BOLSONARO RESSUSCITOU A TFP

Meus leitores podem testemunhar que no espaço da minha coluna não ataco Bolsonaro, não jogo pedras em seu governo, não falo mal dos filhos dele nem escarneço dos seus ministros.

Acho Bolsonaro tosco.

Alguém disse que esse é um governo de malucos e eu estou bem quieto.

O que penso?

Temos a Família, Tradição e Propriedade no governo.

Uma TFP com seus valores, atualizados e nem por isso melhores do que os do Plínio Corrêa de Oliveira.

A versão atual mistura aquela antiga TFP com a, digamos assim, “filosofia”, ou ideologia do chamado guru do Olavo de Carvalho, acrescentando a tudo isso uma pitada da misturada de idéias pseudo-conservadoras do clã, no caso o núcleo político formado pelo patriarca Jair Messias e os três filhos alojados em diversas fases do legislativo nacional.

– Oquei, parodio, mas muitos desconhecem o que é esse negócio de TFP e mesmo com a atualidade da vigência (eu não diria vigor) do Olavismo, ou Carvalhismo, suas idéias não se apresentam com a clareza necessária à compreensão mediana dos seus propósitos.

Pois bem, vamos entender.

A Tradição, Família e Propriedade (TFP), no Brasil registrada como Sociedade Brasileira de Defesa da Tradição, Família e Propriedade, é uma organização civil de inspiração católica tradicionalista fundada primeiramente no Brasil em 1960 pelo professor catedrático, deputado federal Constituinte em 1934, escritor e jornalista católico paulista Plinio Corrêa de Oliveira. Ela é pautada na tradição católica e no combate às ideias maçônicas, socialistas e comunistas. A sociedade baseia-se na obra “Revolução e Contra-Revolução” e propõe uma vigorosa reação (Contra-Revolução) com base no amor à ordem cristã e na aversão à desordem (Revolução).

Seria pouco se fosse só isso: juntados os elementos mencionados, pegue uma dose de entreguismo bajulatório do Brasil aos Estados Unidos, que muitos elegeram Roberto Campos, ou Bob Fields, injusta ou injustamente, como seu ícone, e temos a receita de bolo.]

Acrescente o fermento das redes sociais – as retrógradas – leve ao forno e espere inchar.

Pois, eu dizia, recorro ao testemunho unânime para afirmar que estou aqui, fingindo de morto, e a razão é simples.

Por incrível que pareça pode “dar certo”, na medida em que dar certo represente uma série de soluções que dêem resultados.

O que quero dizer com isso é o seguinte, que darei apenas como exemplo: Pense em uma empresa cujo objetivo é dar lucro. Ela pode conseguir esse fim por variados métodos, como incrementando as vendas por medidas de publicidade, melhoria dos produtos, políticas de preços, redução de gastos e de desperdícios na produção e muitas outras que geram melhoria dos ganhos.

Também pode conseguir lucros despedindo empregados, “enxugando a máquina”, segurando salários, diminuindo benefícios sociais e, até, criminosamente, matando impostos, se me compreendem.

Ontem mesmo os noticiosos anunciavam com orgulho que a Bolsa de Valores atingiu uma pontuação recorde.

Então, é isso.

O governo Bolsonaro pode dar certo: uma das medidas defendidas por certos setores da economia, certamente os patronais, é o corte das vantagens que os trabalhadores conseguiram acumular ao longo de décadas, como licenças, férias integrais, auxílio transporte e alimentação, plano de saúde, horas extras, décimo-terceiro, melhores condições de aposentadoria e o escambau.

Acabe com tudo isso, ou diminua e crie dificuldades, e o capital floresce. Quanto menos encargos o capital sofre mais ele brilha, se expande, o que gera empregos, consumo, incremento da classe média e tantas coisas boas.

O pano de fundo é uma sociedade babaca de felizes Forrest Gumps.

É por isso que estou aqui no meu canto, esperando para ver “dar certo”.

Não foi o que pediram?

Então, toma!

17 comentários em “BOLSONARO RESSUSCITOU A TFP

  1. Caro Goiano,
    Não entendi qual é a relação entre menos encargos ao capital, para que ele se expanda, gere empregos, consumo, incremente a classe média e tantas outras coisas boas, conforme você mesmo diz, e uma sociedade babaca de felizes Forrest Gumps.
    Quer dizer que só seremos felizes e conscientes se vivermos na merda em que nos afunda o maldito socialismo?
    Por que é, então, que tudo o que é socialista é louco para virar Forrest Gump? Na primeira oportunidade que aparece, correm para os países dos alienados capitalistas selvagens???
    😘😘😘😘😘😘

  2. Meu caro, Forrest Gump é aquele personagem que consegue sucessos “imerecidos”. Ele é um cara “de um QI abaixo da média”, o que se comenta educadamente, para não dizer que ele é um idiota. Os resultados que ele obtém na vida – inúmeros sucessos – não correspondem a suas ações, ele sequer parece compreender de onde vêm suas vitórias, recompensadas com honras, medalhas e troféus. E ele é, assim, um cara completamente fora da realidade e completamente feliz.
    Essa é, mais ou menos, a analogia.
    Ao contrário disso, socialistas, comunistas, petistas, petralhas e todos os esquerdistas safados, cachorros e moleque, como eu, somos o contrário de Forrest Gump, queremos resultados baseados em medidas concretas que propiciem o desenvolvimento do País, o crescimento da Nação, com os cuidados necessários para que o crescimento não seja apenas da cintura para cima. Bolsonaro também toma medidas concretas, como me refiro no texto, e deve obter resultados, bons, digamos assim, resultados; entretanto, seus métodos e caminhos, tanto à direita, são algo divergentes da nossa ideologia programática (putz!).
    Essa adesão do governo a uma “doutrina da TFP” nos é altamente incômoda, cheira a mofo, a coisas antigas, que misturam coisas que devem ser separadas, como água e óleo.
    Para nós, as idéias que permeiam o governo são idealistas, piegas, atrasadas, retrógradas, sociológica e culturalmente, além de promoverem uma política econômica que poderá trazer o desenvolvimento para as classes altas da sociedade, desfavorecendo as mais baixas.
    Achamos uma sacanagem fazer com que os trabalhadores paguem a conta, percam suas pequenas conquistas na tal da reforma da previdência, sejam garfados nos avanços trabalhistas, para que o mundo nos veja com tesão e venha aqui despejar seu capital.
    Nós vamos, como eu vou, para países capitalistas avançados porque queremos ser, também, países capitalistas avançados – queremos ser países capitalistas mais avançados do que eles, onde a riqueza seja distribuída de forma mais justa.
    Faltou falar dos encargos: grande parte da política do governo está calcada em retirar do trabalhador o dinheiro necessário a criar superávits orçamentários que possam bancar investimentos do governo na economia, os quais produzem aquecimento, chamam capital interno e externo para os setores produtivos e promovem o progresso.
    Há duas direções tomadas:
    Uma, o barateamento dos custos da empresa através da relação que não entendeste, que pode ser simplificada: minha empresa tem quatro empregados que custam 10. Se eles passarem a custar 5 eu posso investir o resto na empresa, ou aumentar o lucro, ou aumentar o número de empregados, ou diminuir o preço dos produtos, ou gastar mais com viagens a Paris, ou tudo isso junto se pensarmos em grande escala.
    Duas, a parte principal, no momento, que é a reforma da previdência, a qual poderá, aliada a uma possível redução da quantidade de servidores públicos e a uma momentânea paralisação de gastos em determinados investimentos (obras), redundar em redução do déficit que permita, em seguida, recomeçar a investir. Melhorar a capacidade do governo de investir é medida crucial, todos sabem, mas os métodos precisam ser analisados e criticados.
    Uma paródia é o trabalho escravo: produtivo mas indefensável.
    Nós, esquerdistas, agindo dentro e a favor da manutenção e desenvolvimento do capitalismo, pensamos em formas de desenvolvimento que possibilitem a manutenção da justiça social e dos avanços e progressos obtidos pela classe trabalhadora, junto do socorro aos mais pobres.
    É a nossa forma de sermos cristãos.

  3. Uma coisa importante faltou comentar, Adônis:
    Insistes em que vivíamos em uma merda na qual o socialismo nos afundou.
    Nossa compreensão do que seja socialismo é tão diferente que não temos como debater.
    Se o Brasil vivia em um regime socialista, devemos mudar conceitos para nos ajustarmos a eles.
    Vejamos, há quem diga que a Venezuela é socialista, o que é um equívoco monstruoso, de modo que se nem ela o é, quem dirá o Brasil!
    O que se entende por socialista é um estado que detenha todos os meios de produção (ditaduras, perseguições políticas e religiosas, assassinatos em massa e outras barbaridades não fazem parte da doutrina, são elementos usados pelo poder para manter-se). Na Venezuela e no Brasil esse monopólio do estado sobre os meios de produção ainda não ocorreu. Portanto, Venezuela e Brasil estão longe do sistema adotado por, por exemplo, Coréia do Norte e Cuba.
    Então, penso que podes dizer que és contra as políticas petistas adotadas a partir de 2003, quem sabe estendendo tua contrariedade ao período de oito anos do FHC, o que estenderia tua revolta a 1995. Mas falar que és contra o socialismo implantado por FHC ou por Lula no Brasil parece uma forçação de barra para convencer o eleitorado.

  4. Sobre o socialismo venezuelano:

    “Não, a Venezuela nunca foi socialista
    A Venezuela está enfrentando uma crise sem precedentes: milhões abandonam o país devido à falta de comida e medicamentos. Isto prova o fracasso do socialismo? Para entender melhor a situação na Venezuela, o Left Voice, jornal estadunidense irmão do Esquerda Diário, conversou com Milton D’León, trabalhador marxista de Caracas e editor do site La Izquierda Diario Venezuela”.

    PERGUNTA: A crise na Venezuela prova o fracasso do socialismo, com muitos direitistas afirmam?

    MILTON D’LÉON: Na Venezuela não é o “socialismo” que fracassou e sim uma política que manteve o país dependente das receitas do petróleo, que garantiu os lucros dos banqueiros e empresários, enquanto o povo sofre com a fome. O governo se baseou nas forças armadas, em um permanente estado de emergência que fica cada vez mais repressivo ao longo do tempo. A propriedade privada na Venezuela sempre foi defendida e, durante a bonança do petróleo, os capitalistas prosperaram. Isto foi acompanhado por uma limitada distribuição de renda através de programas sociais, com base no boom do petróleo.

    Porém, com a queda dos preços do petróleo, o governo não teve nada a oferecer além da colossal crise econômica e social que estamos vivenciando. Estamos Vivendo em uma situação desesperadora há três anos. O governo distribui cestas de alimentos (composta essencialmente por carboidratos) que são importadas a preços subsidiados. Elas vão apenas para alguns setores e não aliviam a fome do povo.

    PERGUNTA: O governo de Maduro e do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) se apresenta como “socialismo do século 21”. Então você não considera a Venezuela como um partido socialista?

    MILTON D’LEÓN: Não, absolutamente não. “Socialismo do século 21” não foi nada mais do que uma farsa. Uma fraude construída a partir do termo “Socialismo”, mas em defesa do capitalismo na prática – e não qualquer capitalismo, mas o de uma economia rentista totalmente dependente do petróleo. Na Venezuela, para cada 100 dólares que entram no país a partir de cambio internacional, $97 é pelo petróleo, e o resto é por outros minerais. O “socialismo” Chavista nem ao menos desenvolveu indústrias nacionais. Venezuela nunca deixou de ser um país capitalista.

    No início, o governo procurou realizar algumas reformas sociais, mas isto nunca atingiu os privilégios dos grandes empresários e capitalistas. Até mesmo a Constituição Nacional respeita e preserva o direito à propriedade privada. Houve rumores de “Comunas”, mas o governo de Chávez sempre se baseou no Estado Burguês e especialmente nas forças armadas.

  5. Na fase inicial de implantação do socialismo em qualquer país todos os socialistas garantem: Este é o verdadeiro socialismo! Quando dá com os burros n’água, e sempre dá, os mesmos socialistas vem com a conversa: Este não era o verdadeiro socialismo. Acho que nem os socialistas sabem o que é socialismo.

      • Será, Severino?
        Saiba que pela Síndrome de Forrest Gump, o atacado por ela fica desajeitado, tem dificuldade de coordenação motora, ausência do contato visual e também da reciprocidade social e emocional, apesar do desejo de ter amigos. Também existe a excentricidade, como o intenso interesse por um único assunto, rigidez na execução de atividades e forte preocupação com determinados objetos. Pode apresentar um esgar no lugar do sorriso.

    • Comandante, não sei de onde tiraste isso. Vou dar uma lição: Comunismo é a fase inicial do Socialismo.
      Mas, estou aberto a desmentidos: diga lá onde viste essa fase inicial da implantação do socialismo onde os cabras disseram isso aí que tu disseste que eles disseram e a gente põe o rabo no meio das pernas.

    • Leo, isso que dizes é uma espécie de falácia que não tem comprovação nem empírica, nem científica, muito pelo contrário.
      O que podes fazer é apontar, dentro de uma explicação longa, onde e porque ela é fraca.
      Mas não vais fazer isso, né mezo?
      Ficar de mimimi é fácil, não gasta energia nem massas.

  6. o brasil ja deu certo porque cremos em Deus ,a vitoria de bolsonaro aconteceu porque o povo temente a Deus, estava e está em constante oraçâo. daqui a 4 anos veremos o resultado.

  7. As pessoas, como Nikolai e Francisco, poderão pensar que eu sou um puto porque não dei atenção aos seus comentários, mas o problema é que esta porra deste jornal, que está precisando acabar, não me avisa que vieram os comentários, por mais que eu implore a Bartolomeu que dê um jeito nisso nem que eu precise dobrar as minhas doações!
    Pois é, então, enfia um lactopurga no rabo para ver se é doce.
    E o outro aí pode começar a rezar porque estão dizendo que este governo não chega nem na esquina.
    Porra!

Deixe uma resposta