BOA NOTÍCIA

O secretário de Aviação Civil do governo Bolsonaro, Ronei Glanzmann, deu ontem uma grande notícia: a estatal Infraero será extinta.

O Brasil não vai precisar mais sustentar esse monumento à ineficiência.

* * *

Minha sugestão para a próxima privatização é a Petrobras.

Depois, o Banco do Brasil.

Depois…

Deixa pra lá…

A lista é grande.

Quanto à TV Lula, não é necessário privatizar: basta extinguir.

E demitir a petezada que lá mama nos fartos peitinhos do erário.

1 Resposta

ESTUPIDEZ EXTREMA

O Troféu Estupidez do Caralho do mês vai pra Grelão Feghali.

A postagem que ela fez ontem no Twitter dispensa explicações e comentários:

O uso da palavra “envolvidos” é de uma estupidez piramidal.

Uma cagada de tal magnitude só poderia mesmo ter sido dada por uma descerebrada zisquerdista, uma cumunista de carteirinha filiada ao PCdoB.

Lembrar a ela que o general que está exercendo interinamente a presidência chegou ao posto em eleições livres, abertas, diretas e democráticas, é tempo perdido.

Cumunista não sabe o que é isto e não respeito este tipo de coisa.

O mascote deste blog, o jumento Polodoro, está ansioso pra cruzar com Jandira Grelão pelas estrebarias da vida.

7 Comentários

FINAL DE SEMANA PROPINADO

A lista dos financiamentos do BNDES no exterior, divulgada sexta-feira (18), dá sentido às relações promíscuas do ex-presidente Lula com a Odebrecht, que ele beneficiou com 80% das obras em ditaduras latino-americanas e africanas.

Integrantes da Lava Jato acham que dinheiro do BNDES acabou no bolso de Lula.

Emílio Odebrecht, controlador da empreiteira, confessou até mesmo que havia uma “conta corrente” de R$300 milhões para o ex-presidente presidiário gastar como quisesse.

A relação entre Lula e a empreiteira baiana foi baseada em corrupção, simples assim. A Odebrecht pagou e levou os melhores contratos.

A construção do Porto de Mariel (Cuba) foi financiada pelo banco público BNDES por R$ 2,7 bilhões. E construído pela Odebrecht.

E o ex-ministro Antonio Palocci revelou à Justiça espontaneamente, sem acordo de delação, o “pacto de sangue” entre Lula e a Odebrecht.

A propina era tão rotineira que Palocci contou fazer entregas de dinheiro vivo a Lula em caixas de celular e, claro, de uísque.

* * *

A lista divulgada na última sexta-feira feira fez com que tivéssemos um último final de semana bem lulo-propinado.

Estamos apenas na segunda quinzena de janeiro.

Parece que este ano de 2019 promete trazer muita novidade.

O palestrante Lula e a palestrada Odebrecht: uma parceria do caralho

1 Resposta

UMA GLOSA

Mote:

João Doido, cacete e rola
Tudo é nome do caralho

Glosa:

Peia, cipó, mandioca
Carabina, prego e talo
Estaca, pica, badalo
Sarrafo, pomba, biloca
Pinto, manjuba, piroca
Vergalhão, também mangalho
Linguiça, cajado, malho
Nervo, trabuco, bilola
João Doido, cacete e rola
Tudo é nome do caralho.

Glosa do poeta pernambucano José Honório, publicada no álbum Indecências, editado em julho de 1990.

Deixe o seu comentário