JOSÉ NÊUMANNE - DIRETO AO ASSUNTO

CHARGE DO SPONHOLZ

AUGUSTO NUNES

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

JACOB FORTES – BRASÍLIA-DF

Veja, nobre leitor, o lirismo do texto, CARTA À LUA, aliás, correlativo aos tempos tecnológicos e espaciais, que brotou do imaginário, fecundo, do literato Professor Holanda, meu confrade do quadro de escritores do jornal O BINÓCULO, de Fortaleza.

Nestes dias em que o cotidiano brasileiro é por demais carrancudo, o texto chega trazendo a leveza de uma cantiga de ninar, a gracilidade de uma flor, enfim, um brinde aos românticos.

* * *

CARTA À LUA

Lua, em 1969, o homem pisou teu solo, saltitou sobre tua face; outros também foram explorar-te, bisbilhotar-te, à procura de gente, de algum lunático.

Lunáticos fomos nós, humanos, em lá chegando, quebramos teu encanto. Onde estás tu, não irei. Sabes por quê? Quero ver-te sempre brilhando. Transmitindo aos enamorados sonatas de amor. Não irei onde tu estás, porque não quero tirar-te o sossego. Não te visitarei porque desejo continuar vendo São Jorge, montado no cavalo branco, esmagando, com seu tridente, o dragão.

Quero ver a lua das serenatas; quero contemplar a lua que esparge seu brilho sobre suaves e bravios mares.

Adoro quando tu não te escondes, quando tu apareces cheia. Aí tu brilhas intensamente. Adoro lua cheia, porque me sinto mais perto de ti.

Lua, não aceites casar-te com humano! Ele vai querer-te como posse dele e tu, lua bonita, tu és a eterna enamorada de todos nós.

Prof. Holanda

DEU NO JORNAL

ANDERSON BRAGA HORTA - SONETO ANTIGO

LUZ E ÁGUA

Quero ter-te entre os braços apertada,
num amplexo profundo, imorredouro,
qual da esfera sustém nos braços de ouro
o sol o colo altivo na alvorada.

Como aos olhos de luz da madrugada
arrasta a noite o seu rebanho louro,
no teu olhar, sidéreo sorvedouro,
quero a alma perder iluminada.

O meu olhar no teu olhar mergulho,
louco de amor, por teu amor vencido,
e achando em teu amor razão e orgulho.

Quero abraçar-te assim, em ânsia e frágua,
num abraço fecundo, almo, incontido,
como o abraço total da luz e da água.

A PALAVRA DO EDITOR

PRESEPADAS DE UM COLUNISTA FUBÂNICO

Conforme foi noticiado aqui no JBF, na seção de Eventos, o colunista fubânico Jessier Quirino apresentou-se sábado passado aqui no Recife.

O recital foi no Rio Mar, o maior xopis centis da cidade, que patrocinou o evento aberto ao público.

Uma festa em homenagem ao Dia dos Pais.

Foram colocadas cadeiras num amplo saguão e a apresentação levou o grande público presente ao delírio.

Teve gente que se mijou-se de tanto se rir-se.

Botaram telões nas laterais do palco, de modo que tivemos uma excelente visão.

Abaixo um rápido vídeo com um pequeno trecho da festa.

Foi Aline que filmou a partir da fileira onde estávamos sentados.

CHARGE DO SPONHOLZ

AUGUSTO NUNES

DRÁCULA MALANDRO

Humberto Costa quer que o Supremo cuide das mensagens roubadas e esqueça a quadrilha

“As ações criminosas de Deltan Dallagnol, dos procuradores da Lava Jato, do ex-juiz e ministro da Justiça Sergio Moro exigem uma ação decidida, objetiva e eficaz do Supremo Tribunal Federal para garantir não somente o esclarecimento de todos os fatos, mas principalmente a punição para todos aqueles que cometeram crime de abuso de autoridade”.

Humberto Costa, senador do PT de Pernambuco, recomendando ao Supremo que se concentre em tempo integral na leitura das mensagens roubadas pelo bando de hackers e deixe para o próximo século o julgamento dos crimes que tornaram o declarante conhecido pelo codinome Drácula no Departamento de Propinas da Odebrecht.

JOSÉ PAULO CAVALCANTI - PENSO, LOGO INSISTO