ASSUNTO DE BAIXÍSSIMA RELEVÂNCIA

* *  *

Esta manchete aí de cima foi a chamada em destaque hoje, na página global G1

Prestem atenção no tempo do verbo:

Não é o que vai funcionar ou deixar de funcionar a partir de hoje, coisas que são do interessante de qualquer cidadão.

O destaque é para o que funcionou e o que não funcionou durante o carnaval, assuntos sem qualquer relevância pro cidadão comum.

Pelo menos já sabemos que a putaria escatológica funcionou a pleno vapor e foi notícia até no istranjeiro, com mijada na cara e dedada no furico, ao vivo, a cores e em cima de um caminhão.

Coisas que os muderninhos zisquerdóides consideram demonstrações da mais pura arte.

É o que eu sempre digo: merda por merda, é melhor você acessar esta gazeta escrota.

3 comentários em “ASSUNTO DE BAIXÍSSIMA RELEVÂNCIA

  1. Li recentemente um livro sobre a Terapia do Abraço. Conforme o livro, a Terapia do Abraço é uma técnica que permite que lidemos com as mais diversas emoções, sobretudo a raiva, a frustração e a tristeza. Não é errado ter estes sentimentos e eles estarão presentes em nossas vidas, vez ou outra. O segredo não é fugir desses sentimentos e sim, buscar formas para lidar com eles. E é por este viés que a Terapia do Abraço atua: ao invés de tratar estes sentimentos como coisas negativas e tentar abafá-los, tratá-los como sentimentos legítimos e pertencentes a vida humana. O sei artigo numa linguagem caipira está corretíssimo.

  2. Também não funcionou em São Paulo o pagamento dos aposentados na Caixa Econômica Federal e Banco Itaú.

    Explico: O dia 1 de março foi na sexta-feira, os bancos fecharam segunda e terça-feira e reabriram na quarta-feira às 12 horas, portanto, quem recebe no 3º dia útil foi ao banco na quinta-feira. Não havia dinheiro na conta e a explicação foi de que, somente na sexta-feira seria depositado, É complicado? Não? É só fazer as contas e perceber que escamotearam 1 dia dos aposentados.

    Quem se importa, afinal estão ai os cartões de crédito que pagam até cafezinho no bar e logicamente, quem não tem dinheiro de reserva e depende do benefício, paga juros pros bancos.

    Fica a pergunta: Quem é o responsável: Os Bancos ou o INSS?

    Vou aguardar uma resposta.

Deixe uma resposta