição e soltura de todos os políticos incriminados nos processos criminais julgados por Sérgio Moro.

Com tudo isso, percebemos que a reforma a ser operada com o pacote anticrime é ainda mais relevante do que a reforma da previdência, pois a primeira viabilizaria o início de um processo que nos levaria, mais adiante, a um ambiente político e de negócios livre da corrupção desenfreada das últimas duas décadas.

A reforma proposta pelo pacote anticrime do ministro Sergio Moro deve preceder ou, no mínimo, ser operada em concomitância com a reforma proposta pelo ministro Paulo Guedes.

São dois pilares necessários para o Brasil seguir em frente e se desenvolver. Não podemos imaginar a economia do país saneada, gerando enormes superávits, com centenas de bilhões de Reais injetados em investimentos de infraestrutura, e a velha política pilotando os mesmos esquemas da delinquência institucionalizada que nos levaram a crise atual. Estaríamos assim promovendo uma reforma para enriquecer ainda mais essa mesma elite política criminosa que nos sequestrou.

As conquistas da Lava Jato nunca correram um risco tão grande. Essa talvez seja a última das reações dos operadores do crime institucionalizado contra os desejos da sociedade, mas talvez seja a mais forte de todas, pois dela advirá um verdadeiro concerto de contramedidas e ataques. Vão aproveitar para rever a prisão após sentença de segunda instância e para travar o pacote anticrime, entre outros expedientes escusos.

A hora é da sociedade estar mais atenta do que nunca.

*Jorge Pontes é delegado de Polícia Federal e foi Diretor da Interpol

2 Comentários

A AMANTE CONTINUA PEIDANDO FURIOSAMENTE

Um habeas corpus apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que estava agendado para ser analisado na sessão desta terça-feira (25/6), na Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), foi retirado de pauta.

No recurso, a defesa pede que o ex-juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, seja declarado suspeito na ação penal relacionada ao triplex do Guarujá.

Com a mudança na agenda, o julgamento do habeas corpus fica para o segundo semestre, em decorrência do recesso do Judiciário.

Gleisi Hoffmann disse que “Lula quer seu julgamento já, conforme a pauta do STF”.

Ela disse também:

“Lula está certo, essa tortura da espera foi longe demais. A ação no STF é sobre a parcialidade de Moro contra Lula. Não é sobre a Lava Jato.”

O criminoso agora quer atropelar Cármen Lúcia e pautar o STF.

* * *

Só o cagatório bostífero de Gleisi Amante Hoffmann não é suficiente pra nos divertirmos neste começo de semana.

Aguardemos a manifestação do causídico Ceguinho Teimoso, com sua furiosa torrente em defesa de Lapa de Corrupto.

Torrente que jorra incessantemente nesta gazeta escrota.

O fato é que o rato da cela de Lula vai ajudá-lo, mais uma vez, a desfazer a mala que o apressadinho já tinha arrumado.

A chicana fica pro segundo semestre.

28 Comentários

É DE FAZER VERGONHA

Amanhã o STF pode inocentar Lula e enterrar a Lava Jato.

Se isso ocorrer, o Brasil vai se esfarelar.

* * *

Se esfarelar é pouco.

O  Brasil vai se lascar, se fuder, se danar, se encalacrar, se atolar, se sujar.

Francamente, morro de vergonha de viver numa porra de país que tem o órgão máximo de sua justiça composto pelo time que nós bem conhecemos.

É de lascar!

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!!!

A cachorra Xolinha ficou de tabaca arrombada depois de tomar conhecimento dos nomes que compõem a nossa ínfima corte suprema

10 Comentários

CANALHICE FOLHETEIRA

A Folha de S. Paulo está tentando esquentar sua reportagem sobre as mensagens roubadas à Lava Jato.

Nesta segunda-feira, o jornal diz:

“Há entre os integrantes do Supremo quem tenha visto no material fortes indícios de que Moro e os procuradores agiram para manipular o timing do ingresso de
informações sensíveis na corte.”

Isso é mentira.

A própria reportagem reproduziu uma mensagem de Deltan Dallagnol perguntando à PF se as cifras contidas numa lista da Odebrecht correspondiam a doações oficiais. O procurador nem sabia se havia um indício de crime naquela lista, portanto.

Seja como for, assim que tomou conhecimento da lista, por meio da imprensa, Sergio Moro remeteu-a para o ministro Teori Zavascki, que desmembrou o processo.

Em vez de se preocupar com o timing da Lava Jato, o STF deveria se preocupar com o timing dos criminosos, que resolveram divulgar as mensagens roubadas a
Sergio Moro às vésperas do julgamento de Lula.

* * *

A grande mídia oposicionista banânica está cada dia mais suja e mais fedorenta.

Desde janeiro passado que o desespero nas redações só vem aumentando.

Pelos altíssimos índices de aprovação popular do governo e do ministro Sérgio Moro, estes babacas estão gastando gás à toa.

5 Comentários

TEM QUE PERMANECER NO HOTEL DE CURITIBA

Levantamento exclusivo do instituto Paraná Pesquisa mostra que 58% dos brasileiros defendem a permanência do presidiário petista onde está, na prisão da Polícia Federal, em Curitiba.

Enquanto 36% (menos que o eleitorado do PT no País) acham que o ex-presidente deveria ser beneficiado com a prisão domiciliar.

No Nordeste, já são mais da metade (50,5%) os que o querem manter preso.

* * *

Um dado interessante deste levantamento do Instituto Paraná é que entre os brasileiros com ensino superior completo, aumenta para 69,4% o percentual dos que acham que Lula deve ficar preso.

Este fato interessante é contrariado pelo fubânico petista Ceguinho Teimoso, dotô formado com curso superior e que luta pela soltura do corrupto.

Outro fato interessante:

Quem está faturando alto com o atual momento vivido pelo nosso país são os fabricantes de camisetas:

5 Comentários

BABAQUICE SEM LIMITES

* * *

Esta babaquice, em tom de denúncia gravíssima, foi publicada sábado passado, no Twiter de um deputado federal.

Um deputado do PT.

O tolôte fedorento cagado por Sua Insolência foi ilustrado por um montagem que conseguiu ser mais babaca ainda do que a frase que o idiota escreveu.

Deve ter sido feita por um gênio das artes visuais zisquerdóides.

Vejam:

Convoquei o mascote fubânico, o querido jumento Polodoro, para uma dupla missão.

A primeira é enfiar a pica no furico deste idiota e dos idiotas que votaram nele.

A segunda, é relinchar em homenagem a todos.

Rincha, Polodoro!!!

Deixe o seu comentário