GONZAGA – JOINVILLE-SC

Esculhambado Papa Berto

Mando está contribuição que era para assinatura de 6 meses da Folha de São Paulo….

Como aquele jornaleco não serve mais nem pra embrulhar peixe, passei pra esta sua gloriosa (ESCROTA) gazeta.

Espero que a Chupicleide não se ofenda

Abraços

R. De fato, embrulhar peixe com a Folha de S. Paulo é um atentado ao meio ambiente.

Este pasquim desavergonhado, a Folha de S. Paulo, que atualmente é um dos grandes partidos de oposição ao governo em forma de jornal, não serve nem mesmo pra limpar a bunda. Iria sujar o furico do obrado.

Agora, aqui entre nós: 

É mais fácil você enxergar um elefante avuando nos ares ou escutar Gleisi  Hoffmann falando a verdade do que ver Chupicleide ofendida com uma doação.

De jeito nenhum!!! Não mesmo!!!

Pode acreditar que ela chega se peidou-se todinha de tanta alegria com seu generoso depósito.

Gratíssimo pela força e pela audiência!

Vocês leitores são a grande base de sustentação e de apoio a esta gazeta escrota.

Aproveito a oportunidade para mandar um abraço ao colunista fubânico José Narcelio pela doação que fez para ajudar a pagar o 13º do ano passado da nossa secretária Chupicleide.

Chupicleide  se rindo-se e se peidando-se todinha de alegria com a generosidade dos leitores fubânicos

2 Comentários

LILIANA FALANGOLA – RECIFE-PE

Papa Berto

Dei abrigo a São Benedito desde que ele saiu d “A Prisão…

Veja na foto abaixo, que tenho em casa:

Ele, São Benedito, e meus bisavós, Cecília e Sebastião Borges de Souza.

Um abraço,

R. Minha querida amiga, que bom voltar a ter notícias suas e ver você por aqui.

A última vez que nos encontramos foi no cafezinho do Pão de Açúcar, lá na Avenida Rosa e Silva, quando matamos as saudades e fizemos muitos fuxicos.

É um privilégio ter como amiga uma especialista em Recife e sua história.

Liliana Falangola no comando do barco que leva turistas para um belo e inesquecível passeio pelas águas do Rio Capibaribe

Que imagem arretada essa que você me mandou!

Um flagrante que traduz com perfeição a pessoa culta e sensível que você é.

São Benedito entre os seus bisavós, protegendo e velando pela sua casa.

Você está muito bem protegida mesmo!

Devo muito a este santo querido, pois foi com a crônica onde conto a história de sua prisão em Palmares que comecei o meu ofício de escriturador.

A sexta edição de “A Prisão de São Benedito” está pra sair nos próximos dias.

É um livro que vende que só a peste.

Os leitores gostam muito dos desmantelos acontecidos em Palmares e que descrevo neste opúsculo.

Gratíssimo pelo contato.

Apareça mais vezes. Será uma grande alegria. 

Capas da terceira e da quinta edição de A Prisão de São Benedito

Deixe o seu comentário

FLAVIO BOLZANI – BAURU-SP

Caro Editor Berto,

Gostaria de consultar vossa sapiência para saber se esta notícia é verdadeira.

Recebi agora há pouco e fiquei em dúvida.

Aguardo vosso sábio parecer

R. Caro leitor, depois do triplex, do sítio e das fartas e abundantes argumentações da defesa de Lapa de Corrupto, esta notícia tem todas as condições de ser verdadeira.

Confesso a você que não tenho dados pra julgar.

Mas, pelo que todos nós conhecemos, é uma notícia que tem tudo pra ser verdadeira.

Acredito que a defesa do proprietário do PT tenha realmente feito esta declaração.

Mas pode ficar tranquilo que logo teremos um esclarecimento.

O fubânico Ceguinho Teimoso é um grande especialista no atualmente prisioneiro por corrupção e lavagem de dinheiro, sua vida, suas obras e seus amores.

Com certeza ela vai nos dar um esclarecimento.

Fiquemos na espera.

4 Comentários

CÍCERO TAVARES – RECIFE-PE

Papa Berto,

Nada mais justo do que esse colunista do JBF prestar essa singela homenagem ao maior gênio da MPB, Chico Buarque, pela catilogência de saber fundir romance, músicas e letras dentro de um universo harmônico que só os grandes gênios universais possuem o dom de fazê-lo.

Por ter sido contemplado com o Prêmio Camões de Literatura pelo conjunto de sua obra, sendo escolhido por unanimidade pela 31.º edições do Júri, o que inclui, além dos romances “Leite Derramado”, “Benjamin”, “Budapeste”, suas letras de música e peças.

Prêmio esse só concebido, em 2016, a outro romancista genial, Raduan Nassun, autor de novelas, contos e o clássico “Lavoura Arcaica”, seu primeiro e único romance, que narra história do jovem André no meio rural arcaico que resolve abandonar a namorada para ir morar numa cidade pequena, fugindo da vida asfixiante da lavoura.

Por tudo que representa para o Brasil, como maior letrista da MPB, poeta, dramaturgo e excelente romancista, merece os encômios desse colunista.

Parabéns, Chico Buarque, por nos honrar mais uma vez com essas construções antológicas.

R. Pronto, meu caro colunista fubânico.

Tá publicado.

A opinião deste Editor sobre esta premiação foi dada na postagem “Até aqui cheguei“.

4 Comentários

MAURI – SÃO PAULO-SP

Olá Grande Guru

Gostaria de ajudar na campanha iniciada nas escolas de Portugal para preservação da natureza.

As crianças com a orientação dos professores estão pintando as sarjetas ou bueiros a frase “O MAR COMEÇA AQUI” para lembrar as pessoas que o lixo jogado nas ruas sempre chega no mar.

Pode ser no interior da amazônia, no agreste que também um dia vai parar no mar poluindo tudo.

Vejam o site sobre a campanha da prefeitura de Cascais clicando aqui.

1 Resposta

SALVADOR PEDROSA – SOBRAL-CE

Caro Berto,

Uma pequena ajuda para a nossa gazeta!

R. Não existe ajuda “pequena”, meu caro.

Todas são grandiosas e de muito proveito pra esta gazeta escrota.

De modo que qualquer depósito será sempre muito valioso.

Qualquer que seja o valor doado.

Polodoro chega relinchou de tanta alegria.

O capim dele estava racionado, devido a alta de preços.

Agora ele pode encher o bucho com mais disposição. 

Brigadão pela audiência e pela força!

Espero que o seu gesto sirva de exemplo para os miscos, os amorgados, os pirangueiros, os somíticos, os pães-duros, os avarentos, os sovinas, os unhas-de-fome, fazendo-os abrir os corações e os bolsos, de modo que o nosso Departamento de Contabilidade possa pagar os salários atrasados de Chupicleide.

Aproveito a oportunidade para mandar um grande abraço a todos os colunistas e leitores que fizeram doações neste mês de maio. Vocês são porretas!

Polodoro relinchando de alegria com as doações de colunistas e leitores que ajudam a comprar o seu capim

1 Resposta

ADAIL AUGUSTO AGOSTINI – ALEGRETE-RS

Dom Luiz Berto Fº:

Hoje, vendo uma série de vídeos, no YouTube, me convenci que animais selvagens somos nós, e não eles.

A começar com a gratidão que eles demonstram, ao contrário da maioria de nós que só sabe exigir ajudas e “dereitos”, e uma vez os obtendo, raríssimas vezes, alguém é grato, e ainda quer mais e mais.

É o que justifica a sabedoria popular, no conhecido ditado:

“A gente dá um dedinho e eles, depois, querem o braço”.

Vejamos, pois 2 exemplos, dos muitos sobre a gratidão dos animais.

1º – Reencontro entre um leão e seus amigos humanos em ambiente selvagem:

2º – A história do pinguim que volta todo ano ao Brasil:

E para nós que já perdermos a fé na justiça [a começar pelo $TF, isto é, “$uprema Tramóia Federal”, e a OAB, isto é, “Ordem de Apoio a Bandido$”], infelizmente esse é um juiz municipal [Francesco (“Frank”) Caprio, de Providence (Rhode Island)] e é de lá dos EUA.

Eis 2 vídeos, há muitos, desse exemplo de juiz, um dos mais justos do planeta.

1º – Vários exemplos:

2º – E a surpresa para uma mulher:

Um baita abraço,

Desde o Alegrete – RS,

1 Resposta

VIOLANTE PIMENTAL – NATAL-RN

Boa noite, prezado Editor Luiz Berto!

Segue o comprovante da doação de maio – 2019, para o JBF,

Um abraço!

R. Muito obrigado pela generosidade, minha cara colunista fubânica.

É graças às doações de vocês, colunistas e leitores, que esta gazeta escrota se mantém no ar.

Atualizada o dia todo e todos os dias.

De domingo a domingo.

Estas doações pagam as despesas com hospedagem, manutenção e assistência técnica.

E, além do mais, servem pra pagar os salários sempre atrasados de Chupicleide.

Nossa querida secretária de redação está aqui toda se rindo-se de tanta alegria e mandando um grande beijo pra você! 

6 Comentários

BARTOLOMEU SILVA – SÃO PAULO-SP

Berto,

acabei de lançar um novo projeto no mercado. Trata-se uma uma loja online de produtos relacionados a tecnologia, mas também tem algumas coisas menos tecnológicas também.

É uma tentativa de ingressar para o mundo dos negócios de gente grande.

Não é fácil, mas vamos na luta.

Todos os produtos são importados e enviados direto para o cliente.

Nós fazemos a intermediação entre o fabricante e o consumidor.

Conto com a ajuda dos colegas para divulgar o link da loja.

R. Bartolomeu é o competente hospedeiro desta gazeta escrota.

É ele o responsável técnico pelo nosso jornal e o homem que faz o JBF ficar no ar 24 horas por dia. Atualizado o dia todo e todos os dias.

De modo que é com muita alegria e satisfação que saúdo esta sua iniciativa de criar uma loja online.

Tenho certeza que o empreendimento será vitorioso.

Pode contar com a visita dos leitores fubânicos à sua página, meu caro Bartolomeu.

Quem quiser acessar pra conhecer e dar um passeio, basta clicar na imagem abaixo.

5 Comentários

WILTON CARVALHO – VITÓRIA-ES

Luiz.

Boa Tarde.

Sei que você adora uma fuleiragem.

Publica aí nessa gazeta escrota uma passagem nos idos de 1971, que se deu na escola de Agronomia da universidade federal da Bahia, na cidade de Cruz das almas.

R. Bateu na porta certa, meu caro.

Fuleiragem é por aqui mesmo.

Pode mandar que terá sempre freguesia.

Grato pela força e pela audiência.

* * *

A PIXIXITA DE ZÉ LIMA

Quando estávamos no segundo ano, Zé Lima que era terceiranista, sergipano de Itabaiana, foi em excursão a Itabuna, participar de encontro técnico na CEPLAC.

De lá, trouxe uma preciosidade: duas garrafas de Pixixita, a melhor cachaça da Região Cacaueira, na época.

Quando chegou, fez questão de mostrar as garrafas a Alicate, que ficou durante vários dias, lambendo os beiços, feito Silvio Boca de Mel, pois Lima não lhe deu sequer um gole, mesmo após muita insistência. Ele as levaria para o seu futuro sogro que morava em Aracaju.

Eu conhecia a sua futura esposa, pois foi minha colega no curso científico do Ateneu Sergipense. O homem era desembargador.

Com a negativa, bolamos um plano mirabolante: roubaríamos as duas garrafas de Pixixita.

Como ele só iria a Aracaju, quando houvesse um feriado prolongado, guardou-as a sete chaves, no seu armário, pois Alicate vivia a lhe pedir, pelo menos um gole.

Lima morava com Pedrinho Cangurú e Fernando Cintra, que eram simpatizantes da Turma da Saborosa. Mas, é bom ficar bem claro, que eles nunca souberam do plano.

Pois bem, vivíamos a vigiar o armário de Lima e as suas ausências da Escola, para pormos em prática o plano, ou melhor, o roubo. Ele estava ansioso para chegar esse dia e poder presentear o sogro, que era apreciador de uma boa garrafa de etílico.

Num sábado à tarde que antecedeu o dia da viagem, Lima e alguns amigos foram a cidade assistir a matinê no cinema local. Era agora ou nunca.

Pedro e Fernando, também se ausentaram.

Subimos pela tampa do forro, no nosso quarto, acima do armário, que era de alvenaria e caminhamos pela laje, até alcançarmos a tampa do forro do apartamento deles.

Levamos duas garrafas vazias e um alicate (ferramenta) de bico, para vedarmos as tampinhas.

O apartamento estava fechado, mas Lima esqueceu de passar o cadeado no armário. Era o que nós queríamos. Deixou a sopa no mel. Lá estavam elas. No cantinho, por trás da mala.

Rapidamente, com cuidado, tiramos as tampinhas, substituímos o precioso conteúdo por água, com o cuidado de tampá-las sem vazamentos.

Deixamos tudo como encontrado e retornamos pelo mesmo caminho. A nossa cana da noite estava garantida.

O que aconteceu em Aracaju, nós não ficamos sabendo, mas, Lima quando retornou, ficou um bom tempo sem falar com a Turma da Saborosa.

Deixe o seu comentário