TOLÔTE EM LETRA DE FORMA

O Estadão de ontem publicou um texto que tem um título arretado.

É este aqui:

Mais mulheres no Congresso Federal: um avanço que pode significar retrocesso

Intenderam?

Pois é: “Um avanço que pode significar retrocesso”.

O parágrafo de abertura do texto-diarreia já resume tudo:

Os resultados das eleições de 2018 ao cargo de deputado federal mostraram um aumento de 51% na quantidade de mulheres que ocuparão o Congresso: das 513 cadeiras, 77 serão ocupadas por mulheres, em comparação às 51 eleitas nas eleições de 2014. No entanto, esse aumento quantitativo precisa ser qualificado, uma vez que os dados apontam para um crescimento também na quantidade de mulheres filiadas a partidos extremamente conservadores, como o PSL.

PSL, vocês já sabem, é aquele partido do…

Ah… Deixa pra lá.

Resumindo: a autora, uma dotôra zisquerdóide da PUC de São Paulo, está revoltado com escolha feita pelo eleitorado brasileiro, livre e democraticamente, que demonstrou sua predileção majoritária por fêmeas centro-direitistas para compor o Congresso Nacional.

O país inteiro está de saco cheio com o zisquerdismo petralhal. Coisa que ficou sobejamente provada na última eleição presidencial.

Quem quiser e tiver coragem pra ler a doutoral cagada puquiana na íntegra – com direito até a um tosco gráfico feito pela autora do texto , basta clicar aqui .

Fecho esta postagem com a imagem do jumento Polodoro, que lê tudo que este povo idiota escreve e está sempre atento pra entrar em ação.

3 ideias sobre “TOLÔTE EM LETRA DE FORMA

  1. Meu caro maluco, doido, pirado, lembre-se que o peixe morre pela boca. Também quando o PT elegeu presidente, deputados, senadores, prefeitos e o caralho, tanta gente, inclusive tu, ó pirarucu, não ficou revoltada com a escolha feita pelo eleitorado brasileiro, livre e democraticamente, que demonstrou sua predileção majoritária pelo PT e pela política petista?
    Só falta comprares umas armas e saíres dando tiros para o alto!

Deixe uma resposta