ANDERSON BRAGA HORTA - SONETO ANTIGO

QUIMERAS

Andei lendo e sonhando, em tempos esquecidos,
declarações de amor e quiméricas frases
de algum gênio gentil, de modos atrevidos,
a alguma fada envolta em transparentes gazes.

Vivi de fantasia e sonhos coloridos,
com você junto a mim, nesses reinos falazes.
Mas isso aconteceu nos velhos tempos idos
quando falava o amor por descoradas frases…

Hoje em dia o florir de palavras limadas
na boca dos heróis de aventuras galantes
já não tem o sabor das épocas passadas.

E só o coração grita e soluça e fala,
no silêncio loquaz que envolve os dois amantes,
todo o poema de um beijo, a ecoar pela sala!

CORRESPONDÊNCIA RECEBIDA

DEU NO TWITTER

DIA 25 TODOS NA PORTA DO STF

AUGUSTO NUNES

GAVIÃO DE DIAMANTINO

Gilmar ensina que só são legais os shows de promiscuidade que promove para livrar da cadeia bandidos de estimação

“As mensagens mostram um jogo de promiscuidade. O conúbio entre juiz, promotor, delegado, gente de Receta Federal é conúbio espúrio. Isso não se enquadra no nosso modelo de Estado de Direito”.

Gilmar Mendes, ministro do STF, ao comentar em entrevista à Folha as mensagens divulgadas pelo receptador Glenn Greenwald, ensinando que o Estado de Direito só admite os conúbios espúrios que o declarante protagoniza em parceria com colegas do time da toga, parlamentares pilantras, advogados que cobram em dólar por minuto e bandidos de estimação.

CHARGE DO SPONHOLZ

FALA, BÁRBARA !

DEU NO TWITTER

INFAMES PROTETORES DE BANDIDOS

* * *

Essa canalha togada que tem a bunda assentada no atual STF é de dar nojo.

Sempre tenho ânsias de vômito quando me lembro dessa corja.

Uma coisa repugnante e que só é possível existir num país surrealista e irreal como o nosso.

Puta que pariu!!!!!!!!!!!!!!!

 

CARLOS AIRES - PROSEANDO NA SOMBRA DO JUAZEIRO

O BANQUEIRO E O MATUTO

Na cidade eu vou pra feira,
Pra missa ou pra passear,
Ou mesmo pagar as contas,
Pra o médico me receitar!
Mas o campo me fascina
Pois a vida campesina
Traz-me encanto com certeza,
De nada tenho receio
Adoro habitar no seio
Da sagrada natureza.

Ali sou muito feliz
Vivendo por entre os montes,
Comendo os frutos da mata,
Bebendo água nas fontes,
Tomando banho nos rios.
As belas noites de estios
Induzindo a inspiração,
E sob o luar de prata
Faço a minha serenata
Ao som do meu violão.

Nada tenho a censurar
Do que mora na cidade,
Que leva um viver moderno
Com bem mais comodidade,
Praia, shopping, bons colégios,
Além de outros privilégios
Que na brenha não contém!
Podem me chamar de rudo
Porque dispenso isso tudo
Mas aqui me sinto bem.

Nos passeios matinais
Aprecio a alvorada,
Sinto meus pés encharcados
Pela campina orvalhada.
O ar chega com a pureza!
E o aroma que a devesa
Vem oferecer de graça,
Que seja inverno ou verão,
Sem conter poluição
Sem sujeira e sem fumaça.

Continue lendo

ALEXANDRE GARCIA

CÍCERO TAVARES - CRÔNICA E COMENTÁRIOS

PARA QUE SERVE O VEREADOR?

Câmara de vereadores do Recife, o puteiro de José Mariano

“O vereador é um agente político, eleito para sua função pelo voto direto e secreto da população municipal de quatro em quatro anos.” Portanto, ele é eleito por vós, eleitores idiotas, para roubar vosso dinheiro na esfera municipal, dinheiro esse roubado dos impostos dos contribuintes que seria destinado à saúde, à educação, à segurança, ao transporte coletivo, ao desenvolvimento econômico…

O vereador tem o dever de fiscalizar a administração municipal, examinar atentamente a aplicação dos recursos e observar o destino do orçamento. Tem a obrigação de acompanhar as ações do Poder Executivo, principalmente em relação ao cumprimento das leis e da boa aplicação e a gestão do dinheiro público.

Assim está escrito na Constituição Frankenstein de 1988 e nas leis Orgânicas Municipais, por opção do legislador originário, que imaginou o Brasil um paraíso de boas intenções, onde existe harmonia, transparência e honestidade entre os representantes dos três poderes, principalmente o Legislativo: O Refúgio dos Ladrões!

Como integrante do poder legislativo municipal, o vereador tem como função primordial: representar os interesses da população perante o Poder Público. Esse é, ou pelo menos em tese o objetivo final de uma pessoa escolhida como representante do povo, mas na prática a teoria é diferente. O vereador é mais um ladrão do dinheiro do povo, juntando-se a mesma corja de deputado estadual, federal e senador.

O Brasil tem como tradição fazer a regulação de assuntos importantes para a vida em sociedade por meio de leis escritas, seguindo princípios que remontam ao Direito Romano. Por isso é que temos uma constituição utópica, com característica formal, escrita, rígida, analítica e dogmática, com centenas de artigos, parágrafos, incisos e alíneas inúteis e senis.

A Constituição Frankenstein de 1988 outorga competência às câmaras municipais para fixarem o subsídio de seus vereadores. O mandato não pode ser gratuito e a fixação de remuneração deve obedecer aos limites da Constituição e da LRF. O subsídio não pode ser vinculado à receita de impostos e a despesa com vereadores não pode ultrapassar 5% da receita do município.

Mais uma vez é preciso repetir: na prática a teoria é diferente. Os prefeitos e os vereadores são eleitos por nós, eleitores idiotas, para roubarem e enriquecerem a custas da nossa boa intenção! Será que um dia nós vamos mudar essa realidade nefasta ou só em outra reencarnação?

DOIS MIL E VINTE ESTÁ CHEGANDO! OLHOS BEM ABERTOS É PRECISO!