RECORDE DE BILHETERIA

O ex-ministro Antônio Palocci disse, em delação premiada da Operação Lava Jato, que determinou que o Grupo Schahin usasse dinheiro de propina para patrocinar um filme sobre o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, co-produzido por uma empresa da qual o jornalista Roberto D’Avila era sócio.

O jornalista da GloboNews nega ter feito pedido a Palocci e diz que, em 2008, não sabia que dinheiro era fruto de propina.

* * *

Em se tratando de Lula e de um filme sobre Lula, é natural que Roberto D’Avila diga que “não sabia” que o dinheiro era propinado.

O “não sei de nada” faz parte do contexto.

Declaração coerente com a figura-tema do filme.

Filme que foi sucesso planetário de bilheteria e que ficou anos e anos em cartaz.

Foi sala cheia no Brasil inteiro!!!

Tão lembrados? 

Chegou até a ganhar o Oscar de Melhor Trambicagem Istranjeira.

RATO APOIA RATO

Gleisi Hoffmann disse ontem que o PT não tem restrições em apoiar Renan Calheiros para a presidência do Senado.

Segundo a petista, o senador alagoano se posicionou alinhado à legenda em pautas “cruciais” para os petistas, como as reformas trabalhista e da Previdência – ou seja, contra, em ambos os casos.

* * *

Gleisi e Renan formam uma parelha arretada.

Uma parelha que é a cara daquela banda idiota do eleitorado banânico. 

Ainda existe babaca neste país que vota e elege este tipo de gente.

TORNEIRAS FECHADAS

A moralização começa para valer.

O que explica a reação medonha da Globo/O Globo, Folha, Veja, Estadão…

* * *

De fato, os relinchos e escoiceios vindos das redações da grande imprensa estão num volume nunca antes visto neste país.

E isto é otimo!

É excelente, é animador.

É gostoso demais ouvir o  choro e as lamentações da grande mídia banânica, em formas de críticas idiotas e de denúncias infundadas.

OS ZAMERICANOS TÃO FUDIDOS

* * *

Agora arrombou tudo.

Maduro fudeu Trump.

Os Zistados Zunidos tão lascados.

Não ter relações diplomáticas com a Venezuela vai levar os imperialistas à falência.

Trump chorando e se cagando de medo de Maduro

PISOU NA BOLA

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta quarta-feira (23) em entrevista à agência Bloomberg que eventuais irregularidades cometidas por seu filho, o senador eleito Flávio Bolsonaro, terão de ser punidas.

Se por acaso ele errou e isso for provado, lamento como pai, mas ele terá de pagar o preço por esses atos que não podemos aceitar“, afirmou Bolsonaro.

O Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) considerou suspeitos 48 depósitos em dinheiro na conta do deputado estadual e atual senador eleito. Os depósitos, sempre no valor de R$ 2.000, totalizando R$ 96 mil, foram feitos entre junho e julho de 2017 no autoatendimento da agência bancária que fica dentro da Alerj.

* * *

O Capitão pisou na bola.

Ele errou feio!

Não deveria nunca ter dito isto.

O mais certo teria sido dizer que o filhinho Flávio Bolsonaro é um Ronaldinho dos negócios, um gênio capaz de fundar, administrar e ficar milionário com qualquer empresa Gamecorp da vida.

A FONTE SECOU

As bancas de jornais já recebem avisos de que a revista Carta Capital deixará de circular.

A revista é do jornalista Mino Carta.

Sem governos lulopetistas para programar publicidade, a revista não se sustenta.

A edição que está nas bancas possui apenas três páginas de anúncios pagos.

E nenhum deles é do Banco do Brasil, Caixa Econômica ou Petrobrás.

* * *

Coitadinho de Mino Carta…

Sua revista Carta Capital, um esgoto que sempre esteve desavergonhadamente a serviço do PT, se escondendo atrás de uma fingida aparência de “isenção”, se fudeu-se.

Perderam os biquinhos de peitos que derramavam verbas públicas na redação da revista, com a finalidade única e exclusiva de endeusar Lapa de Corrupto.

Os novos tempos secaram as fartas torneiras de onde jorrava dinheiro do Erário para jornais, revistas e televisões.

Tô morrendo de pena de Mino Carta.

Confesso a vocês que lágrimas me vieram aos olhos.

Xiuf, xiuf, snif, snif…

BABAQUICE GLOBAL

Em comentário no “RedeTV! News” exibido na noite dessa segunda-feira (21), o âncora do telejornal, Boris Casoy, respondeu a críticas feitas pela Globo e pela GloboNews ao longo do dia à entrevista que ele fez com o senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-SP).

Exibida na noite de domingo, a conversa de Casoy com Bolsonaro foi mencionada em diferentes telejornais dos dois canais nesta segunda. (Clique aqui pra ver a íntegra da entrevista)

Referindo-se também à entrevista feita pela Record, vários apresentadores da Globo repetiram um mesmo texto: “Não foi perguntado ao senador em nenhuma das duas entrevistas, e por isso ele não respondeu, por que optou por fazer 48 depósitos de R$ 2 mil com diferença de minutos em cada operação em vez de depositar o total que recebeu em espécie de uma só vez na agência bancária onde tem conta”.

* * *

A tendenciosa babaquice global se revelou sem qualquer pejo neste episódio.

É pra arrombar a tabaca de Xolinha!

Polida e educadamente, Boris Casoy enfiou a pajaraca no furico dos tabacudos da Globo News.

BOA NOTÍCIA

O secretário de Aviação Civil do governo Bolsonaro, Ronei Glanzmann, deu ontem uma grande notícia: a estatal Infraero será extinta.

O Brasil não vai precisar mais sustentar esse monumento à ineficiência.

* * *

Minha sugestão para a próxima privatização é a Petrobras.

Depois, o Banco do Brasil.

Depois…

Deixa pra lá…

A lista é grande.

Quanto à TV Lula, não é necessário privatizar: basta extinguir.

E demitir a petezada que lá mama nos fartos peitinhos do erário.