BOSTOSIDADE CRANIOLÓGICA

Uma pesquisa de uma dupla de cientistas australianos aponta que jovens que ficam muito tempo com a cabeça dobrada para baixo, em uma posição comum para olhar a tela do celular, podem desenvolver uma protuberância na parte de trás do crânio.

O crescimento é comparável a um calo, e fica na parte de trás, na junção entre o crânio e o pescoço.

Os pesquisadores são David Shahar e Mark Sayers, da Universidade de Sunshine Coast, em Queensland, na Austrália.

Na mídia da Austrália, a pesquisa tem sido noticiada como o desenvolvimento de um chifre na parte de trás do crânio desenvolvido por causa do celular.

* * *

Eu já ouvi falar muito de chifres na testa.

Muito mesmo.

Mas de chifres no crânio é a primeira vez que tenho notícia.

Se estes cientísticas australianos fizessem um estudo aqui no Brasil, iriam constatar que a militância do PT, ao invés de calo ou chifre, desenvolve mesmo é muita bosta no crânio.

Sem qualquer sombra de dúvidas.

5 pensou em “BOSTOSIDADE CRANIOLÓGICA

  1. Papa Berto.

    Não era necessário fazer essa pesquisa. Ora, os rapazes ficam dando mais atenção a celular do que à mulher, então, tome-lhe guampas, como se diz aqui no glorioso Mato Grosso do Sul. Aliás, chifre é igual anemia…. só tem quem come pouco, ou não come direito.

  2. Tem pesquisas que mata qualquer de rir. Existe um prêmio dado aos pesquisadores, chamado Prêmio Ignóbil, “aquele que primeiro faz você rir e depois, pensar”. Aqui no Brasil tivemos um premiado. Ele escreveu um artigo falando da importância (ou impacto, não me recordo bem) do tatu em sítios arqueológicos.

  3. .
    ‘mais’ tem um que, além de ter bastante ”’muita bosta no crânio”’, tem exuberante peruca de Alce.
    e mais (sem aspas): enquanto o Ricardão age nos Alpes suíços, fica tomando conta das crianças.

    e diz o Blâo-Shul, primo do Ful-Mão-Xul:
    “NÃO EXISTE a figura do Ex-Corno” !!!

  4. Como a notícia do chifre no crânio é falsa, todo o resto da publicação é mentira.

    Não há nenhuma evidência concreta, que usar um celular irá fazer crescer um “chifre” na sua cabeça! Se você ouviu falar sobre isso e acreditou, saiba que você foi, em princípio, enganado(a). Os estudos citados são extremamente questionáveis, limitados, possuem falhas metodológicas e, para piorar, há um forte indício de conflito de interesses por parte do Dr. David Shahar, um dos autores dos estudos. O que foi divulgado até o presente momento não passa de um mero frenesi midiático. Uma verdadeira afronta não somente aos leitores, mas a Ciência de um modo geral. Dizer que “chifre” é analogia é apenas uma forma de encobrir o sensacionalismo.

    Na verdade, o Dr. David Shahar não passa de um quiroprático. Nada contra quiropráticos, mas se trata de medicina alternativa. Os fundamentos desta prática contradizem os fundamentos da própria medicina e têm por base conceitos pseudocientíficos. Além disso, David é dono de uma loja virtual que, até alguns anos atrás, vendia um certo “travesseiro torácico”, patenteado por ele. Nos estudos referentes ao suposto “chifre”, ele alegou não possuir nenhum conflito de interesses. Porém, num outro estudo publicado recentemente, com referência a eficácia do próprio travesseiro, ele apareceu como seu desenvolvedor, ou seja, ele ainda mantém vínculos comerciais em relação ao produto.

    Embora não haja motivo algum, neste momento, para preocupação, é importante que novos estudos sejam realizados, de forma mais ampla, imparcial, e criteriosa. Assim sendo, por se tratar meramente de uma hipótese, iremos classificar esse caso provisoriamente como “indeterminado” em vez de “falso”.

    É ISSO AÍ QUE DIZ O SITE E-FARSAS:

    http://www.e-farsas.com/cientistas-descobriram-chifres-em-cranios-de-jovens-devido-ao-mau-uso-do-celular.html

Deixe uma resposta